Quinta, 6 de abril de 2017



Jamais troquei de lado.
Por quê? Eu não tenho lado.
Ou melhor, o meu lado sou eu






Atualizado diariamente até o meio-dia.
Eventualmente, à tarde, notícias urgentes.












"classe média consciente":
sai o estupro e entra o assédio






semi-licença-saúde





TÁ FEIA A COISA NA RECORD RS.
PINTOU ATÉ DENÚNCIA DE ASSÉDIOS


Elisângela Veiga foi demitida na TV Record RS. Depois de 5 anos trabalhando na produção da emissora.
Como adoram copiar a globo e suas repetidoras estão demitindo em conta-gotas.
Estão fazendo "uma limpa" na emissora. Junto com a Elisângela foi o motorista e auxiliar Marcos Luz, com oito anos de serviço.
...
Seis meses depois que os funcionários da Record RS fizeram uma paralisação por melhores condições de trabalho, parece que as coisas por lá só pioraram. As demissões dos que participaram do ato não param.
Já foram oito os funcionários demitidos. Quem será o próximo?
...
Fora as demissões, tem gente que não aguenta mais trabalhar na TV Record RS. Foi o caso da repórter Lizandra Ongaratto, que não aceitou a demissão dos colegas e pediu pra sair.
No lugar de Lizandra e dos outros demitidos foram contatados dois novos repórteres: Bruno Gerhardt e Fernanda Sampaio.
Qual a surpresa?
Gerhardt pediu demissão com um mês de casa e voltou para o Paraná. Já Fernanda aguentou um pouquinho mais. Ficou três meses e pediu as contas.
Motivos: não se adaptaram e não aguentaram o clima pesado da redação.
...
É impressionante a situação em que se encontra o caso do repórter Luiz Barbará. Ele que foi vítima de cárcere privado e não teve ajuda da empresa durante a gravação de uma reportagem e segue afastado. E o pior, já são 4 meses sem receber.
Em processo que tramita na 30 vara da Justiça do Trabalho a TV Record diz que "o contrato do reclamante ainda está ativo, de modo que não se cogita indenizar estabilidade de trabalhador que se mantém empregado". Estranho, não?
...
OUTRA INCRÍVEL: Mônica Fonseca que faz "A Hora da Venenosa", o momento de maior audiência da TV Record RS, ganhou bebê em janeiro. Incrivelmente em fevereiro a moça já estava trabalhando de novo. Será que pode? Cadê a licença maternidade?
...
Não faz muito tempo, o apresentador Alexandre Gordinho Mota era considerado o "presidente de fato" da TV . Será que também não suporta mais? Para terem uma ideia, logo depois da demissão do Marcos Luz ele lamentou, no Facebook, a dispensa - "...um exemplo de profissional e um cara excepcional...".
...
Ontem a Elisângela Veiga publicou este texto no Facebook:

ASSÉDIO MORAL E SEXUAL

Estava esperando a poeira baixar e meu coração e minha mente darem uma desacelerada para vir aqui dar esta ''notícia''...
Não faço mais parte da TV Record. Fui demitida na última segunda-feira.
Foram 5 anos na produção. 5 anos de muita dedicação e dando o meu melhor. E nos últimos anos, me dedicando 100 %, construindo uma agenda de fontes de alto nível, tudo para dar ainda mais qualidade ao meu trabalho em parceria recíproca com as polícias Militar e Civil, sem deixar em momento algum o meu descontentamento com o ambiente de trabalho e com a chefia atingir o meu desempenho profissional.
Mas, infelizmente, há muito tempo as coisas só estavam piorando por lá... No final do ano passado decidimos fazer um dia de greve para chamar a atenção da chefia superior sobre os assédios moral, que todos sofrem, e até mesmo sexual, que eu sofri, naquela emissora.
O resultado foi a demissão de apenas um dos chefes, o que me assediava sexualmente, a permanência da outra chefe, que pratica assédio moral com todos, e a demissão de 8 funcionários, incluindo eu, que lutaram por melhorias nas condições e no ambiente de trabalho.
Tenho certeza absoluta que Deus encerrou um ciclo para abrir um novo, e melhor, na minha vida.
Agradeço a Deus por até aqui ter me mantido de pé diante das injustiças que la sofri e pela certeza de que algo muito melhor Ele tem preparado pra mim!
Agradeço também por Ele ter colocado no meu caminho colegas e amigos incríveis que levarei para sempre comigo!
Agradeço também pela experiência adquirida lá e pela ajuda de pessoas, colegas e amigos, que me auxiliaram e compartilharam comigo comigo seus conhecimentos.
Não posso deixar de agradecer meus parceiros e amigos da Polícia Civil e da Brigada Militar pela perfeita e certeira parceria de trabalho! Continuem contando comigo! Obrigada pelo apoio e pelo carinho de sempre, e se Deus quiser, muito em breve estarei aqui avisando sobre a minha contratação em outra emissora.
Agradeço também por cada ''case'', personagens das pautas, que tive a honra de conhecer e até mesmo me tornar amiga dessas pessoas incríveis.
Grande abraço em todos que fizeram e ainda fazem parte da minha caminhada!
Deus sabe o que faz e sigo de cabeça erguida porque é dessa direção que a minha vitória vem!


-

A FRASE DO ANO - "Temos que vencer o preconceito". E aí o que já ouvi e li de bobagens não é mole.

-

COLABORAÇÃO IMPRESCINDÍVEL - Do Rafael Ponzi Wiethoelter:
A IMAGEM DO ANO!




Leiam o texto abaixo, da Mônica. São irrefutáveis os argumentos dela, de que esta "união" jamais existiu e não existe.


-

UM BANHO DE ÁGUA FRIA NO ASSÉDIO - O texto está no Facebook, na página da médica Mônica Petter Schneider:

AS MACHISTAS SOMOS NÓS


Já que o assunto do momento é o machismo, eu vou dizer um coisa (não me odeiem gente, é só minha humilde opinião): os maiores machistas da nossa sociedade não são os homens e sim as mulheres.
O dia em que as mulheres de fato forem unidas e parceiras entre si como os homens são, e o dia em que pararmos de julgar umas as outras (ou porque é  santa de mais, ou porque se expõe demais, ou porque trabalha demais, ou porque é uma desocupada, ou porque tem filhos, ou porque não tem, ou porque é muito submissa, ou porque é muito autoritária, ou porque é muito vaidosa, ou porque é muito desleixada e assim por diante)...aí sim vai haver mudança.
Já viram um homem fazer isto com outro homem? Eu nunca.
Mas já vi centenas de mulheres falarem coisas desse gênero de outras.
Então eu concluo que o machismo foi criado por nós mulheres...e portanto a mudança de pensamento (mais parceria, menos julgamento, mais cumplicidade umas com as outras) precisa começar por nós mesmas.
Eu tento fazer esse exercício diariamente, pra não me tornar mais uma mulher machista nesse mundo.


-

O ASSÉDIO NA DINÂMICA CASA DA GANDAIA DO POVO - Em 27 de junho, os ágeis deputados estaduais vão aprovar uma comissão especial "para tratar dos casos de assédio". A primeira reunião será no Rio de Janeiro (várias diárias) para ouvir o ator José Mayer e a figurinista Su Tonani.
Depois irão a Buenos Aires (diária internacional) para conhecer os procedimentos dos deputados argentinos quando há denúncias semelhantes. A deputada popular e progressista Stela Paris Banco Santos Farias irá propor um encontro em Paris. Para quê? "Ora, quem não gosta de Paris?".

