Sexta, 10 de abril de 2015



Atualizado diariamente ao meio dia.
Eventualmente, a tarde, notícias urgentes.




Escreva apenas para  jlprevidi@gmail.com





ponto do dia




CIDADE BAIXA(RIA) E REDENÇÃO

PREFEITO, UM DIA, DE REPENTE, O SENHOR
PODERIA DAR UM PULO NO BAIRRO EM QUE MOROU






Sei que é difícil o senhor chegar num lugar, tipo anônimo, por causa da altura, mas não custa tentar.
Sozinho, sem puxas-saco, com uma roupa simples, como um gringo que está hospedado num hostel. De óculos escuros, boné, descer do carro na João Alfredo com a República e ir caminhando. Claro que vai gostar que os novos postes estão lá, inteiros e funcionando. Vai caminhando. O ideal é que um dia vá cedo, lá pelas oito da manhã. E outro dia na tardinha.
Dando sorte, o senhor vai ver um brigadiano e/ou um assalto.
Não precisa de sorte para ser achacado - basta caminhar com um cigarro apagado na mão. Ou é cigarro ou moedinha.
Na esquina da República com a Lima e Silva dê uma parada para ver o edifício em que morou. Lá está a venda um apartamento há anos. Na frente do chaveiro, lembra? Na outra calçada, o magnífico cachorro quente. Mas, cuidado, como o senhor está longe do chão pode ser que pise em algum mendigo - ou melhor, um cidadão em situação de rua, que finge que está cuidando os carros e não finge que vende pedras de crack.
Caminhe pela Lima e Silva, mas não se assuste com os tipos que encontrar. De dia eles normalmente não fazem mal. O problema são os mendigos/cidadãos forasteiros. Esses querem celular e grana, na marra. A coisa começa a ficar pesada no final da tarde, quando eles querem dinheiro, de qualquer jeito, para a pedra. Ficam enlouquecidos.
-
Aí, de manhã ou na tardinha, passe ao largo pela Redenção. Faça os caminhos abertos e jamais caminhe pela grama: é assalto certo. Os carinhas mostram uma faquinha e querem o celular para trocar por pedra ali mesmo. Os fornecedores estão nos bancos, fingindo que são estudantes, porque estão com mochila, boné e tênis. Para o lado que o senhor olhar terá um desses vendedores de pedra - só os brigadianos fingem que não sabem. E nem falo nos onanistas, encostados em muitas árvores. Brigadianos também jamais viramesses tarados.
Certo, vá até onde existia o bicicletário e, mais recente, o Café do Lago. O senhor, como todos nós, vai ter uma pena danada de não poder tomar um café ou um chope naquele belo lugar. Ou não? Acredito que sim, porque devem fazer muitos anos que o senhor não coloca seus grandes pés lá. E aquele baita espaço onde era o mini-zoológico? Completamente abandonado e cercado. Lembra onde era o postinho da Brigada, ali ao lado da administração do Parque? Claro que lembra, porque não época que o senhor morava na CB era um bancário recém eleito deputado estadual, certo?
-
Poderia também dar um pulo no bairro para conhecer o que é a Cidade Baixaria nos finais de semana. A esculhambação que fazem no Largo da Epatur não é mole. E, aos domingos, nas imediações do Zaffari da Lima e Silva. Duvido o senhor não ficar indignado e decidir por algumas medidas urgentes. Mas, saiba, de nada adianta fechar os bares que ficam com mesas na rua até mais tarde.
A esculhambação na Cidade Baixaria, nos finais de semana, se deve muito ao pessoal das "comunidades" que adoram o bairro. Tudo bem, estão se divertindo. O que é problema, mesmo, são os mendigos/cidadãos. Duvido que exista um bairro, no Brasil, com maior concentração deles! Dormem em todo lugar, fazem cocô e xixi nas calçadas, achacam todo mundo, especialmente mulheres e velhinhos, um horror, prefeito! Nas praças e viadutos não se pode passar nem perto, porque eles são donos absolutos.
E não venha me dizer que a Prefeitura não pode fazer nada. Lembro bem o período em que o comandante Raul foi prefeito: o caminhão parava no ajuntamento deles e recolhia tudo, até as panelas com comida. Nesse mesmo período, a Prefeitura da administração popular botou grades nos viadutos e ferros com pontas no chão para que ninguém dormisse ali.
-
Nem vou falar no Centro, onde estive nesta semana. Tem gente com casa montada nos jardins da Praça da Matriz. Sei, sei, esse é outro assunto.
-
Prefeito ou José Alberto, se algum dia o senhor estiver chegando em casa mais tarde, depois da meia noite de uma segunda ou terça, peça para o motorista dar uma volta pela Cidade Baixaria. Em especial, pela Sofia Veloso. O senhor vai se impressionar com o número de zumbis que andam pelas ruas, completamente perdidos, porque a maioria dos bares estão fechados e eles não tem como conseguir moedinhas para completar o preço da pedra.
É muito triste e nojento, senhor prefeito.
-
Sei que o senhor tem muitos problemas para resolver e, de repente, não tem tempo para socorrer quem vive num bairro "classe média", que algumas rádios e TVs dizem, burramente, que é "boêmio", dando um ar romântico à Cidade Baixaria.
O senhor é muito ocupado, mesmo. Sabemos.
Agora, peço uma coisinha: Não adiante mandar para cá os seus aspon...quer dizer, secretários, diretores e afins. Não adianta nada, porque estão carecas de saber como está isso aqui e a Redenção. O senhor é quem tinha que constatar o que se tornou a nossa Cidade Baixa/Baixaria
Abraço!


