Terça, 6 de janeiro de 2015



Atualizado diariamente até o meio dia.
Eventualmente, a tarde, notícias urgentes.








ponto do paraíso



NÃO TENHO VOCAÇÃO PARA OPOSICIONISTA DE CARTEIRINHA





Tem gente que não acredita, mas não estou preocupado.
Torço para os prefeitos, governadores e presidentes. Quero viver numa cidade, num Estado e num país legal. Simples. Claro que se o cara começar a fazer bobagens, sento o pau. Normal.
Lembro que nos primeiros meses do Governo Tarso Fernando, em 2011, levei livre vários pontos que não concordava. Aumento de cargos, criação de Secretarias, promessas e mais promessas. Mas abri a boca foi na bobagem de começar a cobrar a inspeção veicular, especialmente dos carros novos, deixando os cacos livres para circularem sem nenhum controle.
-
Agora, o governador José Ivo está levando porrada porque não vai nomear os aprovados no concurso da Brigada Militar. Além disso 650 novos policiais civis vão esperar sentados, já que foram  convocados no final do mandato de Tarso Fernando
Lembro de apenas uma matéria na Folha de S.Paulo, edição de 29 de março de 2011:
Em menos de três meses no poder, o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), já criou mais de 500 novos cargos na estrutura administrativa do Estado.
Desses, 330 são cargos de confiança, cuja nomeação é feita sem concurso ou, em caso de funcionário já concursado, com gratificação extra. Outros 208 ainda serão preenchidos por concursados no futuro.
Com maioria na Assembleia, Tarso teve aval dos deputados estaduais para expandir o gasto com pessoal.
Sob o petista, o primeiro escalão passou a ter 30 secretários -cinco pastas a mais do que a antecessora, Yeda Crusius (PSDB).
-
Tarso Fernando assumiu o governo, como dizia, falido das mãos de dona Yeda. Mas fez o que bem entendeu e não tinha oposição nem mesmo dos chamados meios de comunicação.
José Ivo também afirma que o Estado está falido e está fazendo o que acredita ser certo.
Ponto.
-
Vamos nos acalmar.

--

A CONFIANÇA FOI  PRO BREJO





Recebo:

Parece que está passando despercebido a Liquidação Extrajudicial da Confiança, a maior seguradora do RS - faz ou fazia parte do Grupo GBOEX. A Confiança foi administrada por militares geralmente reformados, com belos salários, muita mordomia e muita incompetência. Quebrar uma seguradora não é para qualquer um, são muitos funcionários e um grande patrimônio.
Outra coisa que não sei como está funcionando. Vai na Rodoviária e pede uma passagem, perguntam com ou sem seguro, se a resposta com seguro, na passagem sai Confiança Companhia de Seguros.
-
Tóing!!

--

PICARETAGEM ADIADA - Teremos mais 90 dias para comprar o "novo" extintor de incêndio para carros. O único país no mundo que tem esta exigência.

--

A LÍDER E A AUTORIDADE DAS CHEFIAS





Perfil oficial em  dois emails:

1 - Era uma vez três jovens jornalistas contratados como repórteres pela Rádio Gaúcha.
 Alvaro Andrade, que era chefe de reportagem de uma TV local, chegou na condição de setorista de política. Emanuel Soares foi trazido da CBN Diário de Florianópolis, rádio da RBS com programação da Globo, com promessa de crescimento profissional na líder de audiência. A família dele mora em Porto Alegre. Evelin Argenta ingressou na RBS depois de se aprovada pelos rigorosos testes e avaliações para a seleção de estagiários. As atividades foram boas e ela foi contratada como repórter.
Os três com desempenho acima da média.
Estes três repórteres cometeram um erro: criticaram o "Quadrilátero Infalível do Auto Elogio" (Pleni, o editor-chefe Daniel Scola e as chefes de reportagem  Milena Schoeller e Andressa Xavier).
Vejam o absurdo: num grupo fechado do WhatsApp criticaram o foco policialesco dado a cobertura de um caso de estupro. Disseram que a cobertura esqueceu de abordar o lado emocional, social, econômico, sentimental das envolvidas. Os comentários vazaram. Foi o critério para demiti-los, mas o argumento oficial  foi de redução de despesas e saíram na leva anunciada pelo presidente jovem e tímido do poderoso Grupo.  O chamado Quadrilátero não suporta críticas (apenas as minhas). Outros bons jornalistas já tinham sido dispensados antes por motivos parecidos. Escapou um produtor integrante do grupo porque os  chefes não tinham mais pessoal para os programas. Ele foi avisado que não participava mais da confiança do Editor-Chefe.
Que violência!!
-
Aliás, muito elogiei o editor-chefe como repórter. Um grande repórter. Aí virou chefe e para se manter no emprego faz qualquer negócio.
-
2 - Assistimos várias coisas injustas aqui na Rádio Gaúcha. Uma delas foi no fim do ano passado a demissão de vários colegas que saíram por estarem com nota baixa no Superação, por não caírem no gosto de alguns chefes ou no caso de três que foram demitidos juntos, uma fofoca. Os que ficaram estão cheios de trabalho e ainda ficam sofrendo pressão. É um ambiente em alto nível de stress que chega a ser belicoso.
Tenho a impressão que o quarteto fantástico (gerente, editor chefe, chefe de reportagem e chefe do esporte) pouco tem notado que a insatisfação é geral. Um dos motivos é que os que tem o dom do poder se cercam de pessoas erradas como o caso de uma chefe de reportagem que ganhou a vaga de co-apresentadora no Gaúcha Repórter. A pedante Andressa Xavier não trata bem os repórteres e quando alguns deles sugerem matérias, ela sempre apresenta seu tradicional rompante. O editor-chefe, Daniel Scola, abre a boca para muito pouco.
É detestável as panelas e a forma de gestão por aqui.
Tempos difíceis para os meios de comunicação estão vindo. Não sabemos o que 2015 vai aportar, mas se continuar assim, um grande comunicador aqui já disse, a emissora vai fechar as portas. E aos colegas que foram demitidos, foram presenteados com a maior sorte do mundo. Só de não estarem aqui dentro, o ano de vocês começou com o pé direito!

