Segunda, 4 de maio de 2020




Jamais troquei de lado.
Por quê? Eu não tenho lado.
Ou melhor, o meu lado sou eu
...
ANDO DEVAGAR
PORQUE JÁ TIVE PRESSA PRESSA






Escreva apenas para






Acreditem se quiser!
STF quer aproveitar o "momento frágil",provocar uma reação dura de Bolsonaro e aí... TCHAN! Adivinha??!!



Acreditem se quiser! - 2
O bicho chinês, a gandaia  e
a cara-de-pau do "ex"-petista

O presidente do STF, ministro Dias Toffoli - aquele que era advogado do PT e foi indicado por Lula -, autorizou que os funcionários da "corte" continuem trabalhando em casa até janeiro de 2021. A decisão visa manter o isolamento e conter o avanço do bicho chinês.
Olha a resolução assinada pelo malandrão:
“Fica estabelecido modelo diferenciado de gestão de atividades voltado para a entrega de resultados nos trabalhos realizados no formato presencial e à distância, a ser aplicado entre 1º de junho de 2020 e 31 de janeiro de 2021”.



Mas, leiam isso de ontem:

Bolsonaro, ao fim das manifestações de ontem em Brasília, afirmou:

"O povo está conosco. As Forças Armadas estão do nosso lado. Deus acima de tudo. Chegamos no limite. Não tem mais conversa. Não só exigiremos, mas faremos cumprir a Constituição. Ela será cumprida a qualquer preço e ela tem dupla mão; não de um lado só, não. Amanhã nomeamos novo diretor da PF e o Brasil segue o seu rumo aí."

(Bernardo Pires Küster)








A piadinha de 2020!

NO ZERO HORA UMA MATÉRIA
DO MOVIMENTO "NÃO DEMITA"
A impressão é de que a colunista estava debochando

(clica em cima para ampliar)

POR QUE A RBS NÃO ADERIU AO MOVIMENTO?

Simples.
Na sexta, dia 24, a RBS demitiu algumas dezenas de funcionários. Alguns com mais de 20 anos de trabalho. Sem a menor explicação. Ou melhor, SEMPRE a mesma ladainha, "reestruturação" e sempre tem um culpado - desta vez o bicho chinês.
Como sempre, a maldita moral de cueca ou calcinha, fruto da inevitável soberba.
Viram bem de quando é a matéria do ZH? Sim, dia 30, nem uma semana depois de colegas da colunista serem sumariamente demitidos.
Fui conferir a lista da empresas gaúchas que aderiram ao "#nãodemita.
Claro, fui ver as empresas de comunicação.
Li duas vezes. Pode ter me escapado algum.
Encontrei apenas Grupo VOTO e Integrada Comunicação Total.
Nada dos "grandes grupos de comunicação".
Nada de outras "grandes agência de propaganda".
...
A colunista brincalhona cita a Calçados Bibi e a Marcopolo.
Registra em sua notinha:
"A Camil Alimentos, que hoje tem sede em São Paulo, mas surgiu no Estado, e a Lojas Renner estão entre as que iniciaram o projeto".


-


PASSARALHOS ESPALHAM-SE PELO RS



A demissão da Vera Armando, com 27 anos de Rede Pampa, parece um aviso para os funcionários: 
- VEM CHUMBO GROSSO AÍ!
Comenta-se que Octávio Gadret, o Silvio Santos do Pampa, aguarda o retorno do vice-presidente Paulo Sérgio Pinto - recupera-se de um infarto - para decidir quem sai. São esperadas demissões principalmente na Rádio Grenal.
Nos veículos da Record ainda não se fala em demissões. "Apenas" redução salarial de 25 por cento - aliás o mesmo que está sendo feito na RBS.
...
Em Caxias do Sul e Santa Maria o passaralho reduziu salários.



DEMISSÃO - Olidio Volpato, que faz o Von Mitsen - um colono do interior do RS, descendente de imigrantes alemães - foi dispensado do Grupo Record.
"Mais um ciclo que se encerra... Pessoal! Estou de férias, mas informo (a se manter a perspectiva - não expectativa), que não devo mais retornar aos microfones da emissora."
...
COLEGAS DO ALEMÃO TAMBÉM FORAM DEMITIDOS HOJE - Laura Gross, Jessica Moraes e João Gabriel Silva ("Hoje minha jornada na Radio Guaíba chegou ao fim. Foram quase 3 anos de muita intensidade, eu sei que poderia dar mais, mas faz parte da caminhada e do aprendizado".
....
Prometem mais demissões.


