Terça, 2 de setembro de 2014


Atualizado diariamente até o meio dia.
Eventualmente, a tarde, notícias urgentes.








ponto do dia




EM PORTO ALEGRE, POSTOS DE SAÚDE
DO CASARTELLI SÃO UMA... UMA BOSTA!!





Não apenas os postos de saúde. Tudo que se refere a Saúde é um caos em Porto Alegre.
O descaso tem nome: Carlos Henrique Casartelli, secretário da Saúde. Aquele mesmo, que adora gastar o dinheiro do SUS para comprar livros. Lembram? O "executivo barnabé" comprou 50 mil exemplares do livreto Zumbi das Pedras, em 2013, por incríveis 750 mil reais!! Dinheiro que deixou de ser aplicado na Saúde de Porto Alegre. Mas, aguardem, existem vários processos judiciais em curso que vão elucidar devidamente toda a "negociação" - para não escrever outra palavra, real.
Não sei se já notaram, mas o executivo barnabé sempre está nervozinho, saltitante, quando vão entrevistá-lo sobre qualquer problema na área. Como os problemas são diários ele está sempre nervozinho.
-
Conto uma história. Rapidinha.
Há uns anos, sem plano de saúde e com uma tosse muito chata, um amigo me disse para consultar no Posto de Saúde Modelo, perto de onde moro. E indicou uma médica. Naquela tarde mesmo fui lá. Na recepção disse que queria marcar com um clínico geral. E dei o nome da médica. Rapidamente, o atendente me mandou voltar no outro dia, às 14 horas.
Cheguei um pouco antes e não esperei 15 minutos.
A médica me atendeu muito bem, conversamos bastante e, incrível, até me olhava. Pediu os exames tradicionais e uma radiografia do pulmão. No mesmo dia fui marcar a radiografia - na avenida Venâncio Aires. Cheguei lá e fiz na hora! Uau!! Os exames fiz no outro dia, de manhã. Com a radiografia e os exames voltei ao posto de saúde para marcar. Ficou para o outro dia. Me prescreveu um antibiótico - o pulmão estava legal - e entrei numa pequena fila parta pegar o medicamento.
A tosse não me incomodou mais.
Fui outras vezes lá e a médica sempre me atendeu muito bem.
-
Hoje, na "gestão Casartelli", sabe como funciona?
Parece piada, mas não é.
Para marcar uma consulta com clínico geral, o infeliz tem que comparecer às terças, das 8 às 16 horas. Só que os atendentes te dizem para chegar às 7 horas, "porque quando abre já não tem mais ficha".
- Como assim? Ficha?
- É, quando abre antes das 8, a fila é enorme e não sobra nada.
- Então, por que vai até às 4 da tarde?
- Sei lá!
-
Ginecologista?
A infeliz tem que chegar lá às 6 da manhã,para tentar uma ficha. Às segundas.
-
Não é uma bosta a saúde do Casartelli?
-
Este é apenas um exemplo, mas "funciona" assim em toda Porto Alegre!!
FEDE!!





* * * * *


ponto do vídeo


Propagandas fantásticas. Uma delas é com o cantorWaldick Soriano. Maravilhosa!!





* * * * *


ponto das respostas


Os três galãs de ontem. Poucos conseguiram acertar. Faltaram mais dicas.

Ruy Gessinger

Nilton Fernando

(clica em cima que amplia)

Na escada, de camisa quadriculada, Adroaldo Guerra Filho



* * * * *


ponto midiático



O PODEROSO - Causou muito frisson o post de ontem sobre Vitor Raskin, o Poderoso!!
Comprovado: NINGUÉM pode tentar se meter com ele.
--
TUDO EM PAZ - Entre Diego Casagrande e o Grupo Band.
Pelo menos é o que circula na redação da Band TV.
--
PAREM AS ROTATIVAS!! - Me informam que Cláudio Brito, o popular carnavalesco Magistrado, disse em um programa na madrugada de segunda, que a Rádio Gaúcha não vai transmitir o Carnaval 2015.
-
Também desistiram das emocionantes transmissões de concursos de misses, de corrida de carros e até mesmo de cuspe a distância!!
--
SENSACIONAL - No Zero Hora, claro!!

