Segunda, 13 de abril de 2015



Atualizado diariamente ao meio dia.
Eventualmente, a tarde, notícias urgentes.




Escreva apenas para  jlprevidi@gmail.com





ponto do dia




NÃO TEM OUTRA SAÍDA:
VAMOS AZUCRINAR A VIDA DO PREFEITO!


Tenho certeza absoluta de que pelo menos uma pessoa próxima ao prefeito José Alberto Fortunati tenha comentado  com ele o texto  que publiquei na sexta passada, "CIDADE BAIXA(RIA) E REDENÇÃO - PREFEITO, UM DIA, DE REPENTE, O SENHOR PODERIA DAR UM PULO NO BAIRRO EM QUE MOROU. O mais alienado aspone do prefeito sabe que a situação do nosso mais bonito parque e do ex- aprazível bairro é uma reclamação generalizada.
Mas a impressão que tenho é que ele, o prefeito, não está nem aí.
-
Não nos resta outra alternativa.
Vamos insistir com ele, até que se manifeste e faça algo. Vamos enviar e-mails ao prefeito. Quanto mais melhor!
Faça assim:
! - Abaixo, estou publicando o texto, de  novo. Selecione título e corpo do texto;
2 - Control C e control V: copie e cole no corpo do email, "nova mensagem";
3 - Envie para fortunati@gp.prefpoa.com.br
4 - Quantos mais emails forem enviados, melhor.
-
A sugestão foi da Marcia S.


CIDADE BAIXA(RIA) E REDENÇÃO

PREFEITO, UM DIA, DE REPENTE, O SENHOR
PODERIA DAR UM PULO NO BAIRRO EM QUE MOROU

José Luiz Prévidi, jornalista

Sei que é difícil o senhor chegar num lugar, tipo anônimo, por causa da altura, mas não custa tentar.
Sozinho, sem puxas-saco, com uma roupa simples, como um gringo que está hospedado num hostel. De óculos escuros, boné, descer do carro na João Alfredo com a República e ir caminhando. Claro que vai gostar que os novos postes estão lá, inteiros e funcionando. Vai caminhando. O ideal é que um dia vá cedo, lá pelas oito da manhã. E outro dia na tardinha.
Dando sorte, o senhor vai ver um brigadiano e/ou um assalto.
Não precisa de sorte para ser achacado - basta caminhar com um cigarro apagado na mão. Ou é cigarro ou moedinha.
Na esquina da República com a Lima e Silva dê uma parada para ver o edifício em que morou. Lá está a venda um apartamento há anos. Na frente do chaveiro, lembra? Na outra calçada, o magnífico cachorro quente. Mas, cuidado, como o senhor está longe do chão pode ser que pise em algum mendigo - ou melhor, um cidadão em situação de rua, que finge que está cuidando os carros e não finge que vende pedras de crack.
Caminhe pela Lima e Silva, mas não se assuste com os tipos que encontrar. De dia eles normalmente não fazem mal. O problema são os mendigos/cidadãos forasteiros. Esses querem celular e grana, na marra. A coisa começa a ficar pesada no final da tarde, quando eles querem dinheiro, de qualquer jeito, para a pedra. Ficam enlouquecidos.
-
Aí, de manhã ou na tardinha, passe ao largo pela Redenção. Faça os caminhos abertos e jamais caminhe pela grama: é assalto certo. Os carinhas mostram uma faquinha e querem o celular para trocar por pedra ali mesmo. Os fornecedores estão nos bancos, fingindo que são estudantes, porque estão com mochila, boné e tênis. Para o lado que o senhor olhar terá um desses vendedores de pedra - só os brigadianos fingem que não sabem. E nem falo nos onanistas, encostados em muitas árvores. Brigadianos também jamais viramesses tarados.
Certo, vá até onde existia o bicicletário e, mais recente, o Café do Lago. O senhor, como todos nós, vai ter uma pena danada de não poder tomar um café ou um chope naquele belo lugar. Ou não? Acredito que sim, porque devem fazer muitos anos que o senhor não coloca seus grandes pés lá. E aquele baita espaço onde era o mini-zoológico? Completamente abandonado e cercado. Lembra onde era o postinho da Brigada, ali ao lado da administração do Parque? Claro que lembra, porque não época que o senhor morava na CB era um bancário recém eleito deputado estadual, certo?
-
Poderia também dar um pulo no bairro para conhecer o que é a Cidade Baixaria nos finais de semana. A esculhambação que fazem no Largo da Epatur não é mole. E, aos domingos, nas imediações do Zaffari da Lima e Silva. Duvido o senhor não ficar indignado e decidir por algumas medidas urgentes. Mas, saiba, de nada adianta fechar os bares que ficam com mesas na rua até mais tarde.
A esculhambação na Cidade Baixaria, nos finais de semana, se deve muito ao pessoal das "comunidades" que adoram o bairro. Tudo bem, estão se divertindo. O que é problema, mesmo, são os mendigos/cidadãos. Duvido que exista um bairro, no Brasil, com maior concentração deles! Dormem em todo lugar, fazem cocô e xixi nas calçadas, achacam todo mundo, especialmente mulheres e velhinhos, um horror, prefeito! Nas praças e viadutos não se pode passar nem perto, porque eles são donos absolutos.
E não venha me dizer que a Prefeitura não pode fazer nada. Lembro bem o período em que o comandante Raul foi prefeito: o caminhão parava no ajuntamento deles e recolhia tudo, até as panelas com comida. Nesse mesmo período, a Prefeitura da administração popular botou grades nos viadutos e ferros com pontas no chão para que ninguém dormisse ali.
-
Nem vou falar no Centro, onde estive nesta semana. Tem gente com casa montada nos jardins da Praça da Matriz. Sei, sei, esse é outro assunto.
-
Prefeito ou José Alberto, se algum dia o senhor estiver chegando em casa mais tarde, depois da meia noite de uma segunda ou terça, peça para o motorista dar uma volta pela Cidade Baixaria. Em especial, pela Sofia Veloso. O senhor vai se impressionar com o número de zumbis que andam pelas ruas, completamente perdidos, porque a maioria dos bares estão fechados e eles não tem como conseguir moedinhas para completar o preço da pedra.
É muito triste e nojento, senhor prefeito.
-
Sei que o senhor tem muitos problemas para resolver e, de repente, não tem tempo para socorrer quem vive num bairro "classe média", que algumas rádios e TVs dizem, burramente, que é "boêmio", dando um ar romântico à Cidade Baixaria.
O senhor é muito ocupado, mesmo. Sabemos.
Agora, peço uma coisinha: Não adiante mandar para cá os seus aspon...quer dizer, secretários, diretores e afins. Não adianta nada, porque estão carecas de saber como está isso aqui e a Redenção. O senhor é quem tinha que constatar o que se tornou a nossa Cidade Baixa/Baixaria
Abraço!