O senhor lembra dessa grade? A Prefeitura e alguns, que não moram
na CB, foram contra. Mas nenhum dos seus "colaboradores" moveu
uma palha para resolver este pepino que os moradores enfrentam



--



ponto da mutretagem




GRUPOS RBS E GERDAU FORAM DEDURADOS


Na Folha de S. Paulo:

Uma carta anônima de duas páginas deu origem à Operação Zelotes, que investiga suposto pagamento de propina a membros do Carf (órgão que julga recursos de autuações da Receita).
Segundo os documentos que integram a investigação, aos quais a Folha teve acesso, a carta, entregue em um envelope pardo na coordenação-geral de Polícia Fazendária, no edifício-sede da PF, em Brasília, cita os nomes de conselheiros e empresas relacionados ao que seria "um impressionante esquema de tráfico de influência e corrupção em Brasília, responsável pelo desvio de bilhões de reais nos últimos anos".
Intitulada "Dinheiro público sendo desviado", ela diz que o então conselheiro José Ricardo da Silva era sócio de "dezenas de empresas que servem para movimentar e lavar o dinheiro que recebe das empresas". Estas tentariam "conseguir julgamentos favoráveis e reversão de decisões já tomadas, além de intermediar contatos e decisões em diversos ministérios".
As empresas usadas por Silva seriam a SGR Consultoria Empresarial e a J.R. Silva Advogados e Associados.
(...)
Por fim, a denúncia citou Cimento Penha, JBS, Caoa, Gerdau, MMC, RBS e Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantres de Veículos Automotores) como tendo "negociado com o esquema".
(...)
O grupo RBS informou ter "a convicção de que, no curso das investigações, ficará demonstrada a correção dos procedimentos da empresa. Tão logo seja contatada pelas autoridades competentes, o que ainda não ocorreu, a empresa terá a oportunidade de colaborar para a plena elucidação dos fatos".
A Gerdau informou que "até o momento, não foi contatada por nenhuma autoridade pública a respeito da Operação Zelotes, da Polícia Federal, e que vem tomando conhecimento do tema pelo noticiário de imprensa". "Todos os processos administrativos de interesse da Gerdau se acham ainda em trâmite no CARF, pendentes de julgamento final de mérito." Segundo a empresa, "nenhuma importância foi paga, a qualquer título, a qualquer pessoa física ou jurídica por conta de sua atuação em nome da Gerdau junto ao Carf".




--



ponto midiático



INFELIZMENTE

Ontem, mais uma vez, me confirmaram que a TVCOM vira pó neste mês.
Ou seguirá o que O Sul se tornou - um produto na internet.
Mais demissões, demissões, demissões.

