Segunda, 23 de março de 2015



Atualizado diariamente ao meio dia.
Eventualmente, a tarde, notícias urgentes.




Escreva apenas para  jlprevidi@gmail.com





ponto do dia




LUPI,
O ALMANAQUE DO MARCELLO CAMPOS






Sabe aquelas raras pessoas que a gente tem orgulho de dizer que conhece e que até conversa com ela? Aquele cara que sempre está disposto para te dar uma mão, uma força?
Tenho muito orgulho em dizer que há alguns anos posso me socorrer de uma dessas raras personalidades: Marcello Campos, jornalista e pesquisador.
Quem é do meio sabe que ele é jornalista dos bons. Mas podem perguntar: "Pesquisador de quê?".
Resumo assim, simples. Sérgio da Costa Franco é o historiador de Porto Alegre; Marcello Campos é o pesquisador das pessoas importantes da cidade. Certo?
Conto uma rápida historinha (sempre tenho uma).
Há uns anos, disse a ele que estava fazendo um livro sobre personagens do centro de Porto Alegre - "Apaixonados por Porto Alegre - Personagens do Centro". Me perguntou quem eram os escolhidos.
- Precisa de alguma coisa?
- Acho que não, tenho bastante material.
Ingenuidade minha. Não demorou muito começaram a chegar emails com fotos, capas de discos, reprodução de entrevistas, uma batelada de informações que não tinha sobre as pessoas que tinha pesquisado meses. E, o mais legal, sem eu pedir!
No ano passado, quando estava encerrando "A Porto Alegre Deles - Histórias de Famosos que Passaram por Aqui" o incansável Marcello perguntou se estava precisando de alguma coisa.
- Sem abusar, podias dar uma olhada no texto sobre o Noel Rosa?
Claro que ele leu e aperfeiçoou.
-
Agora, cheio de satisfação, li neste final de semana o "Almanaque do Lupi", o último trabalho do Marcello Campos. Podem dizer que eu sou suspeito para elogiar. Sou, mesmo. Mas podem constatar, é o que existe de mais completo sobre a vida e obra do nosso mais famoso boêmio compositor. Nada parecido.
Chance todos vão ter:

(clica em cima que amplia)



-

LANÇAMENTO: 26 de março de 2015 | quinta-feira) | 19 horas
Local: Centro Municipal de Cultura
Av. Erico Verissimo 307, próximo à Ipiranga (estacionamento no local)
Contato com o autor: (51) 3289-8072 | 9833-0162 | jornal26@gmail.com
-

O ALMANAQUE

A cadeira nunca está vazia quando se pensa em Lupicínio Rodrigues (1914–1974) como o maior compositor popular surgido no Rio Grande do Sul. Depois dele, jamais apareceu outro autor musical com tamanha repercussão no mesmo Estado que deu à luz talentos como Octávio Dutra, Radamés Gnattali, Teixeirinha e Elis Regina, cada qual em sua mesa. Doce e amargo, suave e intenso, simples e sofisticado, direto ou metafórico, o mestre da dor-de-cotovelo soube converter pequenos e grandes dramas – próprios ou de seus camaradinhas – em canções que ficaram tatuadas no imaginário coletivo, muito além das fronteiras gaúchas.

Mas esse mesmo assento, embora confortável, pode ser pequeno para abrigar os vários Lupicínios que conviveram com o criador de clássicos como Se Acaso Você Chegasse, Felicidade, Esses Moços e Nervos de Aço. Testemunha e protagonista de uma Porto Alegre hoje aposentada pelo tempo, o ilustre filho da Ilhota foi também filho, pai, avô, irmão, marido, soldado, carnavalesco, funcionário público, cantor, militante do Direito Autoral, torcedor do Grêmio, cronista de jornal, empresário e candidato a vereador, não raro desempenhando vários desses papéis ao mesmo tempo.

Produzido em meio às comemorações do Centenário de Lupicínio Rodrigues pela Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre, Almanaque do Lupi (Editora da Cidade/SMC, 100 páginas) pode não ser completo ou definitivo. Nada o impede, porém, de reservar lugar no palco (com direito a uma espiada no camarim) de livros e trabalhos acadêmicos já apresentados com esse repertório e quase sempre sujeitos à embriaguez pelo coquetel de realidade e fantasia: passados quarenta anos desde a despedida do compositor que ajudou a inserir a Região Sul no mapa musical brasileiro, a toalha da mesa onde se abancam o homem e o artista segue desbotada e encardida pelo excesso de zelo ou pela carência de fontes primárias e outros registros confiáveis.

