Terça, 21 de junho de 2016




 Atualizado diariamente até o meio-dia.
Eventualmente, à tarde, notícias urgentes.










"ESTÃO COM MUITO FRIO? EU NÃO"






EU QUERO SOL!
EU QUERO CALOR!
EU QUERO PRAIA!









mundo estranho



NO TCE:

CONSELHEIROS SÃO APARTIDÁRIOS.
CCS PODEM INTEGRAR CAMPANHAS?



No aniversário de Luciana Genro, em janeiro deste ano:
a cúpula do PSOL e o coordenador de imprensa do TCE-RS, Marcos Rolim



A primeira obrigação de um conselheiro indicado para o Tribunal de Contas do |Estrado é se desfiliar de partido político. Não tem a menor chance de ser conselheiro e levar uma vida partidária, participando de convenções, por exemplo. No entanto é pedir demais que um político simplesmente esqueça décadas de militância e sobretudo eleições. Eles, informalmente, continuam participando das decisões daquelas regiões em que atuavam.
Assim aconteceu com todos que passaram por lá, os que estão no TCE e os que serão futuramente indicados.
É como uma tradição os governadores indicarem deputados estaduais para as vagas de conselheiro. Isso não impede que outros políticos sejam lançados, como ocorreu desta vez, quando Cezar Schirmer, prefeito de Santa Maria, estava na "disputa" com o deputado estadual Alexandre Postal, o indicado.
-
Também não impede que até mesmo funcionários do próprio TCERS se lancem como candidato a uma vaga. Foi o que aconteceu durante o Governo Tarso Fernando. O jornalista Marcos Rolim, coordenador de imprensa do Tribunal, foi até reivindicar a indicação, mostrando o que poderia ser feito para aperfeiçoar os mecanismos de fiscalização e enviou cartas a personalidades do Estado pedindo apoio. Não levou, é claro.
O curioso é que se ele tinha ideias para aperfeiçoar os mecanismos de fiscalização, por que não sugeriu a seus empregadores?
-
Acompanho as indicações para o Tribunal de Contas do Estado desde a década de 80 e por ter vários amigos que por lá passaram sei como funciona aquela máquina. Como os ex-deputados não se envolvem diretamente em política, sempre acreditei que os servidores, especialmente os CCs (cargos em comissão)  também não pudessem se envolver diretamente em política, principalmente em campanhas eleitorais.
-
Me informam que o coordenador de imprensa do TCERS, Marcos Rolim, está na campanha da pré-candidata a Prefeitura de Porto Alegre, Luciana Genro. Como é um "especialista em segurança", um teórico respeitado por algumas pessoas, está trabalhando na área para a pré-candidata do Psol.
Quer dizer, um funcionário de conselheiros apartidários engajado em uma campanha eleitoral?
-
O presidente do Tribunal, Marco Peixoto, e as atividades dos demais conselheiros raríssimas vezes são noticiadas. Já ouvi que estão fazendo um trabalho exemplar, mas nada de divulgação. Basta uma rápida pesquisa no Google para constatar isso. Talvez o coordenador de imprensa tenha outras atividades fora do TCERS, que o impeçam de dedicação.
-
Rolim, ex-deputado estadual do PT e agora militando no Psol, não deve sentir-se a vontade com Marco Peixoto, ex-deputado do PP. Será que é isso?
O mais estranho é que Rolim recebe mensalmente quase 30 mil reais! Está desprezando toda esta grana?
-
Em resumo: o cara é CC, ganha uma grana preta, e está a serviço de uma pré-candidatura à Prefeitura.
Tá pedindo, né?
Cá entre nós: desde o início do ano sabia que o atual presidente estava escanteando o coordenador de imprensa, preparando o terreno para demiti-lo, de uma área em que era dono desde 2010.
-
Pra encerrar: o mais fantástico é que ele tem bronca com alguns setores da mídia.
Aí convenceu algumas cabeças dentro do TCE de que a Assembleia Legislativa não poderia fazer campanha publicitária em alguns veículos.
Agora, está empenhado em fazer o mesmo em uma área do Governo do Estado.
(É DE ADMIRAR QUE A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA E O GOVERNO DO ESTADO CAIAM NA CONVERSA MOLE DO ARTISTA. MAS ESSE É OUTRO ASSUNTO)
-
Vai, Marcos Rolim!!

(clica em cima que amplia)



-
Agora, pra encerrar mesmo: Luciana Genro saiu do estafante cargo de coordenadora da bancada do Psol na Assembleia Legislativa, composta de um deputado, Pedro Ruas. Quem sabe o Rolim não consegue o esfalfante encargo? A grana é menor, mas...  estaria em casa.




