Quarta, 22 de junho de 2016




Atualizado diariamente até o meio-dia.
Eventualmente, à tarde, notícias urgentes.










E NÃO É QUE O CARA ACEITA CRÍTICAS?


(clica em cima que amplia)




Critiquei poucas pessoas como o Duda/Dudu Melzer. Até quando publiquei a foto acima - Ronaldo Gordo estava visitando as obras da Arena do Grêmio e ele estava lá, "tímido, de mão no bolso". A partir daí comecei a chamá-lo de "presidente jovem e tímido". Nos passaralhos peguei pesado. Outro que brinquei bastante também foi o ex-governador Tarso Fernando, sugerindo que fosse candidato a secretário-geral da ONU.
Quando me encontrava com TF sempre dei muita risada, sempre mantivemos uma relação mais do que amistosa, muito em função de sua extraordinária secretária de Comunicação. Vera Spolidoro.
Sério, jamais pretendi conversar e muito menos me encontrar com o Duda/Dudu Melzer, porque sempre acreditei que o cara poderia ser imprevisível em um encontro.
Por que? Pessoas próximas a ele me diziam que ele me detestava, "vai te encher de porrada". Fora isso, alguns de seus funcionários, chefes ou chefetes, tomaram as dores e, pior, não admitiam qualquer tipo de crítica, ao ponto de me processar.
Mas vocês vão ler aí abaixo que o Duda/Dudu é um cara simples. Pena que alguns chefes e chefetes, que jamais serão comedores de sucrilhos com nescauzinho, jamais chegarão aos pés dele.








mundo midiático 1



QUEM DIRIA, BATI UM BAITA PAPO
COM O PRESIDENTE JOVEM E TÍMIDO
DA ... DO CONGLOMERADO MIDIÁTICO




Foto de Desirèe Ferreira


De manhã conversamos por telefone.
De tarde, uma parede nos separava.



Não fui ontem na reunião do Clube de Opinião, no Hotel Plaza São Rafael. Por dois motivos; Por causa de uma bactéria, que me adora, evito caminhar e estou sempre com a perna pra cima. E não tinha a menor vontade de conhecer o Duda/Dudu Melzer, o poderoso do Conglomerado Midiático. A impressão que sempre tive é de que no dia em que me visse viria me encher de porrada. Ou, no mínimo, me encher de desaforo. Como o cara é um atleta, iria ter que ficar quietinho ou... sabe-se lá o quê aconteceria.
Lá pelo meio-dia liguei para o Julio Ribeiro, presidente do Clube:
- E aí, como foi?
Ele cochicha:
- Tô na reunião.
- Ah, te ligo depois.
Não entendi o que falava até que ouvi:
- Tá no viva voz.
Aí entra uma voz que não conhecia:
- Oi, quem é que tá falando?
- ???
- Quem é?
- É o Prévidi.
- Aqui é o Duda. Vim aqui também para te conhecer e os teus amigos estão dizendo que tu és covarde.
Risadas e mais risadas ao fundo.
Expliquei que estava com o problema no pé e já que ele abriu...
- E também tinha medo de levar uma porradas de ti.
Bah, vocês não imaginam, o Duda/Dudu foi de uma gentileza inacreditável. Me convidou para ir visitá-lo. Interrompi:
- Tá louco? Sempre tem um mais realista do que o rei e periga eu levar uns tapas de um funcionário.
- Eu faço a tua escolta, ninguém te toca!
Lá pelas tantas disse a ele:
- Tu estás sendo tão legal, que vou pedir para que deponha a meu favor num processo que um funcionário teu está me tocando!
Risadas e mais risadas.
Conversamos mais um pouco e ele voltou para a reunião do Clube de Opinião.
-
Na matéria que o Julio Ribeiro distribuiu tem o tópico abaixo:


CADÊ O PRÉVIDI
Uma das primeiras coisas que Duda Melzer fez ao sentar à mesa com os membros do Clube de Opinião foi perguntar pelo jornalista José Luiz Prévidi, que em seu blog costuma se referir ao presidente da RBS como comedor de sucrilhos e tomador de nescauzinho. "Eu até ia trazer uma caixa de sucrilhos pro Prévidi, é uma pena que ele não esteja aqui, gostaria muito de conhecê-lo, porque ele fala muitas coisas a meu respeito, sem que nunca tenhamos nos apresentado".
Quando a reunião estava quase terminado, o presidente do Clube de Opinião, Julio Ribeiro recebeu uma ligação do José Luiz Prévidi e aproveitou a ocasião para colocar o Duda na linha. Eles conversaram sob o aplauso e as gargalhadas dos colegas jornalistas presentes.
"Eu faço questão de te conhecer e de conversar contigo, seja na RBS ou na tua casa, onde quiseres, pra que eu possa te responder a todos os teus questionamentos e aclarar o que for preciso a meu respeito e da RBS", propôs Duda.
Durante o encontro, ele informou o número do seu celular pessoal e seu email para que todos os jornalistas do Clube pudessem contatá-lo diretamente, quando precisassem. Ah, e pediu que o número fosse repassado ao Prévidi.

-
O cúmulo da coincidência.
De tarde fui a uma reunião - de táxi, ida e volta, não caminhei 20 passos - com um importante empresário. Tinha que ir, pela relevância e porque estava marcado há um tempinho.
Como conversamos bastante, contei o episódio da manhã, especialmente porque sabia que este gostava muito do Duda/Dudu.
No meio da minha história, ele interrompe:
- Sabe quem está aí, na sala ao lado? Ele, o Duda.
Desculpe, mas me caiu a bunda - mesmo que esteja dolorida pelas inúmeras injeções de anti-inflamatório. Fiquei de cara, mas disfarcei bem.
-
Claro que qualquer dia vou lá conversar com ele.
E junto vou levar todos os meus protetores, anjos da guarda.




-



mundo midiático 2


O que o Dudu/Duda disse no encontro do Clube de Opinião?

Quem escreve é o jornalista Julio Ribeiro:

Muito interessante, simpático e produtivo o encontro que os jornalistas do Clube de Opinião do RS tiveram nesta terça-feira, no Plaza São Rafael, em Porto Alegre, com o presidente do Conselho de Administração do Grupo RBS, Eduardo Melzer.
Durante as duas horas do encontro, que contou com a participação de 20 jornalistas, Duda falou de sua carreira e trajetória pessoal até chegar ao mais alto posto do grupo de comunicação gaúcho e respondeu, sem qualquer restrição, a todas as perguntas feitas pelos participantes do Clube.
A seguir, algumas das coisas que foram ditas por ele:

AZAR OU SORTE          
Perguntado se não se sentia azarado por ter assumido a direção do Grupo, justamente quando a indústria da comunicação passa por uma crise conceitual no mundo todo, com os negócios de mídia sendo colocados de cabeça pra  baixo, Duda disse se sentir super privilegiado por estar nesta posição, neste momento. "Tenho condições de liderar nosso grupo neste momento" frisou, ao salientar que se preparou durante muito tempo para esse desafio.

SONHO DE GURI
Ele disse que seu maior sonho sempre foi, um dia, trabalhar na RBS. Foi um sonho alimentado, diariamente, no convívio com o avô, Maurício Sirotsky Sobrinho, fundador da empresa, com quem aprendeu, durante cerca de 14 anos, os princípios que continuam norteando as ações e a postura da RBS.
Mas, antes de chegar a ocupar um cargo na empresa, teve que empreender seu próprio negócio (franquias  da Swet Swet Way), estudar fora do país e iniciar uma carreira no exterior. A primeira proposta de trabalho da RBS só veio quando ele tinha 30 anos e trabalhava em Nova York. "Naquele momento, no entanto, a proposta era para um cargo com escopo muito reduzido e me causou uma reversão de expectativas", disse ele. Só dois anos depois, foi desafiado a assumir a direção do escritório paulista do Grupo. Não apenas aceitou o cargo, como teve, a partir dele, mostrar que era capaz de voos mais altos dentro da empresa.