--



ponto do paraíso




É ESTRANHO, MAS A GAUCHADA
NÃO GOSTA DE PRAIA E SOL EM ABRIL



Sábado foi maravilhoso. O mar límpido, leve brisa e o sol suave sem nuvens.
Perfeito.
Domingo foi um horror. Apesar dos entendidos afirmarem  que seria legal tivemos chuva, sol, frio, calor, vento, tudo apenas na manhã.Depois estabilizou, mas não arrisquei ir na beira da praia.








-

ENQUANTO ISSO...
POBRE CRIANÇA!







--



ponto do protesto




ACONTECEU O ÓBVIO


Era evidente que o número de participantes nos protestos de ontem seria menor.
Passaram-se 30 dias  desde a manifestação anterior e rigorosamente nada mudou no Brasil.
Aliás, mudou. Para pior.
Uma parcela dos descontentes concluiu que de nada adianta protestar nas ruas, porque quem manda no Brasil está em  casa, acompanhando pela TV e dando risada dos "trouxas".
-
Infelizmente não é com gritaria nas ruas que o Brasil vai mudar. E muito menos mandando dona Dilma para a Zona Sul de Porto Alegre.
-
O que fazer?
Só uma saída: radicalizar.

--

NÃO É PIADINHA

Quem conta é o jornalista Flávio Dutra:

"Olívio tem razão" - meninos, eu vi este cartaz na manifestação de domingo!



--



ponto midiático especial




QUERO IDEIAS!


Em agosto, quando o Blog do Prévidi (ex-site) completa 12 anos, estou pensando em usar mais um slogan.
Tipo:

QUER SABER DE TUDO ANTES E ANTES DE TODOS?
SÓ NO BLOG DO PRÉVIDI.

Brainstorming.
Aceito sugestões gratuitas, é claro.
-
Por que tenho que me exibir?
Olha só:
Em 1º de abril eu publiquei isso:

TROCAS NO SBT RS.
INACREDITÁVEL!!