O jornalista e pesquisador Marcello Campos se debruçou sobre o assunto por quase uma década, (já biografou Johnson e Alcides Gonçalves, figuras essenciais na trajetória do homem e do artista Lupicínio) e o resultado é um painel dinâmico, multifacetado, capaz de surpreender até os fãs mais ardorosos. Em uma centena de páginas ilustradas – destaque para o projeto gráfico de Rosana Pozzobon –, estão dados precisos sobre cronologia, cancioneiro, discografia, realizações, atividades paralelas e curiosidades que alimentam uma certeza: em se tratando de Lupicínio, não há traição pior que a da memória.




--




ponto dos parecidos



Longe de mim comparar o maior estilista do Sul do Brasil, Rui Spohr, com este falcatrua aí de baixo, chamado Eduardo Cunha, "presidente" da Câmara dos Mafio... quer dizer, dos Deputados.
Mas que são parecidos, ah!!!, não posso negar!








--



ponto midiático




CORREÇÃO DAS MANCADAS

Na página da Rádio Gaúcha no Wikipédia:

Esta página foi modificada pela última vez à(s) 02h33min de 21 de março de 2015.

--

NOVIDADE

Em maio, o apresentador Bibo Nunes volta para a TV.
Bibo no 20, da meia noite à uma da madruga. Diário, inclusive aos sábados.
Uma parte em estúdio e matérias externas.
O cara vai também apostar no Facebook.

--

O PORTA-VOZ DOS MIMADINHOS

Os ratos já estão tentando nadar, a tripulação prepara-se para pular nas águas turbulentas e o comandante caminha de um lado para outro e ele ali, tentando tapar o rombo com um pedaço de estopa.
O colunista do Zero Hora, Moisés Mendes, comporta-se como um mimadinho petista, que desfruta de uma robusta CC em Brasília.
A chamada de sua coluna de hoje:

Moisés Mendes: o ninho onde foi chocada a máfia da Petrobras

Nove delatores contam como as empreiteiras se organizaram como quadrilha durante o governo FH

--

DESRESPEITO É ASSUNTO NACIONAL

O colunista do UOL, Flávio Ricco, escreveu:

•       Ainda é observado um total desentrosamento entre a Rede TV! com a TV Pampa de Porto Alegre...
•       ... São vários os casos da afiliada não observar a programação da cabeça de rede...
•       ... No ano passado, a transmissão do campeonato brasileiro da Série B, que é vendida para toda a rede, foi ignorada em muitas oportunidades.
-
Justiça seja feita: no sábado passado, o "Onanista da Pampa" deveria estar de folga. Porque, terminado o Super Senha, entrou  o XFC, programa de MMA. Geralmente, o Onanista corta o XFC e coloca reprises daqueles casos de infidelidade, onde siliconadas ridículas são as protagonistas.

--

A MELHOR DA SEMANA

Fiquei em dúvida. Será que tem alguma coisa a ver com o clube de futebol paulista:
-
Duas versões:



-
Resistiu nas "Notícias" durante todo o domingo!!

MEIO AMBIENTE - 20/03/2015 10:38

Palmeiras é atingida por incêndio na Redenção



--

ESCOLINHA ZH! NO GENIAL TERRA!

Recebo:

Não pude deixar de lhe encaminhar mais uma pérola.
Não que eu duvide da incompetência dos dirigentes gremistas, mas que horror seria o Grêmio entrar na justiça pelo direito de contratar o Kleber novamente...





--

ESCOLINHA ZH

Recebo:

Acabo de ver isto na pagina eletrônica do jornal Folha de São Paulo, além de ser uma notícia que não é a mais agradável a seção indicada pela manchete era a do "Mercado Financeiro", a não ser que os presos foram trocado por algumas moedas, vai saber, depois do caso do Porsche tudo parece ser possível.



--

ESCOLINHA ZH - 2

Escorregou o dedo para baixo do teclado!!



--

ESCOLINHA ZH - 3

Fim de semana é terrível! No CP:

GAUCHÃO

Inter enfrentar o Veranópolis com reservas e improvisação


Mais uma vez o Inter entrará em campo com time reserva no Campeonato Gaúcho. Neste domingo, às 16h, o Colorado irá enfrentar o Veranópolis, no Antônio David Farina, em Caxias do Sul, sem nenhum jogador considerado titular.



--



ponto da dúvida




É VERDADE ISSO?