--

ESCOLINHA O SUL EM PDF

(clica em cima que amplia)




--

É SÉRIA A CRISE DOS IMPRESSOS

Trechos de um texto de José Cruz, jornalista gaúcho, há 35 anos em Brasília, atualmente no UOL Esporte:

Na última reunião da Associação Nacional de Jornais (ANJ), os patrões pintaram o quadro dramático das empresas de jornalismo impresso.  O noticiário eletrônico avançou com força que não se imaginava, a ponto de já não se precisar nem dos confortáveis tablets para saber sobre a notícia do dia.
(...)
Os jornais foram “atropelados” e não sabem como operar a dualidade da internet e da edição de amanhã. Trabalhei numa empresa que enfrentou esse dilema. Tínhamos a notícia espetacular, o “furo”, que em vez de ir para a rede era guardada para a edição impressa de amanhã. Não raras vezes, nossa notícia exclusiva apareceu no noticiário da internet na madrugada que o jornal estava sendo rodado com a “grande informação”. A falência passou por aí.
(...)
A queda de anunciantes é visível, e o desaparecimento dos classificados também.  Hoje, compra-se carro e aluga-se casa ou apartamento pela internet, com a vantagem de falar com o dono do imóvel pelo “face”...
E o governo, principal anunciante até há pouco tempo, redireciona suas verbas para outros veículos com maior audiência, e aí está mais um motivo para a triste agonia econômica do jornalismo impresso.
Tudo isso estava previsto já em 1970, quando o canadense Marshall McLuham escreveu o clássico “Os Meios são as Mensagens”, best seller dos estudantes de então.
Filósofo, educador, intelectual e teórico da comunicação, McLuham mostrava, há meio século, que os meios de comunicação se tornariam uma extensão do homem. É dele também a teoria sobre a “aldeia global”. Isto é, chegaríamos a uma evolução tecnológica tão avançada que o mundo se tornaria uma comunidade só, uma “aldeia global”, com comunicação e troca de informações instantâneas. Está aí o celular com todos os seus infindáveis recursos a mudar o comportamento humano, social e familiar.

--

A CONFIRMAR

Me enviam email dizendo que o desenho do Bob Esponja, que o SBT transmite, está com maior audiência do que a Ana Maria Braga e Fátima Bernardes.

--

HAHAHAHA!!!!

Recebo do André RV:

Depois do primeiro caso de injúria racial SEM VÍTIMA... Só tenho uma coisa a dizer: CHUUUPPPPAAAAA POTTER...

No Correio do Povo:

Fabrício nega que tenha sofrido injúria racial e pede desculpas ao Inter

Lateral-esquerdo foi apresentado nesta quinta-feira no Cruzeiro

--

AGORA, DOUTOR GADRET

O senhor vai ter mais tempo para cuidar das rádios e TV.
Não sei se fará isso, mas é fundamental escutar alguns funcionários sobre os "métodos" usados pelas chefias.
O senhor sabe muito bem que pequenas perseguições - em escalas, por exemplo - é coisa de amador.

--

LICENÇA POÉTICA

O rádio gaúcho é pródigo:

Amanheceu o dia...
Nuvens no céu...



--



ponto da convocação






COMPANHEIROS CONFRADES!

Imbuído do centralismo democrático que caracteriza este Presidente, convoco a todos para a primeira reunião da Confraria do Cachorro Quente neste 2015. Sei que deveria ter sido no início do ano, em março, mas me passei.
Será no próximo 16 de abril. quinta-feira, a partir das 19 horas, no nosso tradicional local:
Posta Del Diablo
Avenida Lima e Silva, 587 - quase ao lado do Nicu's e na frente do Zaffari.
TODOS SÃO CONVIDADOS!
-
Portanto, não esperem convites individuais.
É só chegar!



--



ponto da fotografia




GURIAS DIVAS





Começa pela esquerda (foto de Verita Diehl):

Adriana de Almeida, a de bolsa vermelha é Zoravia Bettiol. , Tania Carvalho, Alice Urbim e a Vera Carneiro.
-
A Tania explica, em post no Facebook: Minha turma passeando na Padre Chagas.



--



ponto da memória



A GAÚCHA ERA TRI


Jornal do Almoço, parte do elenco, século passado. Ainda era TV Gaúcha.
Vou te contar, o RS assistia.




Se identifica fácil, vários:

- O bigodão do querido Clóvis Duarte;
- Bem ao centro, com um cabelo panteresco, Suzana Saldanha;
- Bem acima, de camisa branca, Rui Sphor;
- Bem a esquerda, de lado, Roberto Gigante;
- Bem a direita, acima, Luiz Carlos Mello, o Mellinho;
- Balala Campos, abaixo do Mellinho;
- Com o braço na perna da Suzana, a repórter Sandra Salgado.
-
Quem identifica os demais?