Depois de oito anos, o repórter e apresentador Wilson Rosa deixa a emissora. Assim como Daniela Silva Pinto, com 10 anos de casa
-
Estão chegando Luciane Kholmann, ex-RBS e, surpreenda-se, José Antônio Pinheiro Machado, o popular Anonymus Gourmet.
-
Pinheiro Machado, ao deixar a RBS TV, disse que para terminar um livro iria morar na Europa.
-
Hoje, quase duas semanas após a minha informação, sites e blogs estão comentando que oAnonymus estreia no SBT.
HAHAHAHAHA!!!!!!!



--



ponto midiático




É DESUMANO, CAFAJESTE, MESQUINHO E ORDINÁRIO
O QUE A "GRANDE IMPRENSA" FAZ COM O JARDEL

Poderia escrever que há chances de estar errado, mas estou certíssimo.
JAMAIS na história deste Estado a imprensa se preocupou com o chefe de gabinete ou funcionários de um deputado estadual ou federal. JAMAIS noticiaram que um deputado demitiu um CC.
Olha, acompanho política desde 1980 e continuo até hoje.
Agora, até um pum do deputado Jardel vira notícia. É ridículo o que falam e escrevem a respeito do "caso". Ridículo e nojento. Porque este rebotalho do jornalismo tem apenas um objetivo: tentar liquidar com um ex-jogador de futebol, com histórico de consumo de drogas e sem "estudo". Assim fazem com todos que fogem de um padrão classe média babaca.
Ouvi, há pouco, que ele "não foi trabalhar hoje". OK, quantos deputados apareceram HOJE na Assembleia? Argh!!
Amigos, dá vontade de ter UM DIA DE FÚRIA!

--

MATÉRIA ESCROTA

Coisa horrorosa.
O Zero Hora online conseguiu produzir na manhã de domingo, sobre Paulo Brossard, uma das piores matérias que li, sobre um grande homem.
Não faço mais críticas, mas leia que coisa mais nonsense este trecho:

Brossard fez história à frente de importantes cargos do Executivo. Foi professor, um conferencista, um agropecuarista, um articulista prolífico. Com a morte de Paulo Brossard, é como se vários personagens de destaque no cenário nacional houvessem desaparecido de uma só vez, reunidos na mesma pessoa. 

Antes de tudo, Brossard foi um dos mais importantes políticos do RS e do Brasil.

--

LUCIANINHO EMBAIXO DO MAU TEMPO

Samuel De Souza Santos conta:

Publicamente, apresento minha solidariedade ao repórter Luciano Périco, da Rádio Gaúcha, que nesta tarde no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, foi agredido com ofensas por alguns torcedores do Juventude, em Grêmio 1 x 0 Ju. Isto é inaceitável, fere a dignidade profissional e o Luciano, que só estava trabalhando, não teve mais condições de continuar na jornada. Suponho, que todos entendam que numa transmissão cada profissional desempenha uma função. O Luciano Périco, nas jornadas, faz com que os ouvintes sintam a emoção das torcidas. Sua saída prematura, tende a perturbar todo o trabalho. Por essa razão, levo também meu abraço à toda a equipe da Gaúcha, em especial ao Pedro que no comando não deixou o time se abater. Por fim, alguém precisa apresentar desculpas publicamente ao companheiro Lucianinho, além de pronta manifestação da ACEG.
-
NOTA OFICIAL DA ACEG

A diretoria da Associação dos Cronistas Esportivos Gaúchos manifesta-se contrária à atitude de torcedores do E.C. Juventude que desrespeitaram com ofensas e ameaças o repórter Luciano Périco, da Rádio Gaúcha, quando desempenhava seu trabalho no setor social das arquibancadas do Estádio Alfredo Jaconi, por ocasião do jogo entre Juventude e Grêmio, pela fase semifinal do Campeonato Gaúcho.
É inaceitável que fatos grotescos como esses ainda ocorram em estádios de futebol, principalmente com um profissional que valoriza os clubes e seus torcedores e que conquistou, ao longo do tempo, o respeito dos amantes do futebol e dos colegas de imprensa.
A ACEG espera que o autor das agressões seja identificado e punido pela diretoria do E.C. Juventude. Um clube com a grandeza e respeito adquiridos por conquistas importantes no cenário gaúcho e brasileiro não pode permitir que sua imagem seja manchada pelo ato irracional de algumas pessoas.
A diretoria da ACEG esclarece que está atenta e que irá agir sempre em defesa de seus associados, e da liberdade de imprensa.

Edgar Vaz
Presidente

--

JÁ É A MELHOR DA SEMANA!

No fabuloso clicRBS:



Bem explicado, porque o jogo poderia ser no Morumbi ou no Maracanã, sabe-se lá!!


--

ESCOLINHA O SUL

No domingo:



--


SEM O MENOR ESFORÇO, NO GOOGLE

Baita foto, hein?



