Sexta, 21 de novembro de 2014



Atualizado diariamente até o meio dia.
Eventualmente, a tarde, notícias urgentes.










um Bom Dia! especial




Para  o Augusto Leitão, meu ex-vizinho na avenida Venâncio Aires e, agora, vizinho de praia - ele vive com a família em Jardim Atlântico, ao lado de Oeisis International. Trabalhou na Assembleia Legislativa e é um baita poeta. É um amigão!









ponto do dia




 A FALTA DE PODER DEVE DOER
MUITO NOS QUE MANDAM NA RBS




Nos áureos tempos da Companhia Jornalística Caldas Júnior, quando o doutor Breno Caldas atravessava a redação do Correio do Povo, arrumando o seu chapéu, todos sabiam que ele iria resolver alguma bronca. Não foram muitas as vezes que foi ao Palácio Piratini. Mas sempre quando foi, conseguia o que queria. Mandava os governadores fazerem o que ele queria.
Até que seu império começou a ruir e aí o último governador nomeado, Amaral de Souza, resolveu enfrentá-lo e deu um empurrão definitivo para que caísse na falência.
O Seu Maurício, dono da RBS, não era muito diferente. Quando queria resolver alguma coisa que o incomodava, chamava o motorista e rumava para o Piratini. Resolvia. Até que se cansou dessa rotina e decidiu que seria ele o governador do RS, através do voto popular. Quando estava escolhendo o partido para se filiar, aquela doença que não escrevo o nome lhe pegou e todos sabem o final.
-
Doutor Breno não teve sucessores, mas o Seu Maurício fez o filho Nelson o presidente do Grupo. E o doutor Nelson herdou o poder do pai. Tinha a prática de destratar e mandar nos políticos. Sempre tentou - e conseguiu - impor as opiniões que beneficiavam o Grupo.
No final do século passado, quando a família Sirotsky se deu muito mal, ao se meteu com grupos bilionários da telefonia, o poder diminuiu consideravelmente. Como consequência o faturamento foi diminuindo até que as coisas ficaram feias neste século. Está aí o grupo Gávea Investimentos que não me deixa mentir.
-
Século 21, os anos foram passando e o poder da RBS foi diminuindo e o desespero da família aumentando, porque estavam acostumados a administrar o Estado junto com o governador.
Bateu o desespero, mesmo, agora, com a eleição de José Ivo Sartori. Neste período de formação de Secretariado, a RBS, normalmente, estava especulando e sugerindo nomes, vetando os que não lhe agradavam. Uma festa!
Agora, não. Estão sem chances de meter o bedelho.
-
Vocês sabem o respeito e consideração, além de uma velha amizade, que tenho pelo jornalista Tulio Milman. Mas ele escreveu um artigo que expressa esse sentimento de frustração do Grupo RBS. Parece até "a voz do dono", mas o Tulio não faria isso. É a sua opinião mesmo.
Confira no http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticia/2014/11/tulio-milman-bem-vindo-ao-poder-sartorao-da-massa-4645836.html
-
O desespero é tamanho que vejam o que a colunista Rosane de Oliveira escreveu hoje:

SELEÇÃO DISCRETA
Fiel ao estilo cauteloso, o governador eleito, José Ivo Sartori (PMDB), já começou a escolher os nomes para compor o seu secretariado. Na última semana, o ex-prefeito de Caxias do Sul intensificou os contatos com os dirigentes de partidos aliados e tem feito inúmeros telefonemas para buscar referências sobre os candidatos a integrar a equipe.
Sartori tem como hábito consultar várias pessoas sobre o perfil do possível secretário, principalmente aqueles que passam informações negativas a respeito dos indicados.
-
Ou seja, não disse nada.
-
O poder é muito bom.


* * * * *



ponto midiático



ATENÇÃO! BAITA NOVIDADE!!
TEMPORADA DE PRÊMIOS DO ZERO HORA!!
Final de novembro e durante todo dezembro o Zero Hora anuncia que "ganhou" um prêmio. É assim há anos. E os "executivos", comedores de sucrilhos com nescauzinho, também "ganham" prêmios e mais prêmios.
O Dudu, que alguns chamam de Duda, mesmo antes de assumir a presidência do Grupo RBS, "ganhou" vários prêmios. É sério!!
Hoje, leio que o Zero Hora é o VEÍCULO DO ANO do Salão da Propaganda (afinal, é um excelente BV, não?)
-
E ontem teve mais um, para fortalecer a soberba!!