--



ponto  da perguntinha



Será que, agora, vamos poder terceirizar
esse Renan Calheiros para a PQP?



--



ponto g




QUEREM ESTRAGAR O MEU PARAÍSO

Num pequeno texto do  Leo Gerchmann, no Blog Território Latino, do clicRBS, fico sabendo que venezuelanos começam a invadir o Uruguai. Leia:

O Uruguai, aqui ao lado, tornou-se um reduto para venezuelanos descontentes.
Nos último seis meses, radicaram-se 355 no país vizinho.
Em todo o ano de 2013, haviam sido apenas 36.
Motivos: escassez de produtos, inseguridade, inflação e falta de perspectivas.
O consulado uruguaio na Venezuela diz: há dezenas de consultas.
De venezuelanos que querem vir para o Uruguai.
E de uruguaios que vivem na Venezuela e querem voltar.

--

GRENAL OU BRAJU?

Na real, Internacional e Grêmio não mereciam se classificar.
Times medíocres.
-
Vai ser muito legal se a final for entre o Juventude e o Brasil de Pelotas.

--

BOATARIA DA SEXTA

Dona Dilma estaria pensando em renunciar.
Hahahaha!!!
Aceito apostas.



--



ponto da piadinha


(clica em cima que amplia)




14 comentários:

  1. Não sei o que é pior: o descaso dos senhor prefeito com a Cidade Baixa (e a cidade toda deixando obras inacabadas e permitindo ocupação em praças), os proprietários de bares que julgam serem os donos das calçadas, trancando o passeio público ou a falta de fiscalização e de policiamento. Virou terra sem lei! Só os moradores se ferram...

    ResponderExcluir
  2. Prévidi essa questão dos anúncios das estatais em jornais, é um problemão que está cada vez mais sem solução

    - As verbas de anúncios federais vão quase em sua totalidade para os jornais grandes, se um jornal pequeno ganha um anúncio tem que esperar mais de 6 meses para receber.

    -As verbas estaduais como Banco RS e Governo está cada dia mais centralizada nos grandes jornais, mas uma certa culpa é das agências que só querem negociar com jornais grandes e diários por não querer trabalhar com valores menores.
    Muitas vezes eles negociam com uma "associação" que repassa os anúncios aos veículos, sendo assim cada jornal não consegue impor seu preço, além receber sabe-se lá quando.

    O que ainda salvam os jornais menores e semanais são as prefeituras e os supermercados de pequenas redes, estes anunciam toda semana suas ofertas.

    tiago
    novo hamburgo

    ResponderExcluir
  3. Viram que o Kenny Braga escreveu uma coluna hoje que está no Clicrbs?
    Ele voltou ou foi coisa esporádica?

    ResponderExcluir
  4. Não são as estatais que estão comprando a informação, cerceando, com suas verbas gordas. Entidades de classe e sindicatos também!
    Engenheiros, médicos, laticínios, etc, todos metem uma grana gorda na mídia local!
    Recentemente, quando rolavam as denúncias sobre adulteração do leite, por exemplo, a Sindilat começou a veicular spots na Rádio Gaúcha sobre a importância do leite e a garantia de qualidade do produto.
    Na mesma semana, Tulio Milmann fez um constrangedor comentário sobre a importância do leite para nós e, mais, disse que não deixaria de beber leite porque confiava na marca que comprava (que estava entre os acusados por adulteração - crime hediondo!).
    Mas, como diria aquele filósofo (???) "jornal não faz jornalismo, jornal faz política!".

    ResponderExcluir
  5. Previdi, foi dada a largada para a corrida mais bizarra da comunicação local:
    Tílio Milmann, Luciano Potter e David Coimbra disputam a posição para ver quem agarra melhor o saquinho do Dudinha!
    Note que os três deixaram (bar)bichinhas para ficarem parecidinhos com tito Nelson.
    Quem ganha?

    ResponderExcluir
  6. Concordo com o texto da cidade baixa.
    Sou morador e frequentador e também acho que estamos vivendo numa terra sem lei no nosso bairro.
    Não tenho esperança que mude alguma coisa nessa administração. São só promessas e enrolação. Cansamos de reclamar e registrar ocorrências no 156.
    Lamentável.