Supostas fotos de estrelas de Hollywood nuas são divulgadas na web

Hacker teria invadido as contas das atrizes na nuvem iCloud

-
Tudo nos conformes: "supostas". "teria invadido". Sabe como é, uma dessas estrelas pode processar o Zero Hora. Hahahaha!!!!
Outra: "estrelas nuas". Claro, se estivessem de roupa...
-
Olhem o primor do primeiro parágrafo (não consegui ir além):

Fotos que supostamente mostram estrelas nuas, como a atriz Jennifer Lawrence, foram divulgadas em redes sociais no domingo, no que parece ter sido um ataque virtual de um hacker. Segundo os sites Mashable e Daily Mail, as imagens teriam sido obtidas através de acesso ilegal a contas de armazenamento de dados na nuvem iCloud.
-
HAHAHAHAHA!!!!
E "nuvem iCloud"? Todo mundo sabe o que é essa coisa!!!

--
SOBRE LENTES E PAPAGAIOS - Escreve o Caco Belmonte:

Por necessidade de trabalho, além de caneta e papel, ultimamente tenho andado com máquina a tiracolo. Neste curto período, fiz duas constatações. A primeira é que a maioria das pessoas trata o fotógrafo como arigó; talvez, porque boa parte dos que exercem a função, sobretudo fora das grandes centros, apenas aperta botões no modo automático. Qualquer símio é capaz de disparar um flash, desde que adestrado. A outra constatação diz respeito ao célebre “papagaio de pirata”. Tem vários tipos e alguns são profissionais, capazes de protagonizar mesmo em segundo plano no enquadramento. É quase uma doença, um vício incontrolável, como no caso desta foto, cujo propósito era registrar o resultado de um asfaltamento em avenida de Porto Alegre.


--

PRÊMIO PRESS - Começa nesta quarta, no www.revistapress.com.br o período de indicações para mais um Prêmio Press. As duas primeiras etapas, a do Voto Popular e a do Voto Profissional se estendem até o dia 31 de outubro.
Depois disso, a relação dos cinco finalistas em cada uma das 16 categorias de premiação passará pelo Júri de Lideranças, formado por 30 personalidades do mundo político, empresarial e institucional do Estado. O resultado será conhecido na grande festa, que já está sendo preparada para o dia 25 de novembro, no Teatro Dante Barone.
Esta edição marca o 15º aniversário do Prêmio Press, que já se consolidou como o principal evento de imprensa do Rio Grande do Sul e o maior e mais concorrido prêmio do jornalismo brasileiro.
O mote da campanha de divulgação deste ano tem a ver com os grandes acontecimentos que foram notícia, no Brasil e no mundo, e que mobilizaram os profissionais de imprensa nestes 15 anos. As peças promocionais relacionam fatos que ainda não haviam ocorrido em 2000, primeiro ano do Prêmio Press, como o ataque às torres gêmeas, a posse de Barack Obama, os grandes títulos do Internacional, a Batalha dos Aflitos, etc.
Para este ano, foram planejadas algumas novidades, que ao longo dos próximos dias serão divulgadas.
O Prêmio Press 2014 tem o patrocínio do Sistema Fiergs, Sistema Fecomércio, CIEE-RS, Sicredi, Sinduscon, Sticc e o apoio de Krim Bureau, Sindirádios e Assembléia Legislativa do RS.



* * * * *


ponto da eleição


SIMON, O SONOLENTO - Em 26 de agosto escrevi o post PEDRO SIMON, HOJE, O SONOLENTO
Me enganei feio. PS, na TV e no rádio, está um gurizão! Pra variar, dá um banho com seu discurso direto e franco. O jingle, "a musiquinha do Simon", é um espetáculo. Uma amiga, ao escutar pela primeira vez, saiu cantando. O programa do Simon é muito bom, dá de relho nos demais. A impressão que dá é que o programa do Sartori, candidato ao Governo, é produzido por uma equipe que ainda está no século passado; o do Simon vai na pleura do eleitor.
Olívio sempre com a tradicional pose teatral, roupinhas simples para encarar o ônibus da zona norte; Lasier fazendo o seu comentário do Jornal do Almoço - e quando tenta sair disso passa a impressão de estar numa peça de teatro amador.
Sei não, se cuidem com o Turco!!
-
Não encontrei no YouTube os programas do horário eleitoral deste ano.
Dá uma olhada no de 2006. Quem tem história...