-

O GURI CANTOR - Do Francisco Mecking, de Panambi:
Vendo este guri, que é a nova celebridade dos pampas, e que alias não canta absolutamente nada, noto com tristeza a que ponto chegou a dita "cultura gaúcha". Sorte que, em no máximo 2 anos, ninguém mais vai se lembrar dele. A menos que a RBS crie o "Galpão Crioulo Kids". Mas enquanto continuarmos a entoar o mantra de "sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra" vamos ter que aguentar outros gauchinhos Thomas Machado.


-


SOBRE O PROFE NADO E O ATAQUE A LASIER - Escreve o jornalista Gilnei Lima:
Para os que não sabem e aplaudem sem assistir ao show, vai algumas informações básicas: há algum tempo, por ordem de Tarso Fernando, um grande contingente de petistas se desfiliou do PT, se transferindo para o PDT, com a tutela e acolhida de Lupi (o nome de peso mais recente é Jairo Jorge, ex-prefeito de Canoas).
O professor Ronaldo Nado Teixeira era chefe de gabinete do ex-ministro da justiça - ele mesmo, Tarso! Sob as ordens do ex-governador, o professor Nado voltou ao RS para instalar o diretório do PDT em São Leopoldo, creiam, com apoio logístico de José Fortunati e com recursos da PMPA. Nado perdeu as eleições para o próprio companheiro, Ari Vanazzi, do PT. Todos da mesma tribo.
Com a "derrota" nas urnas, Tarso tentou negociar com a Fundação Leonel Brizola para que seu "pupilo" se torna-se reitor, o que foi barrado pela turma da fundação no RJ. O professor Nado, por causa da campanha à prefeitura de São Leopoldo, licenciou-se da FGV, na qual lecionava, perdendo o emprego por conta do longo afastamento.
A FGV ainda deu uma bela "gorjeta" a Ronaldo Teixeira, mantendo-o em seus quadros e pagando salários durante todo o período de campanha.
Quanto ao ataque a Lasier Martins, tudo faz parte da estratégia de vingança contra o senador, que se organiza sob o comando compartilhado pelo trio formado pelo coronel Ciro Gomes, Tarso Genro e Lupi - o honesto.
O objetivo mais direto é enfraquecer Lasier perante a opinião pública e começar a escalada para que Jairo Jorge seja candidato ao governo do RS ou prefeitura de Porto Alegre. Quanto ao professor Nado, a meta é a Câmara Federal. A "matéria" publicada em um jornal de brasília teve a assessoria de um jornalista, sim: jornalista Jairo Jorge da Silva.
Minhas duas fontes confirmaram a jogada que se vale da oportunidade, lembrando que a ocasião faz o ladrão. Aliás, uma destas fontes é a mesma que antecipou, em janeiro de 2016, tendo como testemunha o vereador Marcelo Sgarbossa, que Manuela não seria candidata e que o comandante Raul tinha sido convocado a concorrer a prefeitura de Porto Alegre.
Lasier é a bola da vez. Resta saber exatamente qual o propósito.

-

QUE VERGONHA, HEIN DOUTOR GADRET? - Do Facebook: A Rádio Pampa repete, integralmente, matérias de outras emissoras. Agora, até denúncia feita pelo aplicativo da concorrente ganha espaço. Claro que nunca dão crédito...
Copiam especialmente das Rádios Guaíba e Gaúcha.

-


NÓS E A MARIA DO ROSÁRIO DEFENDEMOS A
RESSOCIALIZAÇÃO DE MENORES INFRATORES





-

PORTO ALEGRE CONTINUA ABANDONADA - Do jornalista Fernando Di Primio:

Hoje fui, com tempo, ao centro. Tinha que dar "umas voltas", sabe? Consertar óculos, procurar parafusos, essas coisas...E fui bem dentro do centro! Fazia tempo que não fazia isso.
Caminhei pela Rua da Praia, tentando imaginar como era o footing dos anos cinquenta...Mas logo me reprimi: "Fernando, nem tenta!"
A Livraria do Globo não está mais lá. A Slopper agora é Riachuelo; a Bromberg virou um mini-shopping (que pesadelo!); o relógio da Masson não funciona mais e nem ela também está lá e a galeria Malcon nem reconheço, bá!
Mas o mais incrível é a gritaria, que judiaria, a Rua da Praia não merecia! Tem gente gritando “almoço, buffet completo,com suco gelado". E por dez reais, ai meus sais!
Tem camelô haitiano por tudo o que é lado. E gente, com tabuletas no pescoço, se oferecendo pra comprar ouro (isso eu já conhecia) e, pasmem, cabelo! (Pensei em perguntar o preço que pagavam, mas, melhor não: diante de meus já parcos pelos talvez recebesse uma gargalhada como resposta) De quebra, ainda oferecem tatuagens, piercings e não sei o que mais! E vendem imagens e roupas por sete,oito reais...
As lojas, aliás, perderam todo o charme! Tempos de C&A fiquei a pensar... Algumas poucas, é certo, sobreviveram... Lembrei (e fui até lá), do Rei das Canetas, na Galeria do Rosário (essa, valha-me Deus!) que está lá desde 1958... Entrei numa ferragem antiga da Voluntários e soube que até hoje vendem pinicos! Passei na Haiti e me lembrei de ti! Nós juntos, trocando colheradas de sorvetes da banana split e eu comendo um sanduiche de presunto, sempre com um monte de assuntos!
E aí andei, garboso, pela Otávio Rocha, tentando imaginar como era ela sem tantas lojas de celular. Fui até a Renner e aí sim voltei um pouco pra infância... (Era lá que minha mãe nos levava uma ou duas vezes por ano, pra comprar todas as roupas e um Kichute. Pra depois subirmos no Terrace e devorarmos quitutes!)
Aí, suprema ousadia, fui acabar na Praça XV. Sentei-me nas mesinhas das (se posso chamar) lanchonetes do velho abrigo de bondes... Escolhi a "Pioneira do Caldo de Cana" e pedi uma latinha de cerveja. Cheguei a sonhar com um pastel, mas refuguei, tive medo. E fiquei ali observando, em meio à gritaria dos garçons que os disputavam quase a tapas, os incautos clientes, humildes gentes, que por ali passavam.
Olhei então para os velhos trilhos ainda no chão, fechei os olhos por breves momentos (com a mão inconscientemente indo ao bolso para proteger o I-Phone) e, na imaginação de quem fazia tempo que não ia dentro do centro, vi claramente o bonde Floresta fazer a curva e se aproximar apitando... E levantei num sobressalto: tava na hora de voltar pra casa...Triste, por perceber o que fizemos da nossa cidade...


-

EXCLUSIVO! A ARENA FEZ UM VÍDEO!!





-

piadinha






8 comentários:

  1. Para mim, o maior símbolo da decadência cultural do Rio Grande é o tal de Gaúcho de Uruguaiana. Que coisa mais ridícula, com aquela bigodeira falsa ( e tudo mais...). E a gauchada adora!

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo, Bethoven não é aquele cachorro d filme? Hahaha...

    ResponderExcluir
  3. Falando nos velhos e bons bondes de aquele bando de FDP durante a ditadura detonaram, lembro de fato ocorrido com um grupo de jovens do meu bairro, Petrópolis. Fomos um GRE-NAL disputado num pequeno campo onde então o Internacional disputava seus jogos, campo denominado de Eucaliptos. Vitória do Grêmio. Quando desembarcamos do bonde Menino Deus e íamos embarcar no bonde Petrópolis, um companheiro nosso, com problemas de fala, irritadíssimo porque havia sido derrotado no jogo ao ouvir um vendedor de cachorro quente com o mesmo problema de fala. Aqueles que calçavam sapatos vestiam calças e um avental brancos carregando seu balaio onde havia pães, salsichas, molhos etc. gritar oferecendo seu produto. Irritado ele gritou: tá me imitando seu filho da puta e partiu para cima daquele que ele imaginava que dele debochava. Foram esparramadas, salsichas, pães, molhos e muitas brasas até que ele fosse contido. Um ‘fanha’ irritado e imaginando-se provocado deu um espetáculo que nos fez rir por muito tempo. Assim era minha Porto Alegre que hoje é uma merda e na qual evito ir.