DEMISSÃO
Ele se disse impressionado com a capacidade de se produzir noticias falsas a respeito da RBS, a maioria fruto de falta de informação ou de má vontade com a empresa. Uma delas, que circulou há cerca de um ano, dizia que Duda Melzer estaria sendo demitido da RBS. "Como pode ter surgido uma noticia falsa como essa, justamente no momento em que eu estava mais fortalecido do que nunca dentro da empresa, acumulando a presidência do Grupo e a  presidência do Conselho de Administração!?".

VENDA DE SANTA CATARINA
A venda das operações do Grupo em Santa Catarina, também, foi objeto de questionamentos pelos participantes do encontro. Ele disse que a empresa já vinha sendo assediada, há mais de dois anos, por dois investidores, interessados nas operações de SC. Sempre houve recusa, mas neste ano eles fizeram uma proposta irrecusável e ai houve consenso na família de que o negócio devia ser feito. "Vamos concentrar todos os nossos esforços e investimentos em comunicação no RS, voltando às nossas origens e fortalecendo ainda mais nossas posições", disse ele.

VENDA PARA A GLOBO
Sobre boatos de que a RBS TV estaria sendo vendida para a Globo, ele foi enfático: "Quem fala uma coisa dessas, não conhece sequer a legislação brasileira, que impediria esse tipo de transação. A RBS RS não está à venda e não será vendida para a Globo ou qualquer outro investidor. Esse é um negócio da família e vai continuar sendo", concluiu.

CRISE DA MÍDIA
Questionado sobre o destino dos veículos de mídia impressa, especialmente Zero Hora, ele salientou que "nunca se leu tanto ZH como hoje". "Antes se lia ZH todos os dias, agora se lê ZH o dia todo", frisou Duda. Ele também disse que a empresa não está no negócio de papel e sim no de produção de conteúdo relevante e que se o mercado apontar para o fim do impresso, não haverá razão para não mudar.

OPERAÇÃO ZELOTES
Obviamente, esse seria um assunto a ser perguntado e Duda Melzer fez questão de se antecipar: "Podem me perguntar o que quiserem, inclusive sobre a Zelotes".
Sobre a operação da PF, ele disse que não há multa alguma. "Na hora certa, as coisas vão aparecer. Estamos lá na Zelotes, e se estamos lá tem uma razão pra isso, mas eu estou tranquilo que as coisas vão se resolver e a verdade vai poder ser dita".



--


mundo dos negócios


O Duda/Dudu tinha que estar feliz, mesmo


Olha esta notícia do Valor Econômico:

Abilio Diniz se torna sócio minoritário da Wine.com.br 

A Península Participações, companhia de investimentos de Abilio Diniz, tornou-se sócia minoritária da empresa de vinhos brasileira Wine.com.br, controladora do site de mesmo nome e do WBeer.com.br, por meio de aporte de capital voltado para expansão dos negócios. O site de comércio eletrônico confirmou a transação, mas não informa os valores envolvidas na operação.
-
Curioso?
Leia o motivo da alegria do Duda/Dudu:





--



mundo cruel 1


Porto Alegre não tem jeito - 1


Esta é Virgínia Raggi, primeira mulher a ser eleita prefeita de Roma:




Esta é Luciana Genro, com chances de se eleger prefeita de Porto Alegre:






--



mundo cruel 2


Porto Alegre não tem jeito - 2



Além do frio, há dias e mais dias, amanheceu hoje com chuva.
Imagina.
-
Assisto na TV, aquela "líder", um comercial de "declaração de amor" ao inverno. Um vídeo institucional.
Hoje, na minha rua, vi uma cena que poderia estar neste comercial: uma mulher dormindo, tapada com muitos trapos. Não deu para ver em que estava deitada. Ao lado, uma cadeira de roda.



--



mundo do balacobaco


Essa é de cabo de esquadra, hein Manu?