* * * * *


ponto g


SOMOS TODOS RACISTAS

NOTARAM?
Praticamente não houve reação a respeito da denúncia de ontem, no ponto do dia, "1 - RACISMO EXPLÍCITO EM VEÍCULO DA RBS!!.
Curioso. Significa que as as pessoas que leram o post acreditam que é normalíssimo o RH de uma empresa pedir "trabalhador homem e branco". E não foram poucos os que leram - começamos o mês com uma audiência bem acima do normal.
Taí, não é racismo convocar trabalhadores brancos.
Racismo é a guria chamar um jogador de futebol de "macaco".
Entenderam?
Além de racistas, somos hipócritas.
-
Recebo do Daniel Claudio Paredes:

Ilustração do perfil do Daniel no Facebook
Lamento em saber que empresas e empresários tenham ainda preconceito com relação a sexo, idade e etnia, mas é um fato que existe, e contra o preconceito somente educação e gerações para acabar. Mas não entendo como preconceito o termo ideal usado pelo colunista do blog do Loetz, pois ele está refletindo o que acontece na prática das empresas daquela região.
Já sofri com o tal "ideal", certa feita respondi a um anúncio de vaga no escritório de uma revenda de automóveis. Passei a manhã toda em testes para ser então entrevistado por alguém do DP, que ficou de entrar em contato em uma semana. Quando saí do escritório, por volta do meio dia, encontrei um conhecido que trabalhava na oficina da revenda, que me disse que perdera o meu tempo, pois seria o contratado "moça branca entre 22 e 25 anos"; voltei e perguntei no DP se tal era verídico, e me disseram que era e que o anúncio não especificava este detalhe pois a "Lei" proibi discriminação.
Ora, eu e mais umas vinte pessoas perderam tempo porque a Lei impõe um cinismo. A verdade, apesar de dura e cruel, ainda assim é melhor que a falsidade.
Lembrei de certa feita que uma prefeitura abriu 2 vagas para auxiliar de cemitério. Mais de 20 moças e diversos rapazes pagaram a taxa de inscrição, realizaram o teste escrito, todas as moças passaram, mas a contratação se dava em uma ultima etapa que era a prova de capacidade física: abrir uma cova padrão no menor tempo.
Não preciso dizer de qual sexo foram contratados os novos coveiros.

--

O jornalista Raul Rübenich escreve no blog raulrubenich.wordpress.com:

YES, NÓS SOMOS RACISTAS. SÓ NÓS?

Com isso chego a uma parte importante da história atual que colocou outra vez o “Sul” nas manchetes da mídia nacional, fato esse que me deixa intrigado. Aranha, o goleiro do Santos no jogo que condenou a “torcida gremista racista”, havia começado o segundo tempo recorrendo, sem muitas originalidades, àquilo que boa parte – pelo menos dos jogos que eu assisto – dos seus colegas posição recorre, quando o time joga no campo do adversário, está em vantagem mas sente que o tempo restante será longo e penoso, se eles não fizerem nada para melhorar a situação.
O que fez o Aranha? Atrasou ostensivamente, de todas as formas possíveis, o andamento do jogo. Atrás dele, estava a torcida Geral do Grêmio, que fica, nas novas arenas, bem mais perto do campo de jogo. A essa altura, logo se começa a imaginar a mais provável reação dos torcedores ao antijogo escancarado declarado do goleiro. Nomear um porta-voz para reclamar junto a ele, em audiência mediada pelo árbitro e invocando os dispositivos do Estatuto do Torcedor, que fizesse a gentileza de não prejudicar, com seu procedimento, os interesses do Grêmio?
Se assim não fosse, que recorresse à experiência decorrente da profissão, lá em cima lembrada pelo ex-árbitro com quem conversei, para tudo aquilo que fatalmente começariam, os mais desbocados, entre os quais a jovem aquela da manta ostensivamente gremista, a gritar – de desespero, de ansiedade, ou só para bagunçar o coreto?
A resposta, nem o mais tacanho dos torcedores iria errar. E, como declarou Aranha, se a partir dos 30 minutos da segunda etapa ele não suportou mais as ofensas e foi pedir providências a quem de direito, já é um sinal de que esse comportamento dele começou mesmo cedo nessa segunda etapa que pode ter sido terrível para os interesses do Grêmio. Mal ou bem, Aranha se transformou no astro da noite. Pois, se transformados em realidade os prognósticos dos dirigentes da ínclita CBF e dos indignadíssimos comentaristas paulistas, o custo final dessa comprovada erupção de injúrias de caráter racial pode ser, para o Grêmio, muito maior do que foi para o Coríntians, por exemplo, o fato de um dos integrantes da Geral deles ter matado com um foguete – lembram? – um jovem torcedor boliviano, lá mesmo na Bolívia.
Na ocasião, pelo menos do que eu depreendi, houve quem sugerisse, mesmo que “de brincadeira”, a invasão da Bolívia, se o “compañero” Evo Morales não devolvesse os torcedores presos naquele estádio como suspeitos da autoria do crime – por sinal, a mesma palavra define, segundo as nossas leis, matar uma pessoa e/ou lançar uma injúria de conotação racial.