-


ENQUANTO DEMITEM - O Felipe Vieira, que deixou Porto Alegre e o SBT gaúcho para morar em São Paulo, começou na BandNews TV. Como foi informado aqui no sábado passado é o mais novo contratado da Bandeirantes..



...
SEMPRE DAMOS UM JEITINHO - Estava de "castigo" no Facebook - não podia postar ou comentar. Aí passei o meu post pro Felipe e ele "fez o serviço" - melhor do que eu.
Olha só:

(clica em cima que amplia)



-


NA REAL


Sou totalmente a favor do congelamento do salário de políticos e juízes.
Creio que os Ministros do STF deveriam abrir mão do aumento de 16.38%, que receberam em 2019, e que deputados e senadores não aceitaram.
É momento de ser solidário com o Brasil.

Bibo Nunes, deputado federal


-


APOSTO

Quero ver quem apóia congelar os salários, como acontece com o funcionalismo público.


-

A AGRESSÃO AO JORNALISTA E A CARREATA - Recebi do André Corrêa Rollo:

https://twitter.com/yec_terrza/status/1257019884602621955

https://twitter.com/taoquei1/status/1257012682974212102
...

Será que algum golpista se aventura?


-


HARMONIA E INDEPENDÊNCIA DOS PODERES?

Por Ives Gandra Martins - no conjur.com.br:

Aos 85 anos e mantendo amizade e admiração com e por grande parcela dos juristas brasileiros e muitos estrangeiros, de todas as colorações ideológicas, é sempre com constrangimento que, no dever que me imponho de cidadão, sinto-me na obrigação de expor opinião contrária àqueles expoentes do direito, que, sendo amigos, encontram-se em funções públicas.

Ao ler a Constituição, cujos trabalhos acompanhei de perto, participando de audiências públicas, oferecendo textos, alguns aprovados pela Constituinte e, informalmente, assessorando alguns constituintes, não consigo encontrar nenhum dispositivo que justifique a um ministro da Suprema Corte impedir a posse de um agente do Poder Executivo, por mera acusação de um ex-participante do governo, sem que houvesse qualquer condenação ou processo judicial a justificar. A simples suspeita de que foi escolhido por ser amigo do Presidente da República e poder influenciar procedimentos administrativos levantados por um desafeto do primeiro mandatário não justifica, constitucionalmente, a invasão de competência de um poder em outro.

Se meras suspeitas servirem, a partir de agora, o Poder Judiciário estará revestido de um poder político que não tem, constitucionalmente, de dizer quem poderá ou não ser nomeado de acordo com a visão do magistrado de plantão, mesmo que não haja qualquer condenação ou processo judicial em relação àquele pelo Executivo escolhido.

A partir da decisão do grande constitucionalista Alexandre de Moraes, a quem admiro, com quem tenho livros escritos, somos confrades em academias jurídicas e participamos de bancas de doutoramento juntos, qualquer magistrado de qualquer comarca do Brasil poderá adotar o mesmo critério e por acusações, fundadas ou infundadas, não examinadas pelo Poder Judiciário, em processos com o direito inviolável à ampla defesa, impedir nomeações que são de exclusiva atribuição constitucional do chefe do executivo de qualquer município, estado ou da própria União.

Não entro no mérito de quem tem razão (Bolsonaro ou Moro), mas no perigo que tal decisão traz à harmonia e independência dos poderes (artigo 2º da CF), a possibilidade de uma decisão ser desobedecida pelo Legislativo que deve zelar por sua competência normativa (artigo 49, inciso XI) ou de ser levada a questão — o que ninguém desejaria, mas está na Constituição — às Forças Armadas, para que reponham a lei e a ordem, como está determinado no artigo 142 da Lei Suprema.

A insegurança jurídica enorme que o Poder Judiciário traz sempre que foge à sua competência técnica para ingressar na política, além de levar todo o partido derrotado nas urnas ou nas votações do Congresso pretender suprir seu fracasso representativo recorrendo ao Supremo Tribunal Federal para que este, politicamente, lhe dê a vitória não obtida no exercício de sua função eleitoral.

Não sem razão, temos visto as sessões técnicas de antigamente — quando sustentei pela primeira vez perante o STF, em 1962 ou 63, dois dos atuais ministros não tinham nascido — serem substituídas por seções em que muitas divergências ministeriais são respingadas por ofensas mais pertinentes às discussões legislativas.