--

SE VERDADEIRA, A MELHOR DO ANO!!

Recebi de vários amigos. Não posso duvidar, mas...
Sabe como é que é, Santa Maria não é Curitiba! Hahaha!!!!




--

FRIEUI - Há tempos que tenho a certeza de que a Revista FreeWay é a maior sacada em circulação no RS. Além da qualidade editorial, o publisher Fernando di Primio não sofre com o principal problema de qualquer publicação, a distribuição. É simples: quem passa pelo pedágio de Gravataí, durante o verão, recebe a revista.
Não passa pela friuei, porque gosta de sofrer em Porto Alegre?
Então tá, o Fernando dá uma chance: http://issuu.com/diprimioeditora/docs/freeway.ed-39
E dá uma olhada na página 34. Brilhante!!

--

OLHA ESSA DO "VEÍCULO DO ANO"

Revista PenseCarro

Sedã Jaguar XE será importado ao Brasil

-
Não é mais racional?

Brasil vai importar o Jaguar XE

--

ESTÚDIO "MILIONÁRIO" PRA ISSO?

Recebo:

Sintonizada na Rádio Gaúcha ontem à tarde ouvi uma entrada ao vivo da Gaúcha Serra que me deu vergonha de ser jornalista. A menina da Serra, ao vivo no programa do Staudt, deu um boletim sobre um incêndio no Parque da Florybal.
Todas as fontes dela eram testemunhos nas redes sociais. Mas o pior foi quando o Staudt insistiu em saber se o parque estava aberto e ela disse que não sabia, mas que testemunhos nas redes sociais diziam que crianças saíram correndo de dentro do cinema.



* * * * *



ponto midiático especial



ELES NÃO TÊM VERGONHA NA CARA!


Como não recebo mais os releases da RBS, tenho que saber das "novidades" do Grupo pelos blogs e sites amigos. Ontem à tarde, li um release na coletiva.net que me deixou de boca aberta e ao mesmo tempo com vontade de dar uma porrada em alguma coisa - o que não é nada normal.
Olha só:
A transmissão dos programas Gaúcha Hoje e Atualidade, da Rádio Gaúcha, irá marcar a inauguração do novo estúdio da emissora, anunciado como “o mais moderno do gênero da América Latina e um dos mais modernos do mundo”. O estúdio oferece maior área, com vista para a Avenida Erico Verissimo, mais posições na mesa de apresentação, mais câmeras para transmissões ao vivo por vídeo, infraestrutura para captação de instrumentos musicais e acesso simultâneo a seis canais de tevê com monitores de LED. No mesmo dia, serão inauguradas sala de produção e de operações. O investimento total foi de R$ 4,5 milhões.
Isso, a canalhada anuncia justamente na semana em que demitem repórteres, editores, técnicos, telefonistas, além de profissionais da área administrativa. Cara de pau é pouco para definir essa gente! Um "dos mais modernos estúdios do mundo" para um desfile de bobagens diárias e repetitivas.
Mas o mais interessante é a opinião dos comedores de sucrilhos com nescauzinho:
O presidente jovem e tímido disse que "... para oferecermos ao nosso público o melhor produto e aos nossos colaboradores as melhores condições de trabalho”.
Adiante, leia a pérola: "“reforça nossa crença e materializa o compromisso com a evolução permanente da nossa empresa e do nosso negócio”.
Pleni, o idiota, também meteu a colher:
- A Gaúcha continua em evolução constante, em ‘revolução permanente’, e este é mais um passo para manter-se à altura do que é esperado de seus públicos, on air, online e anunciantes”.
Ui!!
-
Marcus Vinicius Schil, que trabalhou oito anos na Gaúcha, escreve:
Na redação de qualquer veículo de comunicação de São Paulo, existe uma máxima que é: duvidar sempre e investigar quando o release vem com o título - MAIOR DA AMÉRICA. Qualquer evento, show, restaurante, boteco ou circo, é o maior ou mais moderno da América. Então amiguinhos, não acreditem em tudo o que vocês lêem, ouvem e vêem. Não existe o ESTÚDIO MAIS MODERNO DA AMÉRICA em Porto Alegre. Pode existir UM DOS...e ponto final. Isso é a velha megalomania, que nos assombra, pelo simples fato de subestimar a nossa inteligência. Arrogância no trato com a informação. O que imperdoável para qualquer meio de comunicação que se preze e que tenha ética. A mim não enganam, aliás, nunca negaram! Me salvem colegas do centro do país, existe ou não esse cuidado com os releases de MAIOR DA AMÉRICA?
-
Pura conversa fiada essa soberba desses sucrilhistas da RBS.
Em Livramento, fronteira com o Urugaui, tem a RCC FM. Lá, sim, não tem conversa fiada e os caras têm um baita estúdio, que certamente os bobalhões nem tem ideia.
Leia:
A RCC FM foi pioneira na utilização do Sistema RDS Radio Data System da Positron, que possibilita a transmissão da identificação da emissora, das musicas em execução e dos patrocinadores dos programas veiculados nos automóveis com sistema compatível, bem como, em aparelhos celulares a televisões e Mp3. Igualmente, a emissora foi pioneira na Região Sul (Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná) na transmissão do seu sinal no celular mais vendido no mundo, o Iphone.
Agora conheça a RCC FM:






-
Entenderam, comedores de sucrilhos com nescauzinho?



* * * * *



ponto da perguntinha



Quem será o executivo onanista da TV Pampa que manda, todos os sábados, reprisar, ad eternum, episódios do tal teste de infidelidade? O sujeito deve gostar muito do silicone das dançarinas...



* * * * *



ponto dos caninos e felinos



ESSA É DE FÉ! EU CONFIO!
(duvido que exista alguém que goste tanto dos animais)


Dona Chica, nossa 'dinossaurinha' de 17 anos,
dando cabeçadinha do amor logo de manhã cedo
(foto tirada pelas 7h) e deixando
a hora de arrumar a cama leve, doce e feliz. 


Nem todo mundo pode viajar e levar o gatinho (felino!!!) junto. Além do mais, os bichanos são criaturas do tipo adoráveis mas que curtem mesmo é ficar em suas casas. Então, para dar tranquilidade ao viajante e bem-estar ao animalzinho, a jornalista Adriana Schnell oferece o serviço de cat sitter chamado Ronrona pra Tia Cat Sitter (wwww.facebook.com/ronronapratia) em Porto Alegre.

Em menos de um ano de Ronrona pra Tia (ronronar é uma habilidade estritamente felina, equivalente ao som de um ronco suave, e que o gato produz quando se sente muito bem, por isso o nome do serviço), a Adriana já atendeu mais de 100 gatos diferentes e que pedem bis toda vez que seus donos saem em viagem (férias, trabalho, rápidas fugidas da cidade) ou até mesmo pra quem passa muito tempo do dia longe de casa ou está fazendo algum tratamento médico e não está dando conta de cuidar do pet.

Em média, a visita da jornalista-e-babá-de-gato leva 45 minutos (quando são mais gatos, um pouco mais). Nesse período é feita a higienização da caixinha sanitária e dos potinhos, são repostas ração e água. Se é um gatinho que gosta de ser escovado, ele é escovado. E, claro, dentro da rotina do felino, são feitas brincadeiras e carinhos de que ele gosta.

Antes, há sempre uma visita inicial à casa, para conhecer os donos/tutores e saber dos hábitos e recomendações e para apresentar o serviço. A Adriana sempre solicita que o dono do gato indique um veterinário, caso o gatinho precise de algum atendimento (nunca precisou, ela conta feliz!). Mas a parte que acaba fazendo mais sucesso do serviço todo é que todas as visitas são relatadas em texto e imagem, para que os donos possam matar a saudade. Tem gatinho, inclusive, que participa de ‘conversas’ por Skype com seus donos!

O valor da diária (independentemente do número de animais, até uma hora de serviço) varia entre R$ 25,00 e R$ 45,00, conforme a localização da residência. O pagamento é sempre feito ao final do período e pode ser parcelado.

Para contatar a Adriana e a Ronrona pra Tia acesse www.facebook.com/ronronapratia ou www.facebook.com/adrischnell ou o (51) 9768-1127.