É ASSIM MESMO?
Dr. Fábio Koff, presidente e candidato à reeleição. Está aberto o caminho para a falência do Grêmio. Exagero? Some uma eventual suspensão do mando de campo e os respectivos custos financeiros, a possibilidade de uma eliminação da Copa do Brasil aos pontos que já existem interessados em retirar da nossa tem tão folgada situação no Campeonato Brasileiro, e pense que, na próxima vez que o Grêmio estiver jogando na Arena, e, pra variar, ganhando, a situação pode se repetir, com alguns loucos – da Geral agora suspensa ou de outra organizada, caindo da provocação de ofender um adversário negro – desculpem, não é preconceito, apenas a lei, pois não me consta que chamar alguém de “alemão p…”, “japa…”, “gringo…”, seja proibido – só para levar outra suspensão, perder cada vez mais mandos de campo e, assim, acabar não tendo dinheiro não para a compra da Arena, mas simplesmente para a manutenção de sua posse. E aí?
O Olímpico, tudo indica, já é da OAS, iríamos arrumar outro tanto para construir uma nova arena ou iríamos diretamente para a segunda, terceira, … divisões, sempre jogando em campinhos alugados a preço amigo? Falando nisso, jogando com quem? Algum dos “cracks” em nosso estoque atual admitirá ficar por aqui sem receber seus gordos salários? Eu, lamento informar, não tenho condições de substituir nenhum deles.
“Seo” Antoninho, onde o senhor estiver. O senhor foi um resistente, um lutador contra o preconceito. E ganhou sua briga. Lamento informar que eu estou pessimista, entendendo que aquela carga de preconceitos cuja existência comecei a descobrir observando – e, confesso, até não entendendo – a sua entrega, para o que desse e viesse, ao azul, preto e branco cantada pelo Lupicínio Rodrigues, parece um tanto sem rumo. Por isso tomo a liberdade de lhe pedir que interceda, aí nas Alturas, para que os bandidos – de todas as cores, não só os daquelas longínquas matinês no Cine Goio-En, em Montenegro – não ganhem essa briga. Mesmo não sendo um modelo de religiosidade, garanto que o “Seu” Ribiniche entraria com força total nessa briga.



* * * * *


ponto da piadinha




-





* * * * *


ponto final



ELA ANUNCIA A SATANÁS QUE ENTRARÁ NA POLÍTICA

O show começa no minuto 9. Vai direto.




-

Da www.novaagenciagospel.com.br:

Na íntegra:

Ana Paula Valadão diz que apoia Marina Silva

Ana Paula Valadão declarou hoje sua posição eleitoral para presidente , elogia a candidata a presidência Marina Silva e diz que apoia totalmente sua candidatura , Ana ainda diz que ora por isso , ora para que Marina Silva seja nossa futura presidente. E convida a todos para estarem ligadinhos hoje no debate as 22h na Band .
Assim com Ana Paula Valadão muitos cantores tem demostrado o interesse em determinados candidatos , devemos sim conhecer cada um dos candidatos para então tomar  uma decisão consciente do nosso voto .
Não é pecado falar de política , é pecado se vender por um voto , Não é pecado falar de política dentro da igreja , afinal é do nosso país que estamos falando. Vamos aprender a dividir o que é correto do que é errado . Amo meu país e prezo por um futuro melhor com a paz de Deus .
”Em homenagem à minha candidata , oro para que ela seja minha futura presidente!
Hoje vou assistir e orar pelo debate na Band às 22h
Sou Marina 40  Eu não vou desistir do Brasil ”
afirma Ana Paula Valadão – Líder do ministério de louvor Diante do trono .

5 comentários:

  1. Prévidi, tu quis dizer que não houve comentários indignados pro teu blog, do anúncio procurando gente branca veiculada na RBS, mas na própria reprodução do anúncio no teu site, vê-se lá 23 comentários indignados com a cor da pele como condição.
    E, outra, Prévidi: concordo que há hipocrisia neste (e em qualquer caso de preconceito, sejam ele de qualquer natureza), mas isto não pode ser usado como justificativa pra não punir a moça, até porque a hipocrisia tá no fato de que esses casos de preconceito são levantados, na maioria dos casos, por pessoas que se enquadram no próprio estereótipo do 'dominador' que é basicamente, homem e branco, por isso a hipocrisia, pois é como estar 'cortando a própria carne'.
    Mas, sinceramente, teria muita curiosidade em duma hipotética enquete feita com todos os grupos (pessoas de outra cor que não a branca, mulheres, etc.) que são as tradicionais vítimas dos preconceitos dos homens brancos, acerca de quantos se sentem ofendidos, por exemplo, com esses termos jocosos que tu expuseste aqui (macaco, loira burra, japa de pau pequeno, etc.) e que se sentem desestimulados a externar insatisfação para não incorrer na pecha de ‘mal-humorados’, ‘malas’, ‘não saberem levar na esportiva’, etc. Aqui cabe bem aquele dito popular: quem bate, esquece rápido; quem apanha, não esquece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. então, pelo que entendi, é prender a idiotinha, expulsar desse paraíso que é o RS ou, quem sabe, até cumprirem as promessas de morte.
      é isso?
      Pelamordedeus!!