    ResponderExcluir
  7. No lado esquerdo da Foto da Gaucha Era Tri, com o rosto virado, não é o Roberto Gigante e ao seu lado a Maria do Carmo?

    ResponderExcluir
  8. Assim como o Potter eu também ouvi chamarem o Fabrício de macaco! Quem não ouviu foi o Fabrício e se tivesse ouvido, vocês acham que, depois de tudo o que aconteceu, ele diria que foi ofendido? O que acha sr.André RV? Não venham dar uma de malandro que ninguém aqui é inocente! Eu ouvi, o Potter e muita gente lá no Beira-Rio ouviu injúria racial! Mas faríamos o quê diante daquela masa? Pegaríamos quem ofendeu pelo cangote e levaria até a polícia? Como nenhuma emissora de TV fez imagem fica assim, o dito pelo não dito, mas não venham com brincadeiras de mau gosto que fica ruim pra quem faz!
    Luiz

    ResponderExcluir
  9. Jose Manoel Garcia10 de abril de 2015 18:24

    Caro Previdi duas observações uma sobre o nobre Fortunati ( chamado de almofadinha a época anos 80 das eleições no sindicato dos bancários o grito era o Fortunati almofadinha o MR-8 vai botar você na linha faziam assembleias (eleições)de 2 ou 3 dias na sociedade espanhola na Andrade Neves 81 depois das eleições era cervejada em outra oportunidade posso te relatar mais agruras destas eleições) se o prefeito não sabe o que ocorre no seu quintal Praça da Matriz pois seu apê e de frente para a mesma deve estar morando na Lomba Grande em NOIA onde tinha ou tem um sitio.
    A outra na foto não identifico mais ninguém alem dos que você o faz mas o local da festa era no ÁGUA NA BOCA na praça do portão do saudoso na noite (não falecido) Pedro Mello sabes por onde anda.

    ResponderExcluir
  10. Ninguém viu, não há registro em vídeo, não há nada sobre injúria racial naquele dia, no Beira Rio.
    Nem o Fabrício ouviu, ele já negou!
    Ora bolas, se a própria vítima nega o fato, por que raios deveríamos acreditar no bostalhão do Potter???!!! Tenha a Santa paciência!
    E se alguém mesmo viu, como refere o anônimo, então que saia do anonimato, deixe de ser cagão e vá até a polícia. Do contrário, estará ajudando a encobrir um crime.
    Agora parem de tentar colocar esse piá bostalhão debaixo das asas e deixem que ele se responsabilize pela cagada!

    ResponderExcluir
  11. Ler a tua crônica/apelo foi como ver um documentário sobre a decadência desse bairro tão querido. Espero que o prefeito - e o governador - aceitem a tua sugestão. Salvar a Cidade Baixa é possível.

    ResponderExcluir
  12. Oh Luiz que ouviu chamarem o Fabricio de macaco, por favor dá seu nome completo, cpf, endereço e fone, ok? Assim poderíamos acreditar.
    E o Cacalo continua fazendo besteirol no Sala, acho que ele está entrando no sala logo após ingerir alguma coisa diferente ou está pinel. É deprimente fazer o que ele faz. E se acha a ulrima bolachinha do pacote. Nem os gremistas aguentam mais.

    ResponderExcluir
  13. Que o Potter é um bosta isso todos já sabem!
    O problema é ele ser um bosta e se achar O cara.
    Zero de humildade, imensa arrogância, gigantesca empáfia, e profunda estupidez: assim se define Luciano Potter, o bostalhão!

    ResponderExcluir
  14. O sujeito que quer que eu dê o meu nome, cpf, telefone mas se assina como anônimo.No entanto ele,pelo menos sabe que eu me chamo Luiz.Mas vou te explicar: não adianta eu ir na polícia pois eu não filmei este momento, basta apontar o celular que o sujeito para de falar e te ameaça; em segundo lugar se ameaçaram o Potter de morte, tu acha que eu vou dar todos estes dados que tu queres? Quanta inocência e ingenuidade para pedirem que se vá à polícia, quando se sabe que não vai dar em nada! Mas me admira tu e outros por aí acharem que na torcida do Inter são todos uns santos!E ao anônimo da 00.13, o Potter poderia ser tudo isto que tu escreveu sobre ele (com o que não concordo) mas mal-educado como tu, ah! isto ele não é!
    Luiz

    ResponderExcluir