* * * * *



ponto g



SILÊNCIO ENSURDECEDOR DA SENHORA PRESIDENTE
(sobrou até para o doutor Gadret)

Escreve o advogado e pecuarista Ruy Gessinger - ruygessinger.blogspot.com.br

Como parece difícil rebater a tese do dr. Nestor Hein de que o gene da corrupção está encriptado no DNA brasileiro ( e eu acho que não é assim, pois em outras latitudes há coisas piores), eu andei ficando na minha e cuidando do  meu  lado e das famílias que dependem de meu timonear.
Mas, senta aí e me escuta, caro leitor, cara leitora, caro leitorzinho.
Pombas! é uma comédia bufa essa corrupção  na Petrobrás. Assim, como dizem os paulistas, assim: os crimes da Petrobrás não eram cometidos com requintes, cuidados, códigos. Nãããããnãnã.  Tudo à luz do dia, como esses chinelões que executam outros sob o sol a pino ali na Vila Caída do Céu.
Mas a  senhora, dona  Dilma se mantém calada e muda. Sei que é por indignação, pois nunca vou esquecer uma audiência em que ela era a testemunha de um Prefeito lá na 4. CÂMARA, quando ainda não era presidentE ( presidente e não presidenta como insiste, solitário, o Gadret, do alto de seu trono Pampeano. Gadret, eu sei que tu não o  fazes por intenção subalterna, mas pelo amor sincero que nutres à nossa PresidentE ), em que ela disse ao réu o seguinte:  quero que tu te rales se fizeste malfeitos).
Mas Dilma tem que bater na mesa e fazer um escarcéu. Botar na rua os" suspeitos", como gosta de assinalar a escola RBS, e os insuspeitos ,mas que estão no Governo.
Todo mundo pra rua, senhora PresidentE !
Assim como está, lamento lhe dizer, a senhora não termina seu mandato.
Cordialmente, um eleitor da senhora e do Lula, mas que agora vai pensar melhor.

--

SARTORI COM PREFEITOS - O governador eleito José Ivo Sartori estabelecerá uma relação direta com os prefeitos. O compromisso foi feito durante Assembleia Geral da Famurs na manhã de ontem. Durante o encontro, que contou com a participação de prefeitos que integram a diretoria da entidade e que presidem as associações regionais de municípios, Menegaz disse que os municípios estão prontos para colaborar com o governo, ajudando a superar a crise financeira e a falta de recursos para investimentos. Sartori determinou a Carlos Búrigo que inclua os prefeitos, por meio da Famurs, entre as entidades que estão sendo ouvidas pelo grupo de transição do governo estadual. “Estabeleçam suas prioridades e podem inclusive manifestar como esperam a administração geral do Estado e vamos debater juntos”, afirmou o governador eleito.
Sartori revelou que provavelmente será preciso recorrer a financiamentos para recuperar a capacidade de investimento do Estado. “O governo tem que estar focado nas pessoas. Tem que funcionar melhor para atender melhor as pessoas. E é isso que vamos fazer, usando os meios que forem necessários e pertinentes”, declarou. O governador eleito brincou que quer fazer uma grande parceria com os prefeitos para repartir as dificuldades. Reforçou que vai priorizar a eficiência na gestão, inclusive mudando e aperfeiçoando as concessões de licenças ambientais, e vai perseguir a inovação. “Temos que ser criativos, percorrer novos caminhos, buscar novas soluções para o Rio Grande”, apontou.
-
Recebido com aplausos, Sartori chegou na Famurs 10 minutos antes do horário marcado, às 11h. Antes do seu pronunciamento, o ex-prefeito de Caxias do Sul ainda propôs a todos que se apresentassem. “Visitei muitas regiões durante a campanha, mas agora quero conhecê-los pessoalmente”, explicou. Seu pedido agradou os prefeitos que ressaltaram o gesto como uma sinalização de que Sartori estará aberto ao diálogo. A cada apresentação, Sartori fez um comentário bem-humorado ou que indicasse uma ligação com a cidade ou região do prefeito.
 -
Assembleia Geral
Durante o encontro de prefeitos, o presidente da Famurs, Seger Menegaz, informou que a emenda orçamentária para a assistência social, solicitada pela Famurs, foi aprovada pela Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa. A proposta agora depende de acordo em Plenário para reforçar o caixa das prefeituras em 2015 e beneficiar mais investimentos em serviços socioassistenciais nos municípios. Na ocasião, o juiz corregedor do Tribunal de Justiça (TJ/RS), Ricardo Pippi Schimdt, apresentou aos prefeitos a proposta de redução das ações judiciais movidas pelos municípios para a cobrança de dívidas ativas. A proposta é reduzir o número de processos de execuções fiscais que tramitam na Justiça Gaúcha.
O presidente da Federação ainda aproveitou a reunião para realizar alguns informes. Os próximos encontros do programa Famurs Pelo Rio Grande de interiorização serão em Santo Ângelo (27/11) e Frederico Westphalen (28/11). Com relação a Assembleia Geral de Verão, foram definidas as datas do tradicional encontro de prefeitos no litoral norte do Estado. Será entre os dias 25 e 27 de fevereiro, em Capão da Canoa.