Amigos, não inventei isso. Nem é do Sensacionalista.
Leiam, é inacreditável. O texto está no site da Assembleia Legislativa. Bem coisa daqueles que eu chamo de "classe média consciente", pessoas que vivem em um outro país, nada a ver com a nossa realidade.
Os grifos são meus:

Manuela propõe a criação da Semana Estadual de Respeito ao Nascimento 

Inspirada na Semana Internacional de Respeito ao Nascimento, criada pela Aliança Francesa para um Nascimento Respeitoso, em 2004, a deputada Manuela d Ávila (PCdoB) quer instituir evento semelhante no Rio Grande do Sul. Para isto, a parlamentar protocolou o projeto de Lei  (PL) 106 2016, que cria a Semana Estadual de Respeito ao Nascimento, a ser celebrada, anualmente, na terceira semana do mês de maio.
O objetivo da proposta é colocar a discussão acerca da importância do parto respeitoso na agenda de debates do Estado e dos municípios. “Pretendemos que a Semana seja uma oportunidade de vislumbrar estudos científicos sobre o tema e suscitar o debate sobre a importância da promoção de um nascimento gentil e amoroso, cuidando para que se fortaleça o binômio mãe-bebê a partir do empoderamento das mulheres perante seus direitos reprodutivos. Além disso, queremos estimular o fortalecimento das políticas que dediquem atenção à gestação, parto, nascimento e puerpério”, explica a autora do projeto.
Manuela afirma que o tratamento inadequado no parto e no nascimento ameaça o direito à vida, à integridade física e à não-discriminação. Segundo ela, embora os maus-tratos possam ocorrem em qualquer momento da gravidez, no parto e no pós-parto, momentos de maior vulnerabilidade, há grande incidência de violência e humilhações. Relatos deste tipo de conduta, nas instituições de saúde, englobam, conforme a deputada, procedimentos médicos coercitivos ou não consentidos, inclusive esterilizações, recusa em administrar analgésicos, violações de privacidade, negligência e detenção de mulheres e seus bebês por incapacidade de pagamento. As mães solteiras, migrantes, pertencentes a minorias étnicas, em condição de vulnerabilidade social e portadoras de HIV são as mais atingidas pelas práticas abusivas.
O projeto considera respeito ao nascimento “o direito ao mais alto padrão de saúde atingível, incluindo assistência digna e respeitosa durante toda a gravidez e o parto, assim como o direito de estar livre da violência e discriminação”.
Declaração de Direitos
O movimento de mulheres representado pela Rede Parto do Princípio trouxe a iniciativa para o Brasil, realizando anualmente exposições fotográficas e debates sobre a violência no parto. E, em 2014, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou a Declaração para a Prevenção e Eliminação de Abusos, Desrespeito e Maus-tratos Durante o Parto em Instituições de Saúde, convocando a comunidade internacional e os governo a patrocinar programas para melhorar a qualidade dos cuidados de saúde materna, com forte enfoque no cuidado respeitoso, e produzir dados relativos a práticas respeitosas e desrespeitosas na assistência à saúde.

-
MEU DEUS DO CÉU!!
A deputada, fiel representante da "classe média consciente", não mostra preocupação com as milhares de crianças que ficam grávidas, diariamente, sem a menor condição de "exercer a maternidade".
Por que não tentam conscientizar estas crianças, a maioria das camadas mais pobres das cidades, a usar métodos anticoncepcionais? A engravidar somente depois que tenham alguma condição, inclusive financeira?
Não, estou aprendendo: ISSO NÃO DIZ RESPEITO À "CLASSE MÉDIA CONSCIENTE".
Mas essa gente adora reivindicar creches, A-M-A ajudar ongs que distribuem roupinhas para os bebês dessas crianças, EXIGEM que o Estado sustente estas crianças, colocadas no mundo sem a menor responsabilidade.
Não tem jeito.



--




mundo cruel

O descaso da saúde em São Leopoldo


Escreve o Paulo Pruss:

Em abril deste ano depois de muitas promessas, foi finalmente inaugurada a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Norte de São Leopoldo, no bairro Scharlau.
Parceria entre o Prefeitura e Governo Federal, que injetou recursos para o funcionamento. Foi contratada a empresa Futura Sistema de Saúde e Assistência Social, uma OSCIP provavelmente por convênio. Esta lançou um edital para contratação de médicos chamado “ EDITAL DE CHAMAMENTO PROCESSO SIMPLIFICADO DE SELEÇÃO PÚBLICA", sob regime CELETISTA para provimento das vagas e cadastro reserva dos profissionais. Feita a seleção foi PUBLICADO a relação dos médicos selecionados para trabalharem no atendimento médico.
-
Passando cerca de dois meses alguns médicos, como eram celetistas, pediram informações sobre a Carteira de Trabalho, quando seria assinada. O que aconteceu? Cerca de dez médicos simplesmente foram dispensados, sem muitas explicações, com total desrespeito. Pior: quando chegavam para seus plantões, nenhum contato anterior.
Comunicado das irregularidades, a Secretária de Saúde Miriam Bavoso se eximiu das responsabilidades não dando mais retorno aos médicos.
-
É relativamente tranquila a ação que os médicos irão promover, inclusive pedindo suas devidas reintegrações. O que causa estranheza é: será que estes gestores públicos não se dão conta que são os ordenadores de despesas, assim com o Prefeito de São Leopoldo ? E quem paga esta conta no final?



--



mundo midiático 3


FELIPE VIEIRA - Com um pé no Conglomerado Midiático da avenida Ipiranga.
-
PROIBIDA A ENTRADA - Tiozão metido a guri, chefete de rádio do Conglomerado Midiático, assim como uma TV do interior, também proibe a entrada no prédio de ex-funcionários. Como é mandalete, deve ser uma ordem de algum comedor de sucrilhos com nescauzinho.
-
A VOLTA DO PRATES - No próximo dia 4, Luiz Carlos Prates retorna aos comentários no SBT Meio-Dia, de Santa Catarina. Legal!!
-
INTERIOR NÃO EXISTE - Me informam que o jornal aquele, um dos cinco maiores do universo, não tem mais correspondentes no interior do Estado.
-
NA MAIOR CARINHA - Jornal do meio-dia de ontem, na emissora "líder", repercute matéria veiculada na segunda, com destaque, no Balanço Geral. Aliás, a matéria da atração da Record estava infinitamente melhor. (aquela dos apitos na Cidade Baixa)
-
NOTÍCIA TRISTE NACIONAL - A mídia de todo o país descobriu que a maravilhosa Rosane Marchetti foi demitida da emissora "líder" do RS, afiliada da Globo. Todos elogiaram o último Globo Repórter, que ela fez, e destacaram a absurda demissão (http://noticiasdatv.uol.com.br/noticia/televisao/jornalista-e-demitida-apos-fazer-globo-reporter-campeao-de-audiencia-11683).
Ontem e hoje recebi dezenas de emails com críticas à emissora, por demitir a sua melhor repórter.
Muitas manifestações, como escreveu o jornalista Ricardo Azeredo:
A demissão da Rosane Marchetti já era esperada, pois havia sido anunciada há uns dois meses. Mas o fato, agora consumado, não deixa em nada de ser impactante e lamentável. Nem é preciso descrever a trajetoria desta competente repórter é apresentadora. Todo mundo sabe que ela é e continuará sendo uma referência absoluta neste nosso sofrido ofício. Os que tiveram a felicidade de trabalhar direto com a Rosane, como eu, sabem também a pessoa queridíssima e correta que ela é. Bueno, hoje sabemos todos que experiência consistente, prêmios, reconhecimento nacional na categoria e no público, já não significam nada neste nosso mercado pampeano, onde temos cada vez mais desgarrados de alto calibre. E o que sobra é uma imprensa Gaúcha cada vez mais pobre, a imprensa que já foi um incomparável celeiro de grandes jornalistas. Bons tempos aqueles.
-
NA REAL - É difícil que uma emissora local tenha cacife para contratar a Rosane Marchetti.
-
NA COLETIVA - "O jornalista Prévidi, que não participou do encontro, ligou para Melzer para explicar sua ausência. Ao atender o telefone, que colocou na função viva-voz, Duda disse que estava satisfeito por estar falando com o jornalista pela primeira vez, e que está à disposição para conversar, já que é frequentemente citado nas postagens do Blog do Prévidi". Acredito que a abertura de hoje esclarece o final da nota da coletiva.net.
-
A SEMANA PASSA RÁPIDA

(clica em cima que amplia)



-

E ESSA? DECIFRE!




