Quarta, 6 de julho de 2016





Atualizado diariamente até o meio-dia.
Eventualmente, à tarde, notícias urgentes.










Semana Raquel Duarte
-3-







Ela é de Porto Alegre e vive em Recife.
São autorretratos, com produção própria.
A Raquel se basta.















mundo eleitoral




ELE NEM DECIDIU SE VAI CONCORRER,
MAS EU JÁ ME FARDEI PARA A DISPUTA








São raríssimas as pessoas que consigo classificar como "diplomatas".
Aquele cara que sempre é atencioso, sempre tem uma palavra gentil e é sempre agradável.
Sem pensar muito, posso citar  Jayme Sirotsky, Guilherme Socias Villela e Paulo Raymundo Gasparotto. São iguais nos quesitos que enumero acima. Sensatos. Pessoas simples. Ah, e me lembrei de outro, que nem parece jornalista: Cleber Benvegnú, atual secretário de Comunicação do Estado. Um gentleman, como os três já citados.
Sabe o que é interessante? Os quatro são pessoas tão normais que nós, "mortais", conseguimos falar com eles até por telefone.
Notaram que quanto mais chinelão fica mais difícil   de o sujeito atender o telefone? Ah, a secretária quer saber até o teu tipo sanguíneo, pede para adiantar o assunto.
-
Não importa se alguém não concorda, porque tenho muita satisfação em conhecê-los.
Vou escrevendo e vou me lembrando de outras pessoas do mesmo naipe dos citados. Mas estes são tão legais também que vão entender a minha indelicadeza.
-
Ontem me surpreendi com um post do Paulo no Facebook.
Li de boca aberta e ao final estava muito contente.
Leia:


Prezados amigos

*Nestes cinquenta anos de jornalismo, não foram poucas as abordagens que sofri de diversos partidos e nomes de prestígio da política para que me candidatasse a um cargo público.
*Confesso que por vezes me senti entusiasmado, pela identificação ideológica com alguns, à época, e pela admiração que tive por outros. Mas em nenhuma das oportunidades, as condições para que isso se concretizasse estiveram postas de forma absoluta.
*Sempre fui leal à profissão de jornalista, e desta forma acredito estar cumprindo meu papel no sentido de contribuir incansavelmente para a solução dos problemas que enfrentamos diariamente como cidadãos.
*São inúmeras as áreas que carecem de uma atenção especial em nossa cidade. Porto Alegre, nas últimas décadas, parece ter sido negligenciada, abandonada, e justamente por aqueles que deveriam ser os responsáveis pela melhoria de nossas condições de vida.
*Sobram exemplos de descaso com nosso espaço urbano, com nossas dificuldades cotidianas, e com aqueles que necessitam de uma atenção especial do poder público.
*Minha relação com Porto Alegre foi sempre intensa. Meu envolvimento com as causas que afligem a todos nós vem permeando minha crônica ao longo destes anos, e a cobrança de atitude por parte das autoridades marca meu engajamento na busca do desenvolvimento e da evolução que nossa cidade merece.
*Diante do atual cenário - de profunda decepção com os acontecimentos políticos, e de verdadeira falta de perspectiva em relação a soluções para os nossos problemas - gostaria de compartilhar que recebi nova consulta sobre a hipótese de me candidatar a uma cadeira de vereador na Câmara Municipal de Porto Alegre. O convite está me fazendo refletir seriamente.
*Me sinto honrado com a lembrança de meu nome, e gostaria de saber a opinião daqueles que me acompanham há tantos anos, como jornalista e, sobretudo, cidadão de Porto Alegre: Vocês, meus amigos e leitores.




--



mundo reflexivo



Esse pessoal que fica discutindo se assessoria de imprensa é ou não jornalismo, pra mim, não passa de um bando de filhinhos de papai. Gente que não precisa trabalhar para viver e se contenta com salário de estagiário, mesmo que esteja formado.
Debate babaca!