--

A FEIRA DO LIVRO MORREU - Há anos que falo e escrevo que a Feira do Livro de Porto Alegre perdeu sua principal característica. Os verdadeiros autores e seus livros têm papel secundário. Muita gente concorda com isso, mas ficam queitos; outros, não.
O advogado Vilney Riter é um desses:
Fecho em gênero, numero e grau. Deu para a nossa Feira do Livro. Não há mais nada que a justifique na Praça da Alfandega. É preciso repensá-la como evento e atração para reunir os moradores de Porto Alegre, região metropolitana e do interior.
Precisamos um local fechado, terreno não hostil, ar condicionado, proteção aos expositores (roubos, depredações e intempérie). Passei por lá no dia 14 e não aguentei. Não sou o único a pensar desta forma.
Veja que pipocam bienais em todo o país. Fixo-me na de BH, print abaixo, para que discorras a respeito. Lá estão esperados mais de 150 autores. Quantos vieram aqui?
Não me venha com a justificativa do conservadorismo. Repensar, modernizar e retornar a ser um evento cultural é uma imposição. Duvido que em um sistema de cotas, não possamos reunir a iniciativa pública e privada para realmente dar um salto de modernidade na tradicional Feira do Livro.



* * * * *



ponto da piadinha







* * * * *


ponto final



HISTORINHA DO FERNANDO ALBRECHT





Louco para fazer um agrado na namorada de mais de 15 anos de abracinhos e beijinhos e o etc de costume, um executivo de Porto Alegre resolveu fazer as alianças “de comprometimento", como ele diz. Foi a uma joalheria muito famosa da praça e caprichou na encomenda. Gastou todos os tostões da poupança e comprou uma das mais caras. Fez o pedido clássico, o nome da amada na aliança dele e vice-versa.
Dias depois, quando foi buscar as alianças, a vendedora da joalheria perguntou se a namorada dele era muito ciumenta. Diante da pergunta inusitada e antes da resposta, a vendedora disse que o responsável pela gravação das alianças havia gravado o nome de Elma. Nas duas.
- Elma? Mas quem diabos é Elma?
Meio que sem jeito, a funcionária explicou que era o nome da marca dos anéis sagrados, e que quem a gravou cometeu um engano. Provavelmente um daqueles enganos que se comete após várias doses além do dever. Acreditando que estava lidando com anta, a vendedora foi além.
- Quem sabe o senhor leva as alianças mesmo assim?
Se o executivo tivesse dado um tiro na vendedora, talvez fosse absolvido alegando violenta emoção. Alguém com mais senso de humor teria sugerido que a joalheria gravasse a palavra Chips depois do Elma. Aí fechava todas, a nubente poderia até rir muito. Isso se ela tivesse um senso de humor fantástico e as alianças fossem um gentil oferecimento da tal joalheria.


Um comentário:

  1. O Maurício era considerado brizolista pelos ditadores de plantão, o Fernando Ernesto era seu homem para relacionamentos com Brasília, no Estado o cara era o Fehlberg e aqui em Porto Alegre o Paulo Santana. O Breno caldas era menosprezado pelos militares e um colunista que que dividia a mesa de carteado do Leopoldina Juvenil com diversos fardados era que fazia o meio de campo entre a empresa e as autoridades.

    ResponderExcluir