Quarta, 17 de setembro de 2014 - parte 2


Atualizado diariamente até o meio dia.
Eventualmente, a tarde, notícias urgentes.









ponto especial



UMA DOBRADINHA RADIOFÔNICA ESPECIAL



Na íntegra:


Dados do processo
Processo no TRT
0001229-10.2010.5.04.0001 (RO)
Procedência
1ª Vara do Trabalho de Porto Alegre
Na autuação
4 Volume(s) / 729 Folha(s)
Juiz
DENISE PACHECO
Órgão julgador
7a. Turma
RECTE
RÁDIO GUAÍBA LTDA.
Procurador
Patricia Ines Baldasso
RECTE
EMPRESA JORNALÍSTICA CALDAS JÚNIOR LTDA.
Procurador
Patricia Ines Baldasso
RECTE
TELEVISÃO GUAÍBA LTDA.
Procurador
Patricia Ines Baldasso
RECTE
HAROLDO JOAQUIM DE SOUZA
Procurador
Luiz Carlos Pereira Silveira Martins
RECDO
OS MESMOS
Vara do Trabalho
01ª VARA DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE
Reclamante Principal
Haroldo Joaquim de Souza
Reclamada Principal
Rádio Guaíba Ltda.
Ata(s) de Audiência
07/12/2010
22/05/2012 15:45
20/11/2012 15:30
23/05/2013 15:45
Sentença(s)
30/08/2013
09/10/2013

--

Cá entre nós: acima de um milhão de reais.


4 comentários:

  1. Na verdade a condenação é de 70 mil. O Tribunal aumentou para 85 mil. Não é incomum esse valor aumentar -às vezes bastante - na fase de execução, mas é importante frisar que todos os pedidos antes de 5 anos do término do contrato estão prescritos, então não dá para buscar tudo desde décadas passadas.
    Trabalho no TRT mas essas informações que te passei estão disponíveis a todos no site do Tribunal. Abraço.
    Paulo Silva

    ResponderExcluir
  2. Q COISA ESSES JORNALISTAS Q ESCREVEM AQ. >>> http://gaucha.clicrbs.com.br/rs/noticia-aberta/policiais-presos-em-jaquarao-usavam-tecnicas-de-tortura-da-ditadura-diz-mp-116922.html

    ResponderExcluir
  3. É o que me disseram na época.
    Se é menos...

    ResponderExcluir
  4. Processou a Gaucha, está processando a Guaíba, te cuida Band e Grenal! O que tem de bom narrador esportivo ( só, não serve pra mais nada!) também tem de mau-carácter. Como as empresas ( principalmente as pequenas ) poderão se manter; o sujeito trabalha, recebem legal, sai e "bota na pau" na justa? Hoje, na justiça do trabalho, um sujeito trabalha um ano em determinada empresa, ganha no período em torno de 24 mil reais, entra com uma ação pedindo 80 mil, ou mais, e sempre leva alguma coisa. Do jeito que as coisas vão, emprego com carteira assinada só em estatais e no serviço público. ( neste momento, a indústria da justiça trabalhista faz horas-extras na Tremsurb, disparado o maior passivo trabalhista do estado. Esta mesma indústria, quebrou a CEEE - Tarso Genro, Carlos Araújo e acólitos capitaneando-a). Abraços

    ResponderExcluir