--

O GIOVANI GRIZOTTI





Conheço o repórter GG há mais de 10 anos. Foi no tempo em que editava a revista Press. E sempre nos falamos com regularidade - isso não deve  descer bem para os comedores de sucrilhos com nescauzinho da RBS. Por seu um bom repórter sempre despertou sentimentos menores de alguns colegas. Bom repórter, não: o cara se especializou em matérias investigativas na Rádio Gaúcha, RBS TV e, mais recentemente, na TV Globo.
Durante este tempo fiquei chateado com ele raras vezes- e até dei o motivo. Uma das matérias foi com uns amigos que trabalhavam na sede do PDT em Porto Alegre e ele "denunciou" a irregularidade, porque eram funcionários da Assembleia gaúcha.
Tudo bem.
Por outro lado inventei de chamar o Acampamento Farroupilha de Favelão Farroupilha e ele, gauchinho de Barros Cassal, ficou louco.
-
Vocês notaram que ele estava sumido há meses? Claro, estava fazendo esta matéria sobre a roubalheira com as próteses. Pode até ser que esta denúncia de um crime tão ou mais grave do que  o da Petrobrás não dê em nada, mas ele fez o seu papel como sempre.
E me orgulho muito de dizer que somos bons amigos.

--

MUITO BOA - No Zero Hora online, antes das 7 da matina:


-
Aí se deram conta da bobagem:

Mais amargo

Preço faz consumo de erva-mate

cair 20% no Rio Grande do Sul



6 comentários:

  1. Conheci o Grizotti quando participava de um programa de rádio em Capão da Canoa. Lembro que de sacanagem afirmei aos ouvintes que iria descrevê-lo de modo que pudesse ser identificado facilmente. Ele ficou congelado. Então o descrevi como sendo muito magro loiro e com cerca de dois metros de altura. Abriu-se um sorriso no rosto dele. No intervalo ocorreu uma gargalhada coletiva no estúdio.
    O irmão dele que vive aqui no litoral é quase seu sósia. Se fossem gêmeos não seriam tão parecidos.
    Ele é um batalhador. Espero que essa quadrilha composta inclusive por médicos seja enfiada na cadeia e a chave da jaula jogada fora.

    ResponderExcluir
  2. Não tenho opinião formada sobre o Giovani Grizotti. Trabalha bem, reconheço, mas considero desnecessária a puxada de saco, ontem pela manhã, no TimeLine (com David Coimbra, direto de Boston! Bom dia David!). Olha a frase do Grizotti:
    "No Brasil, ninguém resiste a uma boa e profunda investigação. Só o Duda Melzer..."
    Se era puxação de saco, valeu um bom bônus de fim de ano.
    Se for verdade, Duda Melzer é o modelo de brasileiro, no mesmo patamar de Santos Dumont, Airton Senna, José Bonifácio e Tiradentes.
    Mas se foi ironia, tô louco pra saber que gato pode sair dessa tuba.

    ResponderExcluir
  3. Se fosse o Tarso que tivesse bloqueado a nomeação toda a imprensa gaúcha estaria fazendo matéria sobre a falta de respeito do governo com os aprovados.
    A capa da Zero Hora seria com os aprovados que não foram chamados.
    O pior é que esse decreto do governador não se restringe apenas a Segurança. Também envolve a área da Saúde e Educação. O próximo passo será o aumento de impostos. Engraçado que a situação do estado está tão preta, mas o aumento do próprio salário e dos demais coleguinhas o governador não vetou. Bota palhaçada nessa história.

    ResponderExcluir
  4. Ufa! Finalmente tu voltou! Recentemente estive num lugar sem internet e TV a cabo, e para minha desgraça, só pegava bem a RB$...que desgraça! Ao parar para assistir, devido a um dia muito chuvoso, percebi porque esse grupo está indo pro brejo, ou melhor, já está no brejo!!!

    ResponderExcluir
  5. Participo de outro fórum na Internet, espacializado na Tv digital aberta brasileira e sua programação (HtForum) - sou técnico em eletrônica...
    Alguns colegas daquele fórum começaram a notar algo diferente nos intervalos comerciais da Rede Globo, e isso vem desde o começo de dezembro... As cotas locais de comerciais estão cheias de propagandas institucionais da Globo e/ou afiliadas... Não há faturamento de propaganda local, MESMO NO HORÁRIO NOBRE... Dias atrás, assisti um bloco de comerciais na novela das 7 na RBS TV e não vi um comercial local sequer... Somente enchimento de linguiça... Segundo relatos daquele fórum, isso está acontecendo inclusive na Globo SP...
    Das duas uma: ou estamos (ainda que o governo não admita) enfrentando uma grave crise econômica, ou o começo do fim da TV chegou, com a migração de anunciantes para outras mídias, leia-se internet...

    ResponderExcluir
  6. Previdi, será que tem gente que pensa mesmo que o grupo Rbs está indo para o brejo?Só fala isso quem realmente não conhece a forma de gestão do grupo.Os caras estão fazendo o correto ou seja: muitas áreas tinham funcionários a mais não estavam produzindo o que tem que fazer demitir.
    Empresas deficitárias fecha.
    Isso é normal, só aqui e por ser a Rbs causa espanto e torcida negativa.
    Volks demitiu 800 ...por telegrama.

    ResponderExcluir