    ResponderExcluir
  4. Por que bates na deputada Stela Farias e ignoras que a deputada Zila Breitenbach no mesmo período passeou por Alemannha e Holanda gastando tanto dinheiro público como Stela. Será a deputada Zila menos culpada somente por ter sido eleita pelo PSDB? Ou bates em ambas ou as esquece, assim penso.

    ResponderExcluir
  5. Pessoal que fala de Porto Alegre abandonada certamente não mora no 4º Distrito.

    Se você andar pela Farrapos de dia rumo ao São Geraldo, vai ver que a região está vazia. Dezenas de prédios vazios, abandonados, com placas de vende-se, aluga-se. Nem as casas noturnas escaparam das mudanças do tempo. Quase tudo fechado. Velhos estabelecimentos da Roosvelt acabaram. Hoje, só restam botecos baratos que vivem em função público que viceja dada a crescente demanda de pensões de baixa renda que inundam a baixa Floresta e o fim da Félix da Cunha. De noite, é engraçado andar pela antiga Eduardo à noite e ver o prédio do Gondeleiros lindamente revitalizado. Porém, ele mais parece um fantasma perdido no meio da escuridão do bairro, ao lado dos pés sujos da Moura Azevedo. Quem passa ali hoje e viveu no 4° distrito nos anos 70 deve olhar os prédios e lembrar onde era a Globo, a Belgraf, as pernambucanas, a Renner, a Lobrás, a Pan Vel (mudou-se para a esquina da São Pedro), marinha Magazine, Soberana dos Móveis e a Incosul. A Roosvelt era uma festa nas noites de dezembro. O Gobbo, megatério de 15 andares onde morei, foi erguido como promessa de um bairro comercial que prometia crescer cada vez mais. Hoje, o 2102 da Farrapos mais parece uma obra faraônica, erguida diante de uma promessa que não se cumpriu. Quem construiria um prédio daquelas dimensões ali, hoje?

    ResponderExcluir
  6. Lendo sobre o 4o Distrito, lembrei-me do Enio Reiff e Zenon Galecki.

    ResponderExcluir
  7. Abrigo da praça 15 banca 36 em frente ao bar do Mario (onde teixeirinha gravava cenas dos seus filmes depois virou epatur hoje não sei o que e)aí comecei minha vida laboral com 9 anos em 1967 para ficar mais alto atrás do Balcão ficava em cima de uma caixa de Pepsi de madeira.Sobre o bonde uma história tinha um larápio de apelido pé de elefante a culpa o bonde passou em cima de seu pé num dos furtos que sempre praticava na marechal Floriano com um tijolo quando o bonde passava com o barulhão ele quebrava as vitrines e carregava o que podia.outra nunca esquecendo do periquito da sorte e das Lojas Cauduro onde se comprava bolas de couro e chuteiras pretas comum hoje as bolas e tudo plástico ou imitação de couro e as chuteiras são multicoloridas alias ontem vi um jogador brasileiro do Chelse com uma cor de rosa me poupem.

    ResponderExcluir
  8. Puxa, faz MUITO tempo que ele não ia ao Centro, hein? A Slopper virou um mini shopping nos anos 90, virou mega store da Manlec em 2002 (creio que foi este destinado 'investimento' (passo maior que a perna) que culminou com a recente falência da rede do Sr. Manzoli), e só há uns dois anos ou menos é que virou Riachuelo. E a Praça XV, apesar de não estar um primor, está mil vezes melhor do que era entre meados do anos 90 até 2008/10.

    ResponderExcluir