Se as suspeitas do ex-ministro são verdadeiras, que haja o devido processo legal com o DIREITO A AMPLA DEFESA, com o que, havendo comprovação, não só a posse não pode ocorrer, mas como se deve punir o culpado, se algum delito foi cometido.

A minha irrestrita admiração de velho professor de Direito Constitucional ao Pretório Excelso e aos onze ministros que o integram, não poderia, todavia, afastar a obrigação, como mero cidadão, de externar meu desconforto em ver a Suprema Corte exercendo funções executivas e invadindo competências alheias, que entendo não ter, e gerando insegurança jurídica e não a estabilidade e a certeza no direito que toda a nação deseja.


-


OUTRA PIADINHA: A DA IMPESSOALIDADE - Escreve o jornalista Flávio Pereirahttp://flaviopereiranews.com/

A decisão monocrática do ministro do STF Alexandre Moraes suspendendo cautelarmente a nomeação, pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, do diretor-geral da Polícia Federal Alexandre Ramagem sob o argumento da quebra do princípio da impessoalidade, continua dando margem a polêmica nos meios jurídicos.

O próprio presidente Jair Bolsonaro, irresignado, criticou o argumento que orientou a decisão do ministro. Bolsonaro lembrou que ele próprio, o ministro Alexandre Moraes, era amigo pessoal do ex-presidente Michel Temer, que o nomeou para o STF.

Na verdade, a história do STF está recheada de indicações ligadas a vínculos pessoais dos ministros com os presidentes que os nomearam. O que não significa necessariamente demérito. Pelo contrário, muitos deles demonstraram notório saber jurídico.

Marco Aurélio Mello foi nomeado pelo seu primo, Fernando Collor de Mello. Gilmar Mendes, advogado-geral da União, e amigo de Fernando Henrique Cardoso, foi indicado por este para o STF. Ayres Britto, militante ardoroso do Partido dos Trabalhadores, nem por isso deixou de ser indicado para o STF pelo amigo ex-presidente Lula. Ricardo Lewandoski, amigo pessoal do casal Lula também teve o mesmo prêmio. Rosa Weber, amiga pessoal de Dilma e de seu ex-marido Carlos Araújo, foi brindada com a indicação ao STF. Dias Toffoli, dedicado militante e advogado do Partido dos Trabalhadores, teve essa dedicação reconhecida e premiada com a cadeira no STF. E, finalmente, Alexandre de Moraes, amigo pessoal de Michel Temer, um Constitucionalista respeitado, de quem foi brilhante aluno.

Há outros casos que chamaram a atenção no quesito impessoalidade: a nomeação, pela ex-presidente Dilma Rousseff, da advogada Letícia Mello, filha do ministro do STF Marco Aurélio de Mello, para o cargo de desembargadora federal do Tribunal Regional Federal da 2ª Região. E a advogada Marianna Fux, filha do ministro do STF Luiz Fux, nomeada desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro pelo ex-governador Pezão.

Se levado a sério o despacho do ministro Alexandre de Moraes, cujo saber jurídico não se discute, teríamos de rever a atual composição do STF e de outros tribunais do País, onde a impessoalidade, nos termos da decisão de Sua Excelência, não foi respeitada.


-


O SHOW DO ICO - Ontem assisti quase todo o "Show de Talentos" do Ico Thomaz, no Instagram @icothomaz. É muito legal. Também são divertidos os comentários. Dei muita risada da Analu Bastos.
É todo domingo, às 19 horas. Bota na agenda.


-


OLHA A PICARETAGEM!!
LEGISLAÇÃO ELEITORAL PERMITE ISSO?





-


GÊNIO!!
O CARA QUE FEZ O TÍTULO SE ESMEROU!



-


A LIVE DO ANO!
SACOMORY, NELSON DUTRA E PRÉVIDI

COMUNICAÇÃO – BABADOS – ASSUNTOS ALEATÓRIOS

Três profissionais da comunicação em meio a pandemia. Falando sobre mídia, mercado da comunicação, política e a influência de Yamandu Costa na formação do perfil musical contemporâneo.
Direto de Oeisis International, o blogueiro referência da comunicação pampeana, José Luiz Previdi, vai sair da reclusão para destilar suas afirmações contundentes.
Em meio ao verde do extremo leste da capital, Antônio Sacomory virá com irreverência, bom humor e muito conteúdo.
E da zona sul, perto do rio, se junta o jornalista Nelson Dutra com suas perguntas e tiradas capciosas e instigantes.
Não perca a live no Facebook na próxima quarta, dia 6, às 20 horas, nos perfis Nelson Dutra Filho, Sacomory Antonio e José Luiz Prévidi!
Participe! Comente! Interaja!