--



mundo diboa


O Chega Mais do Cláudio Andrade








--




mundo das piadinhas








9 comentários:

  1. A senhora Rosane Marchetti pode perfeitamente curtir sua vida com a modesta aposentadoria que embolsa da Assembleia Legislativa que por certo já está acima dos R$ 25.000,00 mensais. Que deixe o lugar a alguém que realmente precise trabalhar para sobreviver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, o trabalho pro senhor é só um meio de ganhar a vida? Talvez, o seu tenha sido.
      Acha que um(a) profissional jovem e competente e que, certamente, ainda tem muito a contribuir com sua empresa e com a sociedade, tenha de pendurar as chuteiras por estar não precisar do salário pra viver.
      Seria o mesmo que eu lhe dissesse pra parar de comentar, deixando o lugar pra quem tenha algo de relevante pra dizer.

      Excluir
    2. Não me surpreende o projeto da musa comunista. Aliás, vai ver foi o convívio de um com o outro que gerou esta outra pérola aqui:
      http://gaucha.clicrbs.com.br/rs/noticia-aberta/vereador-propoe-uso-de-coleira-por-quem-matar-ou-estuprar-animais-169770.html

      Excluir
  2. Acabo de ver e ouvir na TV RB$ uma das ‘Rainhas da Inglaterra’ da polícia de quarteirão que há motocicletas fazendo o policiamento. Deles, depois da piada do apito, nada mais me surpreende. Até já separei um dos meus apitos de outros tempos para assim me “sentir seguro”. Mesmo assim não abro mão do pau de fogo calibre 38, mas recebendo sempre em prestações ao longo do mês seguinte o que deveria receber no último dia do mês vincendo, preciso economizar as ‘azeitonas’ pelas quais já pago R$ 8,00 a unidade.

    ResponderExcluir
  3. Na última fez em que fui jubilado pela RBS, numa solenidade para dezenas de funcionários, antes de começar o evento um jovem análogo a todos os Sirotsky achegou-se até mim, ainda antes de adentrarmos o salão, e conversou comigo por alguns minutos. Não nos apresentamos, não houve necessidade. Evidentemente ele não sabia meu nome e eu sequer sabia o nome dele.
    Foi uma conversa agradável; era uma conversa de colegas, sem no entanto um conhecer o outro. Rimos, trocamos ideias durante uns 10 minutos(eu estava fumando) e logo nos despedimos. Fiquei impressionado com aquele rapaz. Não sabia seu nome, mas tinha certeza do sobrenome, pela semelhança com seus parentes.
    Eis que, para minha surpresa, poucos dias depois ele nos foi apresentado como o novo Presidente da RBS.
    E Duda sempre foi meio que no estilo do Mauricio e do Nelson(embora eu tenha sido mais chegado ao Sérgio Sirotsky por muitos anos). Sempre cumprimentava a qualquer colaborador e ao conversar sempre se mostrou interessado no que o funcionário tinha à falar.
    Ele, entretanto, jamais me convidou para tomar um nescauzinho ou comer um sucrilho.
    Creiam que nossa primeira conversa foi muito agradável e marcante.

    ResponderExcluir
  4. Rosane Marchetti é a última remanescente daquela brilhante turma de repórteres com quem convivi na RBSTV dos anos 80 - Geraldo Canalli, Carlos Dornelles, Roberto Thomé, Ananda Apple, Regina Lemos, Timóteo Lopes, Marco Villalobos, Gilberto Lima, Ana Terra, Flávio Porcello. Um a um, todos foram buscando novos caminhos, e se deram bem. Espero continuar vendo suas excelentes reportagens em outro canal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande turma Eberle. Bons tempos do jornalismo aquele..