--

ELES COMBINARAM, SÓ PODE

O cara é um baita bandido, todas as polícias sabem. Estava num Audi blindado, com seguranças em dois carros, e é SUSPEITO.


No Zero Hora:

Brigada Militar prende suspeito de liderar tráfico de drogas na zona leste de Porto Alegre


--

No Correio do Povo:

Preso suspeito de comandar tráfico na zona Leste de Porto Alegre


--


NADA DE NOVO

Muita gente estranhou que o jornalista colorado Kenny Braga escreveu, na semana passada, no Zero Hora.
Normal.
Ele ainda é funcionário da RBS.

--

INACREDITÁVEL

Duas novelas da Rede Globo têm rapazinhos apenas com mães.
Não entendeu?
Um rapazinho tem duas mães; outro rapazinho, em outra novela, tem duas mães.
Nada de pai.
EM DUAS NOVELAS.

--

NÃO TEM JEITO

Para os noticiários da Globo, o clube paulista de futebol Red Bull Brasil se chama RB Brasil.

--

NÃO É SÓ O PAULO "AO VIVO" BRITO

A própria RBS TV anuncia que vai passar o  jogo tal "AO VIVO".
Será que ainda existe uma emissora de TV séuia que transmite jogos em "videotape"?

--

MAGISTRADO SE SUPEROU

Ontem, no ZH online:



--

ESCOLINHA ZH

Um novo Palácio em Porto Alegre:




--

CLUBE DE OPINIÃO

Amanhã, dia 14, das 10 às 11h30min, receberemos na Sala Figueira, do Plaza São Rafael, o secretário de Comunicação do Governo do Estado, Cleber Benvegnu.
Será uma excelente oportunidade para o conhecermos mais de perto e questionarmos sobre os assuntos do governo, em especial, a sua comunicação.

--

A INTERNET PATROLA TUDO
E A RBS PERDEU A OPORTUNIDADE

Veronica Cabral

Sobre o texto de José Cruz, na sexta passada: não é só a dualidade dos jornais - impresso e internet - que se deve ter em mira. A internet está patrolando tudo. Não há razão para se pagar R$ 50, preço de capa, por um livro que pode ser adquirido por R$ 30 em algum site (e às vezes com descontos dados pelo Bondfaro, Buscapé ou o próprio site da loja). O próximo passo deve ser o fechamento das lojas físicas. E aí? E os empregos? Os novos tempos não vieram apenas para os jornais e o jornalismo, que é uma profissão moribunda. Esperemos que lojas físicas comecem a fechar suas portas e colocar gente na rua. E eu, como todo mundo, contribuo: não vejo razão para pagar R$ 50 pelo que posso pagar R$ 30.
xx
ZHelotes. Eles poderiam ter saído por cima quando os manifestantes do ano passado queriam atear fogo à sede da empresa, na Ipiranga. Os funcionários abandonariam o prédio, eles ganhariam seguro, conquistariam até a opinião pública que lhe torcia o nariz e sairiam por cima. Preferiram agonizar em praça pública. E agora, passar vergonha. Eu estou rindo (não de quem vai perder emprego, porque é inevitável). Da incapacidade de olharem para o próprio rabo. Uma recomendação: não consumir os produtos da RBS (rádio, TV, jornal), que são ruins mesmo. Na TV Com, Regina lima faz matéria sobre "bichinhos". O que é isso? É jornalismo? E quem é o tal de Antonio Prata que escreve no ProA? Ele é pago? Não deve ser, o que justificaria o espaço que lhe concedem. E David Coimbra defendo seu empregador? Patético é elogio. Boicote, minha gente. Eu estou me divertindo, incapaz de acreditar que sejam tão amadores. Estamos assistindo ao império virar pó. A moça do tempo já fez chacota e saiu. Tempos interessantes.