--



mundo da memória


No Blog do Prévidi, em 21 de junho de 2014


10 anos, meu Deus!!
As vezes fico imaginando o que o doutor Brizola estaria falando de tudo o que está acontecendo no Brasil. O que falaria? Ou será que teria voltado para o Uruguai, de saco cheio? Será que teriam feito todas estas "estripulias" no Ministério do Trabalho? Estaria ao lado de Dilma?
Bah, não sei,o cara sempre foi imprevisível - por isso pensei nessa do Uruguai.
Nesses 10 anos, desde a sua morte, o Brasil mudou muito.
Queria ver o velho aí, cheio de gás, não é verdade?
-
Escrevi isso há dois anos!
Imagina hoje!! O Brizola não resistiria a tudo isso!!
Sei lá, mas acredito que ele já estaria articulando uma revolução de verdade, para terminar com toda esta putaria.



--




mundo midiático 1


Rogério Mendelski e o new journalism babaquara






Nelcira Nascimento (que repórter!, que tive a honra de tê-la como colega por muitos anos!) foi no fígado do "new journalism" que confunde notícia - ou mesmo a própria profissão - com militância. O problema todo, meu caro Prévidi, é que um tipo de repórter acha que ao escrever ou narrar um fato não tem um teclado ou um microfone nas mãos, mas um AK 47.
Pensa que é um revolucionário e aí a Nelcira mata a pau - "até conseguirem um cargo em comissão".  Quem eles pensam que estão enganando quando, por exemplo, o fato é uma invasão e eles escrevem "ocupação pacífica". Recomendo a leitura de "A Hora dos Ruminantes" de J.J. Veiga.  Muitos coleguinhas irão se identificar com os "ocupantes pacíficos".
Li "A Hora..." em 1970, quatro anos depois do lançamento. Ele está atualíssimo com tantas "ocupações pacíficas" - escolas, prédios públicos. etc. Só queria dizer, com tua permissão, que gostei muito do que a Nelcira escreveu ontem no teu blog.
Recentemente, encontrei depois de muitos anos o Dr. Márcio Nascimento Becker, filho de Nelcira e Sérgio Becker (outro grande jornalista, crítico de mídia moderna e escritor). Gente finíssima e como fruta boa, não poderia ter caído,longe do pé.



--



mundio midiático especial


Ubercopter?
Uma verdadeira aula de jornalismo


Conheça esse novo serviço que existe em São Paulo.
O repórter Rafael Machado, numa impecável matéria, mostra este novo serviço. Um excelente trabalho para ser exemplo aos repórteres das redes de TVs. Aliás, para todos os jornalistas.





Sabe quando este serviço vai chegar a Porto Alegre?
Aliás, a capital gaúcha não sabe o que é helicóptero.
-
E O Rafael é mais um talento que deixou Porto Alegre.
É muito competente para atuar por estas bandas (calma, não se irritem!!).



--



mundo midiático 2


"Antro de canalhas"


Recebi hoje um relato de um ex-funcionário do Conglomerado Midiático. Impressionante.
O jornalista foi até o prédio da TV em que trabalhou por 18 anos para falar com um amigo.
Acontece que os GK - Gestores Kellogg's -, que nada aprenderam com suas teses de mestrado e doutorado, contrataram uma "executiva" como gerente administrativa desta TV, que fica na zona sul do Estado.
Ele conta:
"Sabe o que aconteceu? Tinha uma ordem da tal gerente de que os ex-funcionários, e principalmente os que acionaram o Conglomerado Midiático na justiça, estão proibidos de passar do portão.
O guarda (porteiro) que é meu amigo de longa data ficou extremamente constrangido. Alguns amigos ficaram constrangidos e vieram até o portão para me dar um abraço. O diretor comercial ficou constrangido e ligou para a tal moça dizendo que eu sou um cara respeitado e conhecido na cidade e que não ficava bem o que ela estava fazendo comigo. Como ela disse que não iria voltar atrás, até o diretor comercial foi até ao portão me dar um abraço... Que eu saiba a TV é uma concessão pública e eles não podem proibir ninguém de chegar pelo menos até a recepção. Fora isto acho humilhante tanto pra mim como para qualquer outro funcionário".
O jornalista conta mais uma:
Eu tentei fazer um acordo com a diretora do principal jornal do Conglomerado Midiático antes de sair. Ela, arrogantemente mandou procurar meus direitos na justiça. Fui a Porto Alegre várias vezes e ela não me recebeu. Ela é uma canalha, aliás... O Conglomerado Midiático virou um antro de canalhas.



