Segunda, 22 de abril de 2019




Jamais troquei de lado.
Por quê? Eu não tenho lado.
Ou melhor, o meu lado sou eu
...
ANDO DEVAGAR
PORQUE NÃO TENHO PRESSA







Escreva apenas para





FAZER O QUÊ?
A LUTA CONTINUA!




Não tem jeito. Reciclar, redimensionar, reinventar.
Sei lá o termo certo para uma "nova fase". Mas tenho alguns princípios que não abro mão.
Não perco a piada, não deixo de me indignar, vou sempre registar o que está errado, especialmente quando os meios tradicionais de comunicação não tem uma reação a altura.
No entanto, me redimo.
Sei que o meu nível de indignação, nos últimos anos, estava - e está - muito grande. É muito assunto sério e não dá para ser assim. O brasileiro em geral já vive cercado de assuntos sérios e, por isso, tenho que dar uma aliviada.
Também vou levar mais a sério o "...eu não tenho lado". É difícil, mas tentarei.
Pra resumir, vou apostar mais no "bom humor".
E, quando der, vamos rir mais, mesmo em meio a um drama.
Enquanto isso continuo com o pepino me cutucando. Por isso peço a contribuição de todos.
Segue a vaquinha. Tenho que tentar chegar perto do necessário para atender a determinação judicial.
Além de contribuir pelo https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajuda-ao-blog-do-previdi
aceito qualquer contribuição em uma das contas-poupança:

BRADESCO
José Luiz Gulart Prévidi cpf 238 550 700-59
agência 0939 3
conta poupança 1000049 1

BANRISUL
José Luiz Gulart Prévidi cpf 238 550 700-59
agência 0847
conta poupança:   39.081430.0-0
...
Se preferirem a opção de depositar em uma das contas, favor avisar pelo jlprevidi@gmail.com.
...
Na Vakinha pedem cadastro e é um pouquinho demorado. As transferências são muito mais rápidas.







FUNDAMENTALISMO AMBIENTAL
E ATRASO


Texto do engenheiro civil Melvis Barrios Júnior.


Neste momento o estado do RS enfrenta o ápice da sua maior crise financeira e econômica, com um déficit anual que se aproxima de dez bilhões de reais, praticamente inviabilizando qualquer gestão pública.
Somente existe uma solução de curto prazo para aumentar a geração de empregos e gerar novas matrizes produtivas, propiciando aumento da arrecadação de impostos.

Atualmente existem quatro grandes projetos de mineração que estão em processo de licenciamento final para sua implantação no RS, com capacidade de gerar quatro mil empregos diretos e aproximadamente quarenta mil indiretos, totalizando investimentos  privados superiores a dois bilhões de reais.

Esses investimentos enfrentam uma hostil oposição de segmentos fundamentalistas da causa ambiental, que não estão preocupados com o futuro do nosso estado.

Exploração mineral é realizada em grande escala nos EUA, Canadá, Austrália e diversos outros países.
É necessário um rigoroso sistema de proteção ambiental, amparado nas melhores práticas de Engenharia de Minas, geológica e ambiental, mas jamais inviabilizar as operações sem as devidas justificativas técnicas.

Esses empreendimentos situam-em Eldorado do Sul para extração de carvão mineral, configurando-se numa das maiores operações do Brasil.
Extração de titânio em São José do Norte com um horizonte de até cinquenta anos de produção ativa.
Também em fase final de aprovação está a extração de fosfato em Lavras do Sul, uma das regiões mais pobres do RS.

Coroando todos esses investimentos temos a extração de cobre, chumbo, zinco e prata no município de Caçapava do Sul.

É necessário uma mobilização das forças progressistas para atenuar e neutralizar  o ativismo de ONGs e entidades que defendem o atraso e tentam sepultar esses importantes investimentos em solo gaúcho.
A pior poluição é a fome e a miséria.

...

Alguém contesta?
Envie para jlprevidi@gmail.com


-



TAMBÉM! - Escreve o Paulo Palombo Pruss:
Imagine se o incêndio da Catedral de Notre-Dame de Paris acontecesse em alguma Igreja no Brasil, “só podia ser coisa de Brasil” seria o mínimo que ouviríamos, as primeiras teses, de brasileiros, davam conta que seria um atentado, evidente fica mais fácil, a culpa não seria dos franceses raízes, a negligência não seria de um dos nossos.
Depois o deslumbramento veio pelas doações de milionários franceses a boa causa.
Recentemente em Porto Alegre,  o casal Alexandre Grendene e Nora Teixeira, doaram  R$ 40 milhões para a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre para a construção de uma nova emergência para o complexo, dedicado somente ao SUS, e sabe-se o que mais de ouviu, “Também..”, esse também se encerra por si só, não tem continuidade, o interlocutor covardemente não tem coragem de expressar o que pensa ou não tem condições mesmo de concluir em uma frase, simplifica sua ignorância na acusação.


-


ISSO NÃO É UM ESCÂNDALO? - E tem gente na Rádio Guaíba que ainda fala mal do Messias...