--



porto alegre abandonada


E temos que pagar por um água fedida, com gosto ruim e turva


Antes era só no verão que a água do DMAE era insuportável. Agora, em pleno julho, está muito fedida e com um gosto diferente de quando "as algas atacam". Ao abrir o chuveiro, o cheiro é de vomitar.
-
Leia o que o jornalista Bertrand Kolecza escreveu:

A reportagem de ontem sobre a causa do cheiro e gosto na água de Porto Alegre, pareceu-me de encomenda do poder público. Falam em indústrias que lançam resíduos, mas não há menção. Ora, que josta de jornalismo eh este que não questionou quais indústrias? Ou a Fepam, responsável, junto com Smam, vai dizer que não sabe? Na era da maior corrupção da história deste País, vós quereis me convencer que eles estão atrás da contaminação pelo cheiro? - como dito na reportagem. Tem muita sujeira nisso, e não está só na água, e nem precisa ser esperto para perceber. Quais indústrias operam ali? Que efluentes liberam? Ou a Fepam, que leva um ano para dar uma autorização, vai dizer que não sabe?



--



mundo midiático 1



EMISSORA "LÍDER" OMITE! - Fiz questão de assistir ontem ao jornal das 19 horas da emissora "líder". Queria conferir o que iriam falar sobre mais um escândalo lácteo. Boa a matéria. Deram os nomes dos caras que foram em cana por todo tipo de bandidagem que fazem no leite e queijo. Mas, não disseram que Clóvis Marcelo Roesler é secretário do Instituto Gaúcho do Leite. Foi em cana um dirigente do setor por fraude!! Clóvis é integrante do Conselho Administrativo da Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do RS e Presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Salvador do Sul e São Pedro da Serra.
Será que não disseram que é o artista por que o IGL é anunciante?
-
ACREDITEM - O ágil Alexandre Mota participa amanhã do Revezamento da Tocha Olímpica Rio 2016.
-
PERGUNTAS QUE OFENDEM - Escreve o jornalista Claudio Moretto: Saco cheio com coleguinhas que não sabem perguntar e olhem que são macacOs ou macacAs velhas. Diante de tragédias como a ocorrida com o BM assassinado na zona sul ou para o pai da estuprada ou do guri morto :
- Como o senhor(a) se sente diante do fato?
PQP, o comandante da BM vai responder que está feliz, a mãe da estuprada diz que vai dar uma festa, o pai do guri diz que está vibrando de alegria.
São estas as respostas esperadas?
Teria constrangimento de um dia admitir que fui professor de algum deles. Ainda mais de quem sequer teve competência para narrar como testemunha ocular o início da tragédia da queda da marquise da Arapuã na rua Dr. Flores com vários mortos esmagados e só soube pedir socorro ao famoso pai para não entrar no ar.
Décadas depois pergunta: "como se sente...?"
-

AINDA BEM QUE TINHA CHÃO!!






--




mundo falsificado 1


Isso é inacreditável!!
E tem gente que ainda bebe leite!! E come queijo!!





Matéria de O Globo:


O secretário do Instituto Gaúcho do Leite (IGL), Clóvis Marcelo Roesler, foi preso preventivamente nesta terça, dia 5, durante ações ligadas às Operações Leite Compen$ado 11 e Queijo Compen$ado 4.
Clóvis é integrante do Conselho Administrativo da Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do RS (Apil) e Presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Salvador do Sul e São Pedro da Serra. O irmão dele, César Moacir Roesler, e a esposa de César, Anete Maria Roesler, também tiveram prisão preventiva decretada pela Justiça de Montenegro, assim como os queijeiros que trabalham para a família, Antônio Germano Royer e Selvino Dietrich. Clóvis é sócio administrador da empresa Laticínios Roesler Ltda., que produz a marca Granja Roesler, e César é sócio da Laticínios Campestre Ltda., que detém a marca Campestre. As operações cumpriram, ainda, oito mandados de busca e apreensão em São Pedro da Serra, Caxias do Sul, Novo Hamburgo e Estrela.
-
As sedes das indústrias foram interditadas pela Fepam por falta de Licença de Operação e pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) pelos produtos químicos encontrados no local (água oxigenada e ácido sórbico – conhecido como sorbato), por falta de higiene e pelo amido de milho encontrado, utilizado para “engrossar” o leite utilizado na fabricação de nata.
Em Caxias do Sul, foi preso em flagrante por acondicionar para a venda queijo das marcas investigadas e outras em péssimas condições de conservação o dono da Calábria Casa de Queijos, Guilherme Scussiato. O local foi interditado pela Vigilância Sanitária Municipal pela falta de higiene e pelos produtos impróprios para o consumo. Em Novo Hamburgo, como a Nei Casa do Queijo – Produtos Coloniais havia sido inspecionada há cerca de 20 dias pela fiscalização municipal, não foram detectadas irregularidades. Em Estrela, o mandado de busca e apreensão ocorreu na sede de um provedor de internet, para obter provas em relação a um dos denunciados.
Durante as operações, o MP encontrou, no interior da cidade de Barão, 8,6 toneladas de leite de cabra em pó vencido estocado dentro de uma sala de aula de uma escola municipal. O produto seria misturado junto a leite de cabra em pó das empresas investigadas
As empresas produziam queijo lanche, cobocó, colonial, de cabra, coalho e para assar, bem como nata, leite pasteurizado e leite de cabra, vendidas para todo o Estado. No entanto, possuíam, desde junho do ano passado, restrição para a venda para fora da cidade.




--



mundo cruel


O lanche do McDonald's não é igual ao que aparece na foto, mas a gente também não é!

Cláudio Andrade, jornalista



--



mundo falsificado 2


Só pode ser gozação


NOVA LEI

Governo obriga indústria a informar presença de lactose nos rótulos


Outra lei vá determinar as quantidades máximas de água sanitária, formol, etc.




--




mundo midiático 2


Quem acertou?






Muita gente matou a charada de ontem.
Mas o mais rápido no gatilho foi o TALES SCHMITT SAMUEL:

KARINE ALVES


Ela é de Porto Alegre e vivia no Cristal.
Hoje, a jornalista trabalha na Fox Sports, em São Paulo.



--



mundo imbecil


Na música, nada que preste neste século


Depois do Safadão, do Bin Laden, a nova estrela da música brasileira é a...

MC CAROL





Agora, confira a letra desta obra:








--



mundo midiático 3


Eleição no Sindicato dos Jornalistas será de 19 a 21 deste més


Chapa 1 – Orgulho de Ser Jornalista
Defesa intransigente da formação

É com muita satisfação que nos apresentamos para concorrer à gestão do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul no período de 2016-2019. Ao montarmos uma chapa que representa o equilíbrio entre a experiência de diversas gestões e o sangue novo de jovens que estão nas redações, em assessoria, no texto, nas imagens e no jornalismo alternativo, não tivemos dúvida em expor o nosso orgulho de estarmos nesta profissão. A Chapa 1 – Orgulho de Ser Jornalista ergue as bandeiras da categoria, como a defesa intransigente da formação acadêmica e do diploma, o apoio incondicional ao jornalista e à liberdade de expressão, o combate ao assédio moral e à precarização do trabalho. Por isso, estamos alinhados também com a Chapa 1 - Sou FENAJ, em defesa da democracia, do Jornalismo e dos jornalistas. Nossa carteira funcional emitida pela Federação é motivo de orgulho e não uma obrigação.
-
O Plano de Gestão para o triênio 2016-2019 é importante para organizarmos a luta sindical em defesa dos trabalhadores jornalistas. A Chapa 1 – Orgulho de Ser Jornalista se propõe manter e intensificar as atividades já realizadas, dando sequência às bandeiras históricas do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul e, ao mesmo tempo, consagrando ações por melhores condições de trabalho, valorização salarial, enfrentamento da violência psicológica, do assédio moral, combater a violação dos direitos dos trabalhadores e a precarização dos serviços.
Vamos ampliar o diálogo com profissionais, entidades afins, estudantes e, principalmente, com a sociedade civil por meio da participação no segmento Comunicação dos diferentes conselhos municipais e estaduais.
-
A Chapa 1 – Orgulho de ser Jornalista:





Executiva
Presidente - Milton Simas Junior
Primeira vice-presidenta - Laura Santos Rocha
Segundo vice-presidente - Elson Sempé Pedroso
Primeiro secretário - Jorge Correa
Segunda secretária - Márcia Carvalho
Primeiro tesoureiro - Robinson Estrásulas
Segundo tesoureiro - Renato Bohusch
Suplente da Executiva
Gabriel Ribeiro

Conselho Fiscal
Titulares
Celso Augusto Schröder
Vera Daisy Barcellos
Adroaldo Bauer Corrêa
Suplentes
Clóvis Victória Jr.
Dolcimar Luiz da Silva
Nilza Scotti




--



mundo dos parecidos


Paulo Francis?
Lírio Parisotto?







--



mundo nostálgico





Gostava muito.
Parecia um chiclé, mas não era. Podia engolir, que "não fazia mal".
Maravilha no cinema.
Soube que ultimamente era da Garoto, que decidiu parar de fabricar, sem mais nem menos.
Umapena



--




mundo das piadinhas



NÃO É PIADINHA!!


Desde ontem à noite estou moderníssimo.
Agora, tenho WhatsApp.
Um telefone poderoso. Maior do que o meu primeiro celular, um Motorola, de 1994.
Agora, é um Moto.
Tem tudo.
O maior problema que enfrento é ligá-lo. Tenho que tentar umas 10 vezes.
Mas estou empenhado em dominar o bicho. Sou um bom aluno, né mestra Luciana Xuly?



3 comentários:

  1. Eu até dediquei um video ao fenômeno MC Carol e suas poesias líricas...

    https://m.youtube.com/watch?v=mc-Wn2dFD9k

    ResponderExcluir
  2. - Bertrand sempre sai-se bem nas colocações;
    - àgua de POA sempre foi porcaria, desde que me conheço por gente;
    - Poluição: cocô, papel higiênico no vaso, doenças na privada, etc. etc. e químicos para amenizar tudo isso, vide Erin Bronkovich, juizado arbtitral, ótimo filme, vale ver de novo;
    - a moça da abertura me leva crer que o Prévidi foi e é um grande admirador de obras de arte; bom gosto tem...de sobra...

    ResponderExcluir
  3. Oi Prévidi,

    Boa tarde.
    Pois, aproveitando a retranca ‘Perguntas que ofendem’, veja a coincidência. Antes de ir ao Velopark conferir o ‘shakedown’ de um veículo recentemente adquirido pelo ‘Museu do Automobilismo Brasileiro’, passei em minha casa para ver como estavam as coisas depois de tanto tempo residindo aqui em Passo Fundo. Posteriormente, caminhei até a agência de correio. Na minha caixa postal, deparei-me com a chegada de um belo presente por parte da editora Donovan – mais especificamente, um livro com bastidores e curiosidades do Automobilismo Norte-Americano. De volta a estrada, aproveitei a viagem para ler a publicação. Na página 87, encontra-se uma crônica de nome ‘Novas respostas, velhas perguntas’. O conteúdo envolve o que poderia acontecer se um repórter fizesse uma velha pergunta à um piloto de corridas (“E aí, você vai entrar para vencer?”), e este respondesse, porém, de forma irônica.
    Seguem exemplos:
    1) Não, a corrida está perdida. Pretendo sair com meu pessoal para jogar golfe.
    2) Não, eu vou perder de propósito. Desta forma, a torcida dos demais pilotos ficará feliz e, junto de minha equipe, voltarei para casa ciente de que fiz algo nobre.
    3) Nem pensar: terminar em 23º estará mais que suficiente!
    4) Vencer para depois ter que encarar uma chata entrevista coletiva com mais de 100 jornalistas? Negativo: prefiro nem largar, se você quer mesmo saber...
    4) Para que buscar a vitória, se a vida é algo sem sentido e todos acabaremos vencidos pelo tempo e pela morte?

    ResponderExcluir