--




porto alegre abandonada


E eles colaboraram para piorar ainda mais


Glauco Fonseca escreve:

O vereador Marcelo Sgarbossa (PT) é parte de um fenômeno que se repete na esquerda do âmbito do colendo de edis de nossa cidade. Ele, Fernanda Melchionna e Sofia Cavedon são minoria e, mesmo assim, conseguem emplacar na imprensa e na pauta projetos que - todos sabem - são impraticáveis, como é o caso do fechamento do centro para automóveis e, mais recentemente, a criação de corredores de ônibus na Av. Ipiranga.
Por mais que os projetos sejam estapafúrdios, por mais que sejam inexequíveis por um município quebrado e decadente, são quase sempre estes três vereadores que nos lembram que a Câmara de Porto Alegre realmente EXISTE. Ainda que não seja para o nosso orgulho, esses três criam a pauta de modo instantâneo, auxiliados, é claro, por uma imprensa encarnada e encardida, mas ainda operante. Mas fazem a pauta e rodam o noticiário, criando a discussão, mesmo estando em franca minoria numérica, moral e técnica.
Que isto sirva de lição aos demais vereadores: Aprendam com os espaçosos da esquerda como fazer "buzz". Do contrário, dar nomes a ruas e proibir o progresso será pauta única para os próximos 4,5 anos.
Vote direito em 2016!



--


mundo da esperança


Será que vai tudo para "reajustes" ou "reposições" salariais?

José Ivo vai ter 280 milhões de reais no cofre, todo mês até dezembro,



--



mundo cruel


CAOS!
Suspensão de atendimentos médicos ou atraso nos pagamentos


Pelo menos onze hospitais situados no Interior e Região Metropolitana do RS registram paralisação ou possibilidade de suspensão da assistência médica. Segundo o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS), que acompanha todos os movimentos e negocia com as direções dos estabelecimentos a regularização das pendências, os motivos que levam a essa situação extrema (quando não há mais alternativa além de paralisação) são meses de atrasos nos pagamentos dos profissionais e a falta de estrutura, insumos e medicamentos para atendimento dos pacientes.
“Os profissionais não podem ser os responsáveis por suportar a crise que afeta os hospitais no Estado e País”, alerta a vice-presidente do SIMERS, Maria Rita de Assis Brasil. A situação atual é uma das mais graves dos anos recentes, pelo número de movimentos que ocorrem ao mesmo tempo. Estão com suspensões de atendimentos os hospitais de Camaquã e Três Passos.
Estado de greve foi decretado em Bagé, Uruguaiana e Osório. Em Gravataí, as dificuldades no Hospital Dom João Becker atingem pendências desde 2015.  Em Viamão, além de atraso, há discussão sobre as condições de trabalho. Em Frederico Westphalen, em razão de atrasos desde dezembro de 2015, os médicos plantonistas do Hospital Divina Providência rescindiram os contratos.
-
A situação é perturbadora. Sem receber por meses, médicos são forçados a paralisar suas atividades e acabam sendo responsabilizados pelo fechamento das instituições. O motivo é a falta de repasses ou a ineficácia na gestão de recursos que atrasa salários e remunerações de médicos e outros profissionais de hospitais.
-
QUADRO: 

Hospitais com médicos parados ou que podem suspender atendimentos. Os motivos são atrasos nos pagamentos e falta de condições de trabalho.

MÉDICOS PARADOS
CAMAQUÃ: Médicos do Hospital Nossa Senhora Aparecida (HNSA) estão com escalas de plantão e atendimentos suspensos desde 12 de junho. Atrasos de pagamentos de dois meses e ainda enfrentam redução de 12% nos salários desde a metade do ano passado. O hospital alega dívida de R$ 8 milhões.
TRÊS PASSOS: Salários atrasados desde janeiro de 2016. Procedimentos eletivos paralisados. Os médicos dos setores de urgência e emergência rescindiram os contratos (Hospital está contratando outros médicos para manter o atendimento).