(clica em cima que aumenta)

-



CADÊ A FÓRMULA? - Escreve o Luiz Henrique Benfica:
O rádio tradicional, em busca de um novo público, propõe uma mudança radical em sua fórmula.
O problema é que o novo público, por não gostar da velha fórmula, a rejeita.
Resultado: o rádio tradicional perde seu público antigo e não conquista o novo.
O sono dos gestores não tem sido tranquilo ...


-


ESSA ERA A VERDADEIRA RÁDIO GAÚCHA.
HOJE É A RÁDIO DE ESTAGIÁRIOS DE UATISAPI

Queria ver o atual chefete - o pior apresentador de rádio do RS - juntar os seus estagiários e publicar a fotinho de todas as "estrelas" do uatisapi.
..
E a cada semana demitem jornalistas experientes. Tirando o Mazedão e o Pedro Ernesto...



-


SABE DE ONDE TIREI O ANÚNCIO ACIMA? - Da página no Facebook  de uma grande jornalista, Otília Souza. Ela sempre foi ligada às rádios.
Olha ela aí!!




-


INTOLERÂNCIA DE TODOS OS LADOS! - Texto do vereador André Carús, de Porto Alegre:

Quando chegamos ao ponto de um parlamentar circular no supermercado ou em espaços públicos e ser ofendido na sua honra ou moral, por posições ou votos que possuo na Câmara Municipal, esta é a expressão da anti-democracia.

Foi isso que infelizmente ocorreu na última quinta-feira no Supermercado Zaffari da Av. Ipiranga, quando chegávamos para fazer compras eu e minha esposa. Dois indivíduos, ditos servidores públicos municipais, nos encheram de desaforos sem qualquer justificativa. Conheço e convivo com diversos funcionários municipais e posso atestar sua capacidade de diálogo e dedicação permanente em servir à população. Não será "meia dúzia" (massa de manobra) que irá desfazer esse conceito positivo.

No início da noite deste sábado, foi ainda pior, saindo de um passeio também com minha esposa na Orla do Guaíba, em frente ao número 340 da Rua Gen. Salustiano (Praça Júlio Mesquita), um grupo na maioria de mulheres e cerca de quatro homens utilizaram adjetivos como "vagabunda" à minha mulher, "trouxa", "pau no c...", "filho da p..." "fudeu minha vida", entre outras barbaridades.

Por muito pouco não tive que acionar a Brigada Militar para conter a ira de talvez, militantes xiitas e intolerantes que vivem às custas de privilégios aprovados a portas fechadas num passado recente e não toleram mudanças para o coletivo, portanto, incapazes de conviver com as diferenças. Chegamos a ouvir o absurdo, "vai curtir em outro lugar", como se aquela região fosse ocupada exclusivamente por pessoas deste nível tão baixo.

A era dos extremos está cada vez mais intensa. Não vou me calar para esse reacionarismo de esquerda, uma pena, pois a fraternidade e justiça social, princípios desta corrente ideológica estão esquecidas em nome do ódio que permeia atitudes como as de hoje. Não sou de direita, tampouco de esquerda, sou sim posicionado em um Centro Democrático que busca mudanças com equilíbrio, responsabilidade e uma cidade para todas as pessoas e não, para este ou aquele grupo.

Seguirei reagindo de forma enérgica, defendendo a minha conduta, a integridade da minha família e a seriedade do meu mandato que foi conferido legitimamente pelo povo de Porto Alegre.

Seguimos em frente.


-


PERGUNTINHA TELEVISIVA

Não é paranoia nem teoria da conspiração. Mas por que uma entrevista ao vivo com Paulo Guedes na Globonews no mesmo horário em que a TV aberta transmitia a final dos campeonatos regionais?

Claudio Moretto, jornalista


-


QUEM VENCE ESSA DISPUTA?
CP OU ZH?






-



EU NÃO SABIA -  A avenida Farrapos, em Porto Alegre - por muitos anos a via mais importante da cidade - chamava-se Rua Minas Gerais.


-




NO GESSINGER ADVOGADOS - Escreve o Ruy Gessinger:
Após concluir com muito aproveitamento seu curso de Direito na PUC de Porto Alegre e, mesmo antes de formado , ter  sido aprovado nas provas da OAB, Rudolf Genro Gessinger, meu filho, está apto a advogar.
Vêm se unir ao meu sobrinho Cristiano Gessinger Paul, também formado pelaPUC, mestre  e professor universitário.


-


INÉDITO!! AUTO VACINAÇÃO NO RS!!



-


COITADO DO ATOR!

Nasce Amazonie, terceira folha do ator francês Vincent Cassel


-



Com o prefeito de Tramandaí
PREFEITOS RECEBEM OBRA SOBRE ELÉTRICA -  O jornalista Gilmar Eitelwein apresentou o livro “A Electrica e os Discos Gaúcho” ao prefeito de Imbé, Pierre Emerim, e ao prefeito de Tramandaí, Luiz Carlos Gauto.. A publicação aborda o pioneirismo da gravadora e fábrica de discos A Eléctrica, que funcionou em Porto Alegre no início do século 20. O jornalista atuou na redação, edição e revisão final do material que reúne pesquisa e textos de Hardy Vedana.