--




ponto da memória




OS BELEGUINS DO SENADOR






Paulo Brossard de  Souza Pinto morreu neste final de semana.
Na sexta passada, conversando com amigos, comentamos que em outubro ele faria 91 anos.
-
Leonel Brizola não gostava de Paulo Brossard - sei lá o que se passava pela cabeça do ex-governador, mas deveria ser uma "ameaça" a sua liderança. O apelidou de "Rui Barbosa em compotas".
Na verdade, Brossard consolidou esta liderança em 1974, quando elegeu-se senador pelo MDB, com um banho de votos em Nestor Jost, da Arena e da milicada. Era, sem dúvida, o líder da oposição aos milicos no RS.
Foi um dos cinco políticos gaúchos mais importantes.
-
Em 75 ou 76, por aí, Brossard lançou o livro "Oposição", pela LP&M. Na Feira do Livro de Porto Alegre encarei uma fila quilométrica para ter o seu autógrafo. Impressionante. Cada pessoa que chegava na sua frente, ele levantava-se, apertava a mão, sentava-se, perguntava o nome, autografava, levantava-se, entregava o livro e apertava a mão novamente. Fez isso centenas de vezes naquela tarde.
-
Era elegantíssimo. No verão usava ternos de linho, claros, e chapéus panamá.
Numa das inúmeras campanhas eleitorais que participou, pelas estradas poeirentas do Estado, os assessores do MDB brincavam muito com os trajes claros de linho do senador. Também ficavam impressionados com a sua performance, porque ele não combinava com aquele empurra-empurra, abraços, tapinhas nas costas, característica das campanhas. Os assessores brincavam, entre eles, é  claro, que Brossard tinha no carro uma garrafa de álcool para passar nas mãos, depois do contato com os eleitores.
-
Acredito que até os arenistas paravam para ouvir os seus discursos.
Num dos inúmeros atos públicos do MDB que acompanhei, ouvi pela primeira vez a palavra "beleguins". Que raios era aquilo?
Mais tarde, encontrei o colega de Zero hora e amigo Carlos Sávio e perguntei do que se tratava aquilo.
- Cara, são os polícias que o regime manda para acompanhar os atos públicos do partido.
Beleguins! Nem os próprios entenderam, sem dúvida.
-
Bem mais tarde, Paulo Brossard já tinha passado pelo Senado, pelo Ministério da Justiça e pelo STF, dividia escritório de advogacia com Leo Iolovitch. Tinha o hábito de ir sempre na Assembleia Legislativa. Passava pela assessoria de imprensa e sempre parava para conversar com o colunista João Carlos Terlera, que assinava a principal coluna política, Bastidores, em Zero Hora.
Brossard era o único político que Terlera não brincava e/ou debochava. O respeitava muito, desde o tempo em que trabalhou com o então deputado Paulo Brossard, da bancada do Partido Libertador.
A sua chegada era sempre assim, carregando livros e processos: acenava para todos, conversava rapidamente com o Terlera e ia até o balcão do xerox. "Pessoas estranhas ao setor" não podiam tirar cópias. A única exceção era o ex-senador. Os funcionários o atendiam pacientemente.
-
É uma pena que o Rio Grande tenha perdido uma grande personalidade, um grande político.
Típica pessoa que tinha que ser imortal.

-

O jornalista Vanderlei Malta da Cunha relembra:

Em 1974, com 26 anos e enojado com a ditadura militar que asfixiava e humilhava o país há dez anos, fui tocado pela inteligência e pela coragem do Dr. Brossard.
A carta aberta de Erico Verissimo e o bilhete de Chico Buarque que reforçaram sua candidatura ao Senado, faziam justiça à sua têmpera de político gaúcho diferenciado.
Seu debate ao vivo na TV com Nestor Jost, depositáro fiel da massa falida que os milicos teimavam em preservar com unhas e dentes (e fuzis), tornou-se histórico e referencial de esperança e resistência a um tempo sombrio.
O Dr. Brossard foi eleito por avassaladora massa de votos e daí para a frente o país conheceu com quem estava contando.
— Quando tomei posse, fiz um longo discurso analisando tudo o que tinha acontecido desde 1964 e terminei dizendo: "Fui eleito por oito anos, no entanto, meu mandato pode durar oito meses". Parei, olhei para um lado, olhei para outro, para cima, para baixo e continuei: "Ou oito semanas". E repeti o mesmo gesto, como quem diz: alguém objeta, alguém quer um aparte? E continuei: "Ou oito dias, ou oito horas. Mas enquanto estiver aqui, não pedirei licença a ninguém para dizer aquilo que entendo que deva dizer. Entenderam?"
Nosso respeito e admiração, Dr. Brossard, por sua biografia, trajetória e firmeza.
Alguém em quem os milicos, que brotavam feito flores do mal em cada esquina, não tiveram peito de tocar.
Aos 90 anos, o senhor descansa em paz. Com a legítima certeza do dever cumprido.

--

O URUGUAI ESTÁ MENOS ATRAENTE





Esta doença, que me nego a escrever o nome, levou Eduardo Galeano, um uruguaio de 74 anos. Sem dúvida, um dos maiores escritores nascidos na América.
Quem não leu As Veias Abertas da América Latina (1971) não entende muito do que acontece por estas bandas.
Bah!