MÉDICOS PODEM PARAR
BAGÉ: Médicos da Santa Casa de Caridade não recebem as remunerações desde março deste ano. Os obstetras estão em estado de greve desde maio. Os demais especialistas avaliam aderir ao movimento.
LAGOA VERMELHA: Hospital São Paulo tem atraso dos honorários desde fevereiro. O SIMERS vai notificar a instituição exigindo o pagamento imediato sob pena da suspensão do atendimento em 30 dias.
OSÓRIO: médicos do Hospital São Vicente de Paulo aprovaram estado de greve. Atrasos nos pagamentos desde fevereiro de 2016.
URUGUAIANA: Os médicos da Santa Casa de Caridade de Uruguaiana deflagraram estado de greve. Atraso de dois meses nos pagamentos. Faltam remédios, luvas para procedimentos, sabão líquido e até papel toalha.

ATRASO DE PAGAMENTOS
GRAVATAÍ: o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul informou ao Ministério Público Estadual que ainda não há solução para o pagamento das remunerações atrasadas de abril a setembro de 2015 dos médicos do Hospital Dom João Becker.
FREDERICO WESTPHALEN: contratos dos médicos plantonistas do Hospital Divina Providência foram rescindidos devido aos atrasos de pagamentos desde dezembro de 2015.
JAGUARÃO: Santa Casa não paga Autorizações de Internação Hospitalar  desde janeiro de 2015.
ROSÁRIO DO SUL: dois meses de atraso (abril e maio) da remuneração dos médicos do sobreaviso do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora.
VIAMÃO: parte dos médicos prestadores de serviço do Hospital de Viamão (administrado pela Fundação que dirige o Instituto de Cardiologia) estão com remunerações em atraso. Discussão sobre condições de trabalho.




--




mundo midiático 3



FRIO NO SBT RS - O que significa não ter um teto? Com esse questionamento, a equipe de jornalismo do SBT RS durante noites frias foi em busca da resposta. Acompanhou a rotina de quem não tem casa e vaga pelas ruas de Porto Alegre. Moradores que improvisam abrigo debaixo de marquises, viadutos e até lugares inusitados com temperaturas perto de zero grau.
A reportagem de Leonardo Bonesso mostra depoimentos emocionantes, histórias dramáticas e pessoas que perderam o vínculo familiar por causa de drogas, bebidas e problemas psicológicos. Segundo a FASC (Fundação de Assistência Social e Cidadania da prefeitura de Porto Alegre), cerca de 1.400 pessoas vivem em situação de rua na capital.  "A ideia da nossa série é mostrar a realidade desses cidadãos que enfrentam todas noites a vida dura de quem dorme na rua", afirma Bonesso.
A série "Filhos da Rua", com 3 matérias, será exibida a partir desta terça-feira, dia 21 de junho, no SBT Rio Grande 2ª edição, às 19h20MIN.
-
BURRICE RADIOFÔNICA - Esta o arquiteto Eduardo Escobar escutou na rádio "líder": "Companhia da Legalidade".
-
CARA CHATO - Vou ter que deixar de ouvir o Bom Dia, do Rogério Mendelski na Rádio Guaíba. Em alguns horários. O cara é um chato de galocha! Não, não estou tratando do Renato Rossi, mesmo que não me interesse em saber da vida dos poderosos que fabricam carros, Refiro-me ao Flávio Dal Pizzol, que faz comentários sobre futebol. O papo dele é legal, mas o cara SEMPRE começa com as delícias da Confeitaria Andradas, na Rua da Praia. É sacanagem!! Eu nem tomei café e o cara desfila uma quantidade de iguarias que levou pra redação!! Qualquer hora passo por lá, Flávio, e mato a curiosidade.
-
NO POPULAR, PUTEIRO!! - "Teatro", "explora a sensualidade", quanto cinismo!!


-
MARAVILHA!!


-
ACREDITE - Assinatura de uma "matéria" naquele jornal, um dos maiores do universo:

mfc/mp/kb/str/ra/mr



--




mundo das piadinhas







3 comentários:

  1. O salário mensal do cabo eleitoral da Luciana Genro no TCE era de R$ 26.600,00 que penso dinheiro demais para quem nada produz efetivamente.

    ResponderExcluir
  2. Belíssimas budas hoje. Melhor do que uma bela bunda somente duas ou mais, penso. Como podes ver, não é o único apreciador de belas bundas. Hahaha...
    Penso que quase todos apreciam essa parte da anatomia do corpo feminino, mas por certo a quase totalidade não tem a coragem para dizer tal.

    ResponderExcluir
  3. Qual será a opinião do sindicato sobre os médicos de Santa Maria que "matavam" o serviço e que quando foram cobrados pela sua permanência através de ponto simplesmente "desapareceram" pedindo licenças?

    ResponderExcluir