Foram mais de três mil empréstimos concedidos pelo BNDES, entre 2009 e 2014, a outros países, cujos valores a sociedade civil não tem a menor ideia.
Será que a transparência foi pro beleléu?
-
- O BNDES também financia grandes obras públicas no Brasil. Esta, por exemplo, é a segunda ponte...
- Da travessia do Guaíba?
- Não... é a segunda ponte no rio Orinoco, na Venezuela.



- Bah, bem que podia ser a do Guaíba.
- A proba Odebrecht a construiu e custou 1,2 bilhão de dólares. O BNDES entrou com apenas 300 milhões de dólares!!
- Ah, bom!!




--



ponto geral




O QUE FAZER, SENADORA?



Biquinho não adianta

Sério, senadora Ana Amélia Lemos, não gostaria de estar em seu lugar.
A senhora enfrentou, no ano passado, uma pérfida campanha eleitoral, patrocinada pelo petismo e por Tarso Fernando, como nas hipócritas campanhas pela direção dos centros acadêmicos. Conseguiram lhe tirar a vitória, mas todos sabem que o feitiço virou contra o feiticeiro. Hoje, se sabe, por exemplo, que o governador do petismo tomou empréstimos para construir estradas e gastou o dinheiro para pagar salários. Quem cometeu irregularidades?
É, a disputa para o Governo do Estado foi similar a uma eleição de centro acadêmico, onde vale tudo.
E a senadora reassumiu sua cadeira no Senado com dignidade.
-
Depois dessa tempestade, um ciclone.
A acusação de que seus correligionários estão envolvidos até os fios de cabelo que restam em mutretas e roubalheiras do petrolão. São vários os acusados e políticos importantes.
Ouvi neste final de semana o depoimento de um dos acusadores. É impressionante o que fala de um deputado federal. O que considerei mais importante é que o denunciante falou espontaneamente, sem qualquer tipo de vingança, por exemplo.
Mais grave ainda, é que outros envolvidos vão além: dizem que não receberam as propinas devidas. Bah!! Os tais denunciados estão furiosos porque estão sendo acusados sem ter recebido o dinheiro criminoso!!!
-
Senadora Ana Amélia Lemos, como a senhora vai dividir uma sala de reuniões com esse tipo de gente?
-
Antes, quando as maracutaias aconteciam em São Paulo e em alguns estados do Nordeste, o PP do Rio Grande do Sul sempre esteve com a cabeça erguida - afinal, o que vinha de lá não afetava o partido aqui. Basta ver o número de vereadores, prefeitos e deputados do PP gaúcho, em sua história.
Mas, agora, não.
O PP gaúcho está fedendo como o PP paulista e o PP de alguns estados do Nordeste.
O QUE A SENHORA VAI FAZER?
Por favor, não me venha com aquela máxima, de que "todos são inocentes até que sejam julgados".
Ah, não! Nessa roubalheira bilionária não tem anjinho. Se apareceu no rolo é porque alguma falcatrua o sujeito se meteu.
-
O que a senhora vai fazer, senadora Ana Amélia Lemos?

--

CONSTATAÇÃO TERRÍVEL

Nesta semana, as quatro principais revistas - Veja, Época, Isto É e Carta Capital - continuam o processo de fritura de dona Dilma. Até mesmo a aliada Carta Capital vai na pleura:






--



ponto sexual



Como diz o sábio publicitário Duda Tajes,
"beijo gay em novela é fácil. Quero ver é beijo grego".







--




ponto da piadinha



(clica em cima que amplia)







--



ponto da sinceridade cruel






4 comentários:

  1. O que a senadora Ana Amélia vai fazer? Este link pode ajudar: "http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/o-pp-tem-de-tirar-todas-as-laranjas-podres". Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Bah, Moisés, deste jeito vais acabar colocando a culpa pela roubalheira no seu Cabral, o Pedro Alvares. Falando sério: é deprimente ver meus amigos petistas repetirem "nós roubamos, mas eles também roubaram...". . Antes do partido chegar ao poder havia a esperança de que, com o PT, as coisas no governo mudariam, para melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. jose manoel garcia23 de março de 2015 23:12

      Caro Clovis não deves ter comprendido o texto do Moises não é buscar culpados e sim responsabilizar quem tem culpa tambem se havia corrupção no seculo passado vamos buscar corruptos e corruptores sem distinção de agremiaçào para apurar responsabilidades e não jogar para baixo do tapete como pregam os PIB.Perfeitamente Idiota Brasileiro

      Excluir
  3. O CASO DAS PALMEIRAS AINDA TÁ LÁ KKKK http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/551863/Palmeiras-e-atingida-por-incendio-na-Redencao

    ResponderExcluir