--




ponto g



ABUNDÂNCIA DE BOBAGENS. 
O PIOR É QUE PUBLICAM!


Pessoas que gostam de queijo quente fazem mais sexo, aponta pesquisa

Do UOL, em São Paulo

--


O CIDADÃO LIGA, AJUDA A PREFEITURA
E, ACREDITEM, TEM QUE PAGAR A LIGAÇÃO




--

IGUALZINHO AO LUPI, O FALSO

O ministro do TRABALHO, o inexpressivo Manoel Dias, indicado pelo PDT, em entrevista ao estado de S. Paulo, defende a terceirização.

--

TÔ NO PONTO!


Homens só se tornam adultos aos 54 anos

Os homens só entram na vida adulta aos 54 anos, pois é só nessa idade que se sentem resolvidos e abandonam os hábitos da adolescência. A conclusão é de um estudo realizado pelo Centro Crown Clinic, situado em Manchester.
A investigação revela que os homens apenas se sentem "resolvidos e seguros" com esta idade e isso deve-se às suas inseguranças, que não os deixam amadurecer em idade jovem. Essas inseguranças manifestam-se no medo de não conseguirem comprar a primeira casa, de perder o cabelo e ficar sem emprego.
De acordo com o jornal "The Telegraph", o estudo, realizado com mil homens, sugere que estes levam mais tempo do que as gerações passadas para atingir este patamar, principalmente por causa das pressões financeiras e da paternidade, pois dois terços dos bebés nascem de pais com mais de 30 anos.



--



ponto do evento



VALORIZAÇÃO DO TRABALHO E VIDA






Na sexta fui a um almoço no STICC - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de Porto Alegre.Muito legal. Além de encontrar muitos amigos queridos, ficamos sabendo que no próximo dia 28 vai acontecer o 4º Seminário de Valorização do Trabalho e Vida.
O presidente Valter Souza e o secretário-geral Gelson Santana explicam que o evento tem como objetivo de buscar alternativas para melhorar a vida do trabalhador, mesmo que, agora, tenham que enfrentar mais um inimigo: a terceirização.
-
Grandes debatedores, como Walter Lídio, presidente da Celulose Riograndense, Carlos Schetter, presidente da Nex Group, Embaixador do Haiti, Madsen Cherubin, o sindicalista russo Abdelgani Shamenov, além de autoridades da área do Trabalho.
-
O evento acontece durante todo o dia 28, no Auditório da AMRIGS.
As inscrições são gratuitas no sticc.org.br e informações pelo 51 3073 8100.


Gelson Santana fala aos jornalistas



--



ponto da piadinha





No Sensacionalista:

Funcionário segue ordem de retirar os ratos do Congresso e local fica vazio



--



ponto final



A DOR DE SER BRASILEIRO


Jorge Loeffler, editor do praiadexangrila.com.br


Quinta-feira pontualmente às 08 horas cheguei ao hospital em Osório. Fui então levado por uma funcionária que acredito enfermeira até um banheiro junto a uma sala grande. Ali fui por ela orientado a despir minhas roupas. Então me foi enfiado algo estranho, uma espécie de vestido aberto nas costas. A mesma funcionária colocou-me numa espécie de cama e de imediato tratou de ‘depenar’ minha área ‘intima’. Não sei descrever o que senti, mas não foi nada agradável. Estou chegando aos 71 anos e nunca tinha enfrentado tal situação. Alguns minutos depois chegou o anestesiologista para saber alguns detalhes de minha saúde. Fui então levado ao bloco cirúrgico onde nada mais vi. Quando acordei estava num apartamento limpo e bem simples. Ali estava minha filha que foi quem me levou ao hospital. Ela então foi buscar a mãe para me fazer companhia. Tenho três incisões na barriga, uma delas no umbigo e as outras duas onde se localizavam as hérnias inguinais. O apartamento é bancado pelo IPE para o qual eu contribuo já faz meio século.
Não havia no mesmo o frigobar como em outras acomodações de outros hospitais. Havia um televisor daqueles antigos com o controle remoto. Estranhamos que não localizamos no apartamento o controle remoto do ar condicionado. Minha esposa então procurou a portaria do hospital e para que liberassem o controle remoto do ar condicionado precisou depositar uma caução no valor de R$ 20,00 que foi restituído quando da alta.
Enfrentamos tal situação por que infelizmente vivemos num país cujo povo é ladrão. Como a maioria é desonesta, todos são colocados no mesmo saco. Constrangedor e triste, mas tivemos que enfrentar tal situação.
No dia seguinte, ou seja, 24 horas depois da intervenção cirúrgica recebi alta e estou em casa. Hoje nossa filha com os netos retornou à sua morada no Vale do Taquari. Quando ela aqui ainda estava recebemos a visita da Dra. Marilú Schwartz, nossa querida nora e com quem nosso filho Guilherme certamente estaria casado se estivesse ainda conosco. Vieram a Malu e seu filho, o Pietro, um menino querido como os nossos demais netos. A Malú, assim a tratamos, é advogada na Comarca de Teutônia, sua terra natal.
Estamos apenas os dois em casa e nossos animais de estimação. E eu com não com dores, mas com o desconforto que se segue a uma cirurgia. Em uma semana os pontos cirúrgicos serão removidos e então voltarei a dirigir o carro. A recuperação total ainda vai levar cerca de um mês. Não desejo a ninguém esse desconforto.
A dor mesmo foi a de ser tratado como desonesto, ser colocado na vala comum, tendo que depositar uma caução para poder dispor do controle remoto do ar condicionado. Triste ser brasileiro.