      Excluir
  5. Em que pese o sempre estimado José Luiz Previdi não me conhecer pessoalmente, imagino que, devido ao meu perfil no ‘Face’ e, claro, pelas postagens que registrei em seu prestigioso blog desde 2012, ele certamente sabe que sou uma pessoa simples e vejo a vida de maneira simples.
    Faço tal ressalva porque hoje, ao destinar boa parte da manhã para ler notícias aqui do ‘blog’, fiquei admirado ao constatar um certo, digamos, ‘desconforto’ por parte de um internauta. Refiro-me ao fato acima descrito envolvendo as palavras ‘aposentadoria’, ‘trabalho’ e ‘meio de ganhar a vida’.
    Claro que – parafraseando o empresário Norte-Americano Nicholas Van Orton –, ‘cada pessoa sabe medir seu valor financeiro’. Por isso, fico imaginando se o internauta Jorge Loeffler teve a intenção de ‘ironizar’ o valor pelo qual faz jus a apresentadora Rosane Marchetti. Li e reli. R$ 25.000,00. Valor ‘modesto’? Ok...se a pessoa tiver um padrão de vida estilo piloto de F1, posso garanti que tal quantia ele – piloto de F1 (qualquer um!) – gasta em uma noite, caso convide 10 garotas para lhe fazer companhia em um hotel classe “AAA” (óbvio, valor do hotel não incluso nesta conta rasa).
    Porém, no chamado ‘mundo real’ – e falando no modo pessoal –, posso garantir que se a citada escriba ganha a descrita verba mensalmente, DUVIDO que ela chegue ao final do mês tendo que apelar para o cheque especial. Acresento, inclusive, que o Prévidi, o Sr. Jorge Loeffler e as demais pessoas que estão lendo meu recado, certamente conhecem pessoas que ganham R$ 2.500,00 por mês e vivem sem grandes problemas. De qualquer forma, concordo 100% com o parágrafo do Sr. Loeffler e, principalmente com a frase, in verbis, “que deixe o lugar a alguém que realmente precise trabalhar para sobreviver”.
    Por outro lado e, sobre a situação na qual citei desconforto: particularmente, não vi nenhum ‘pecado’ na sugestão proposta (aquela sobre ‘deixar o lugar... etc’). Na condição de jornalista especializado em Automobilismo, garanto que penso de forma similar em relação à diversos pilotos de F1. Vou me ater em um nome conhecido de todos, Felipe Massa. Um garoto que, como tantos outros, sempre teve um sonho: chegar na F1. Pois bem. Ele chegou ao ‘Olimpo do Esporte Motorizado’. Venceu corridas. Obteve um vice-título.
    (Permitam um parêntese: algumas pessoas acham ‘pouco’ as conquistas de Felipe Massa. Mas se levarmos em conta que entre 1950 e 2016, mais de 750 pilotos – 750! –, participaram no mínimo de UMA corrida da categoria e que deste número, apenas 105 – 105! – venceram uma ou mais corridas, podemos notar o ‘funil’ e, por conseguinte, o fato de que Massa é um vencedor e alguém que ‘chegou lá’)
    Porque citei o nome do piloto do time Martini/Williams? Porque ‘apenas’ no período pelo qual defendeu a equipe Marlboro/Ferrari, Massa contabilizou ganhos superiores à 70 milhões de dólares! Poxa... 70 milhões de dólares! Não, vou perder tempo fazendo contas. Mas, assim como no caso da Rosane, eu penso da mesma forma: “Que deixe o lugar a alguém que realmente precise trabalhar para sobreviver”.
    (Ou será que alguém acha ‘pouco’ a pessoa ter acumulado 70 milhões – sem falar que, na tempoada atual, seu salário ANUAL está orçado em 800 mil dólares?)
    Como falei acima, sou uma pessoa simples e vejo a vida de maneira simples: se a pessoa ‘chegou lá’ e conquistou, além de vitórias profissionais, bens materiais suficientes, não seria muito mais AGRADAVEL viver a vida?
    Eu ainda não posso parar de trabalhar. Porque para mim, trabalho é um meio de ganhar a vida. Ao contrário de pilotos de Fórmula 1, não fui adotado por família rica. Por este motivo, admiro pessoas que conseguem atingir o patamar da Marchetti e fazer jus à uma polpuda aposentadoria. Eu, particularmente, me aposentaria e iria viver de forma agradável. E não, para mim não seria problema ‘deixar lugar para quem realmente precisa’.
    Com agradecimento ao Prévidi pela oportunidade de manifestação,
    Kind regards,

    Paulo McCoy

    ResponderExcluir