-


COM TODO O RESPEITO, ISSO NÃO ACONTECEU - No bom  Perfil de Renato Sagrera, na Coletiva, ele narra um episódio que não aconteceu. Pode ter confundido os personagens e época.
Está lá:
Em uma de suas passagens, participou de uma reunião do Diretório Municipal do PDT para definir o candidato à prefeitura da Capital. A disputa estava entre Alceu Collares e Pedro Ruas (atualmente no Partido Socialismo e Liberdade -PSOL). O primeiro representava a ala mais conservadora do partido e o outro, a esquerda. Em um dado momento, os ânimos se acirraram. "Estava eu com o microfone em uma entrada ao vivo, quando os líderes de cada ala iniciaram uma briga com direito a socos, bem na minha frente. Um deles caiu em cima de mim e, por consequência, o microfone", narra. Para ele, o importante era a notícia. Mesmo no chão, continuou a transmitir, quando Brizola pediu um basta: "O que é isso! Quase agrediram o repórter. Subam aqui e deem as mãos, caso contrário não tem mais candidatura e eu quem vou decidir", conta o jornalista.
...
Collares foi apenas uma vez candidato a prefeito, em 1985. Era o candidato do PDT, sem a menor chance de disputa. Aconteceu disputa pela candidatura a vice-prefeito entre Políbio Braga, Danilo Groff e Glênio Peres. Numa prévia, Glênio foi o vencedor. Depois disso, Collares disputou e ganhou o Governo em 1990. Elegeu-se depois, novamente, deputado federal e mais uma vez ao Governo, sem sucesso.
Pode ter acontecido alguma disputa para a presidência regional do PDT, que eu acompanhei. Sei que o Pedro Ruas foi presidente do partido por um período.

-


CONSULTORIA FOCADA EM MEDIA TRAINING - O jornalista Ricardo Azeredo lançou nova consultoria focada em media training e gestão de crises de imagem.
“A forma como as pessoas, instituições públicas e privadas se relacionam com a mídia está mudando de maneira dramática. É fundamental estar preparado para estes novos tempos”, alerta o jornalista.
Ele lembra também que o cenário pós-pandemia vai exigir reposicionamento de muitos segmentos, impondo métodos eficientes de comunicação das mudanças à sociedade.
...
Com 35 anos de carreira como repórter e âncora, 30 prêmios de jornalismo, além de várias experiências de gestão em setores sensíveis nas áreas pública e privada, Azeredo viveu intensamente os dois lados da moeda. ”Trago a minha expertise como repórter e gestor para orientar quem precisa cuidar da própria imagem e de sua instituição nestes tempos de pressão intensa dos veículos de comunicação e das redes sociais”.
A consultoria Ricardo Azeredo Media – Soluções em Comunicação oferece vários tipos de treinamento com atividades práticas para aprender a lidar com a imprensa, prevenir ou administrar crises de imagem, além de assessoria de imprensa e produção de vídeos focados em conteúdos para web.
Os serviços estão detalhados no ricardoazeredomedia.com.br. elaborado pela StudioDess, da web designer Cris Jagmin.


-


DEDO-DURO É MAIS UMA CARACTERÍSTICA DA IXQUERDA? - Por um post que fiz no Facebook sobre o "senador biba" tomei um gancho. Não podia postar e nem curtir. O próprio FB diz que foi denúncia.
Será que eu me enganei e o senador não é biba?
Só falta me bloquearem porque escrevo "coreana balofa biba".

-


AULINHA DO VÔ - 5





-


PIADINHA OU NÃO É PIADINHA?

A plantinha é mais interessante, não?





-


NÃO É PIADINHA

Esse é macho!




-


PIADINHA

Medo de maio. O que virá depois?





-


PARA QUEM NÃO GOSTA DE INVERNO

Paolla Oliveira



3 comentários:

  1. José Onofre Dietrich4 de maio de 2020 13:27

    Falando em demissões na rádio Guaíba, o Cascatinha ainda está por lá ??

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por ouvir as "criticas" dos teus leitores!
    Grande abraço,
    Pedro Leon

    ResponderExcluir