11 comentários:

  1. Quando comecei a ler o texto do Jorge Loeffler, achei que o título era uma ironia, uma vez que, notório defensor do governo que aí está, teve um atendimento digno em um hospital público. Segundo o seu relato, depreende-se que as acomodações eram dignas, o atendimento pré-operatório foi satisfatório, bem realizado, a cirurgia foi um sucesso e a recuperação está evoluindo bem. No entanto, demonstra estar inconformado, "doído", pelo fato de ter pago uma caução de 20 reais (que lhe foi devolvida) pelo controle remoto do ar-condicionado!?!?!?
    Acho que este senhor poderia aproveitar o mês que lhe resta de recuperação CHUPANDO UM CARPIM BEEEM SUJO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glauco Fonseca, Flávio Paranhos ou seja qual seu nome hoje, tenha pelo menos respeito com o cidadão. Interpretação de texto, todos sabemos, nunca foi seu forte. Carlos.

      Excluir
    2. Puxa, Carlos, me descobriste!
      Ainda bem que os carpins existem aos pares. Pega um pra ti também...

      Excluir
  2. Em meio ao caso Zelotes (que ninguém apura ou noticia) e com a merda batendo no pescoço, a RBS lançou uma campanha boazinha, de doações de órgãos.
    Não entrando no mérito da campanha (que reforça a necessidade de avisar a família que se é doador), não me surpreende essa pressa do Grupo em passar cheque de bonzinho e interessado com causas públicas.
    Não é de hoje que se esforçam para desviar o foco das cagadas do Melzer, Potter e afins.

    ResponderExcluir
  3. Paulo Brossard, quando lhe disseram que João Figueiredo havia sido indicado para ser o presidente do Brasil: "Ninguém devia começar pela presidência".

    ResponderExcluir
  4. O finado O (jornal em PDF não existe) Sul era campeão em fotos WTF nas suas matérias. Certamente a legenda da foto explicava a sua presença ilustrando o texto. Lembro uma vez de uma matéria do jornal do Cidadão Kane da Orfanatrófio. O título era "Ator dispensa dublé e morre em cena de ação". A ilustração do texto era uma foto GIGANTESCA do Tom Cruise. Depois do susto, lá na legenda, podíamos ler: "o ator Tom Cruise (foto) também dispensou dublé no filme Missão Impossível"