      Excluir
    2. Prévidi: não é personificar na tua pessoa, mas como tu te enquadras no estereótipo do que chamei antes de ‘dominador’, no final das contas, acabas ou 1) sendo hipócrita-demagogo se se posiciona contra esses preconceitos diversos ou 2) sendo honesto ao não dar a mínima pra essas ofensas, pois não sofre essas desditas mesmo!
      Repito o que escrevi antes: teria muita curiosidade em saber dessas pessoas que são tradicionais alvos desta má-educação coletiva ‘inconsciente’, quantos ficam ofendidos, mas se veem obrigados a sufocar a insatisfação, pois, numa total inversão de valores, ainda podem ser criticados por aqueles que lhe ofenderam e nem se tocam, afinal de contas, esses não têm culpa de nascerem naquele grupo social (ou racial ou étnico ou de gênero ou cultural) que lhes permite estar acima do bem e do mal para quaisquer convenções sociais, a ponto de não se preocupar em dizer o que lhe der na telha pode criar quaisquer tipo de mal-estar junto ao seu interlocutor.
      Especificamente quanto ao caso da guria gremista: pois é...é hipocrisia transformá-la na personificação do racismo, enquanto essa mentalidade persistir de forma difusa e enraizada, mas acho que hipocrisia maior é achar que tá tudo normal, tipo aquela tese que, sei lá por que razão, de quando em quando lê-se no Brasil, de que vivemos numa sociedade multirracial harmonizada, pois ‘aqui ao contrário dos EUA, não há casos como aquele que estourou semanas atrás do jovem negro morto por policial branco que gerou revolta’, rsrs.
      Aliás, quanto a isso, não sei como está teu inglês, mas de qualquer modo te deixo esse link abaixo pra te ver que o assunto está em aberto lá também.
      http://www.nytimes.com/roomfordebate/2014/06/08/are-reparations-due-to-african-americans
      Por fim, com o devido pedido de desculpa por torrar a paciência incorrendo numa sociologia ‘rasteira, de mesa de bar’, ao usar outras palavras para descrever o que escrevi antes, a hipocrisia está no fato de que, no fundo, no fundo, não há por parte dos brancos um sentimento de culpa legítimo com o racismo, pois confrontar e matar gente de outras raças, sempre esteve no cerne da relação dos brancos com as outras etnias/raças. Aqui nas Américas, ao menos, não é assim desde a chegada do Colombo? Com relação à África e ao Oriente Médio, também né? O Huntington é até modesto se ele acha que o choque de civilizações só explica os conflitos deste e do passado séculos...daí a ‘surpresa’ porque, ‘de repente’ vira ‘crime’ (até imprescritível e inafiançável (!)) a gente chamar o cara disto ou daquilo, rsrs. É verdade! Tudo culpa do ‘politicamente correto’, porque o ‘incorreto’ já foi feito mesmo: guerrear, dominar e escravizar outros a fim de pôr a civilização europeia, cristã, ocidental no ‘topo’, a ponto de poder-se ‘autoflagelar’ sem se preocupar com maiores questionamentos sobre nossa civilização.

      Excluir
    3. hipócrita-demagogo.
      isso é preconceito.
      ofendidíssimo.
      -
      muito longo.

      Excluir
  2. Durante os 15 anos que fui editor-chefe de revistas e um jornal na Europa, fui treinado a não perguntar (ou exigir que esteja no currículo) a idade dos candidatos a qualquer posição em minhas redações. Achava isso ótimo, pois assim não caía na armadilha de achar que os mais velhos teriam menos gás para o trabalho. Também não era aceito perguntar se o indivíduo era casado ou solteiro. Etnia, então, nem pensar. E tem que ser assim, mesmo. A verdade é que entrevista de trabalho nunca mostra, de verdade, a capacidade do entrevistado. É como julgar um namorado(a) pelo primeiro encontro, onde ele(a) mostra tudo o que tem de bom, mas, evidentemente, suprime seus defeitos.

    ResponderExcluir