A Eléctrica registrou pelo menos 4.500 gravações, em que as estrelas da época interpretavam valsas, habaneras, polcas, modinhas, fados, tangos – além de hinos nacionais e, singularidades únicas, também ficaram gravados alguns discursos de grandes políticos daqueles tempos.
Com o prefeito do Imbé

Acompanham o livro três CDs com registros raros e únicos que carregam a história dos fundadores, de pioneiros e da memória da música.

Com passagens por grandes veículos de comunicação como Grupo RBS (Zero Hora) e Rádio Guaíba, Eitelwein explicou que na fábrica muitos discos foram criados e exportados para diversos países como Argentina e Uruguai, entre eles o primeiro disco de tango na América Latina. “O material conta também com históricos de áudios que registram as primeiras gravações executadas por emissoras de rádio”, complementou o jornalista.

Gilmar Eitelwein, que é natural de Tenente Portela, já realizou inúmeros trabalhos no estado e atuou durante anos também na TVE. Atualmente ele mora em Tramandaí e integra o Coral Municipal.



-



NÃO É PIADINHA


Isso só pode ser gozação levada a sério!




-


Piadinha





4 comentários:

  1. INÉDITO!! AUTO VACINAÇÃO NO RS!!

    Prévidi, meu querido, respeitosamente, não há erro na frase que tu citaste acima, 'quase 90 mil se vacinaram.'
    Este verbo, quando eu vou a uma enfermaria para aplicar uma vacina em mim, é sempre pronominal. Eu me vacino, tu te vacinas, ele se vacina... eles se vacinam.
    Até mesmo a colocação do pronome 'se'(pessoal do caso oblíquo) está correta, pois o advérbio 'quase' tem força para atraí-lo.

    Um animal, um boi, por exemplo, é vacinado, pois ele 'não tem querer'. Mas um ser humano tem querer, ele se autodetermina (ou deveria!).

    ResponderExcluir
  2. Olá Previdi

    Muito se fala ultimamente na necessidade da abertura da "caixa preta" do BNDES. Coisas obscuras, com certeza, virão à tona. Empréstimos externos e internos. Nestes últimos está incluída uma empresa cujo crescimento impressiona a todos nós. Senão vejamos:
    O empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, realizou, entre abril de 2005 e outubro de 2014, durante os governos do PT, elogiados, na época, pelo honesto empresário, 50 empréstimos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiar a expansão de suas atividades comerciais no país, que resultaram na abertura de quase 100 lojas em 13 estados do Brasil. No total, os empréstimos, com prazos de pagamento entre 60 meses (cinco anos) e 48 meses (quatro anos), totalizaram R$ 20,6 milhões.

    Pois é, os tempos passam, as pessoas brindadas com as bondades dos empréstimos mudam de opinião, porém as informações não se perdem.


    Luiz Cunha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Luiz Cunha, legal e pertinente a tua preocupação, mas sinceramente eu acho estes 20 milhões uma 'micharia' e ele não devia ter pego esse dinheiro, mas o banco é para todos!
      O problema, Luiz, foi que o BNDES - por ordem de cima ( Lula, Dilma) - pegou no mercado algo próximo de 400 bilhões de reais (não sei o número exato, mas é por aí) a taxa 'prime' para capitalizar o bancão, que o emprestou para 'os grande lideres nacionais' - Oi, JBS, nossas grandes construtores, metrô de Caracas, porto em Cuba, etc., com taxas altamente subsidiadas. E nós sabemos em que deu estes empréstimos. A Oi quebrou, a JBS investiu 80% nos Estados Unidos e também está quebrada, as construturas não vamos falar.
      A ideia de usar-se a alavancagem do BNDES para criar grandes empresas nacionais, gerar mais empregos, renda, impostos é altamente louvável, mas a prática é uma droga, pois 'prevalece' o critério do compadrio.
      Pra nós, simples mortais pagadores de impostos, restou o aumento do endividamento no sistema bancário, e o aumento da grita do pessoal da esquerda contra o sistema bancário, 'gerador de todas as maldades'. Eu não acho isso, meu amigo, e muito discuto com vários queridos amigos que tenho na esquerda. Nenhum governo nos últimos 60 anos, de Juscelino pra cá, colocou uma pedra num calçamento de rua sem pegar dinheiro do banco. Ninguém jamais se preocupa em pegar dinheiro do orçamento para tal. Depois é fácil, basta eu pegar uma bandeira vermelha e sair às ruas falando mal do do 'capital internacional'. Abraços.

      Excluir
  3. Jose Manoel Vega Garcia23 de abril de 2019 15:50

    https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/dono-da-havan-cresceu-sob-governos-petistas-e-acumula-processos.shtml

    Aqui a folha mostra um pouco do tal Luciano Hang

    ResponderExcluir