    ResponderExcluir
  5. Jose Manoel Garcia13 de abril de 2015 21:48

    EDUARDO GALEANO o conheci durante os anos noventa (1993) quando administrava um restaurante parrilla em Madrid se alguém se interessar e só buscar no google restaurante la carreta calle barbieri numero 8 Madrid CEP 28004 enquanto conversávamos disse que era filho de espanhóis nascido no brasil falou maravilhas desta terra maravilhosa fui sincero com o mesmo e lê disse que nunca tinha lido um livro seu no outro dia aparece um táxi na porta do restaurante me buscando e me entregando quatro livros um o citado por você previdi As Veias Abertas da América Latina em espanhol o outro se a memoria não me falha o titulo era os Filhos dos dias recomendo a leitura ficaram em Madrid com um amigo SEBEIRO se assim se pode chamar um dono de sebo (aceito correções) mas a ida dele ao meu local de trabalho era para participar junto com artistas de um show no creio ser centro de eventos de Madrid um lugar enorme e lindo onde se organizavam as grandes convenções e feiras sobre o Carajo a quatro ate uma noite de boxe fui assistir saiu campeão mundial peso pena um FLACO Uruguaio que não me recordo o nome levei-o a cenar na CARRETA com a cara toda rota dos punhetazos que levou pois o proprietário do local DON VICTOR ALONSO GARRIDO era ( esta vivo ainda e muito vivo hoje reside no morro dos conventos em Araranguá onde faz caminhadas diárias na beira da praia como é bom estas caminhadas previdi) um hispano uruguaio de buena cepa voltando a tal show que participou EDUARDO GALEANO era a fim de arrecadar GUITA para mandar para cuba é cuba necessitava de dinero com el embargo americano participaram que me lembro Rafael Amor cantante argentino tem uma musica cujo o titulo é no me llames extranjero linda e que da um direto no rosto de quem e contra imigrantes tem na internet para quem quiser escutá-la, Daniel Frância folclorista que cantava de tudo ate chitanzinho e chororo,Carlos Acunha el saudoso e mejor cantante de tangos que conoci los outros são bons mas este era fenomenal ( NO GRITAVA CANTANDO COMO MUITOS) Rubem Ruares bandoneon e tangueiro dos bons que a poucos dias tive a mala noticia que faleceu vitima de um infarto era novo devia ter 58 ou 60 anos ficou de participar Pablo milanês ( IOLANDA para los ouidos) mas por problemas de agenda não compareceu tinha ate um grupo de samba de paulistas que participou e um tal Manolo Caracol tido na Espanha franquista el rei del flamenco proprietário de casas de flamenco ate no japão comunista ate a medula.paro por aqui pois estou revirando COSAS que começam a mover mi CORAZON.gracias pela compreensão.

    ResponderExcluir
  6. Eu como telespectadora assídua da TVCOM, discordo da parte do texto da Verônica Cabral em que ela cita a Regina Lima. Em primeiro lugar não é a Regina que faz as matérias sobre os pets e sim uma equipe. Ela apenas apresenta um quadro chamado "Tudo Mais Pet", que aliás, existe desde 2011 quando o programa foi exibido pela primeira vez. A Regina faz o que já está pré determinado pela equipe do programa, diferente do seu colega David Coimbra que tem espaço e liberdade para falar do que quiser e como quiser, não depende de um produtor, de um diretor e do diabo a quatro. Duvido que se fosse a Oprah Winfrey fazendo matérias ou apresentando quadros sobre os pets, essa tal Verônica diria que é patético ou coisa de amador, garanto que aplaudiria de joelhos e ainda faria textinhos elogiando a performance da apresentadora americana. Se o que a Regina Lima faz é jornalismo? Não sei! Porém afirmar algo sem verificar a veracidade com certeza não é.
    Obs: A Regina Lima não é amadora nem aqui, nem em Plutão! Basta dar uma olhadinha no seu extenso currículo e nos anos de profissão. Muito menos patética

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O programa que a Regina lima apresenta na TVCom é de entretenimento e não jornalístico. Por isso como telespectador da TVCOM e do Tudo Mais (programa que a Regina apresenta) não vejo problema algum em ver matérias ou quadros sobre animais. Regina é uma excelente profissional, um dos rostos mais marcados do estado. Passou pelos programas mais importantes do Grupo RBS, já trabalhou em todas as plataformas de comunicação, consegue falar para todos os tipos de públicos. Isso é ser amadora minha cara Verônica Cabral? Sinceramente não sei o que é ser profissional!
      Gustavo

      Excluir
    2. Regina Lima amadora? Não acredito que li isso! Gente ela apresenta um programa com o mínimo do mínimo de recursos e ainda consegue fazer um baita programa. De todas as apresentadoras que passaram pelo TvCom Tudo Mais ela com certeza é a mais top! Eu deixei de assistir o Jornal Nacional e a novela para acompanhar o programa. Como foi comentado no post de cima é só olhar o currículo dela pra sabermos que ela é uma das jornalistas mais conceituadas e profissionais do estado. Amador mesmo é quem manda na TvCom que não vê a qualidade da apresentadora e não investe no programa. O que é aquele cenário? Horroroso! O que prende mesmo nós telespectadores no programa é a competência da Regina. E outra se esse programa da Regina Lima fosse para a RBSTV teria audiência absoluta.
      Marina

      Excluir
  7. " Quem conta é o jornalista Flávio Dutra:

    "Olívio tem razão" - meninos, eu vi este cartaz na manifestação de domingo! "

    O jornalista Flávio Dutra deve ter se confundido ou está enxergando mal. O cartaz dizia: " OLAVO tem razão ! " referindo-se ao filósofo Olavo de Carvalho.

    ResponderExcluir